Rondônia, - 03:29

 

Você está no caderno - Porto Velho
Porto Velho
Rondônia clama por coerência e não divergência na política
Ego massageado, vaidade excessiva, ignorar e não discutir os problemas de forma aberta com assessores, amigos e até adversários..
Publicado Terça-Feira, 13 de Agosto de 2019, às 09:18 | Fonte Diário da Amazonia 0
  WhatsApp - (69) 9 9967-8787
 

Divulgação / Internet

Ego massageado, vaidade excessiva, ignorar e não discutir os problemas de forma aberta com assessores, amigos e até adversários políticos. Pois é, através da discussão, do debate que ocorrem as decisões coerentes, porque nada é 100% no mundo material. Ouvir é importante.

Para prejuízo do cidadão-eleitor, que vota no político e concede a ele um recibo em branco para executar (presidente da República, governadores, prefeitos) ou legislar (Senado, Câmara Federal, Assembleias Legislativas, câmaras de vereadores), na quase totalidade das vezes o político eleito não trabalha em favor da maioria da população, mas sim atende a interesses de grupos financeiros-econômicos, dos mais diversos segmentos, afinal, vivemos num mundo capitalista. Uma lástima.

Se eleger presidente da República é uma condição realmente fora de qualquer projeto, seja pessoal ou coletivo. Concorrer, disputar, buscar o voto é uma coisa, mas se eleger por milhões de pessoas a um cargo expressivo, seja de presidente da República ou vereador deve ser uma sensação única, diferenciada. Nada igual, por exemplo, a mãe gerar um filho, um privilégio, apenas da mulher, um momento sublime, divino, único.

Vamos voltar à política citando duas situações diferentes, mas relacionadas ao voto, à impulsão popular em delegar mandato a pessoas, que têm a responsabilidade de fazer Leis, de fiscalizar seu cumprimento, de executar obras e cumprir obrigações constitucionais. Estamos se referindo, no caso específico aos cargos de governador e do deputado presidente de Legislativo Estadual.

O governador do Estado, Marcos Rocha (PSL) foi eleito mais pelo apelo nacional do presidente Jair Bolsonaro, também do PSL. Marcos nunca tinha participado diretamente da política, é militar (coronel da PM) e tinha passagens pelo governo do Estado na Sejus (Secretaria da Justiça) e na Semed (Educação) de Porto Velho. Não deixou saudades, mas é o governador eleito legitimamente com expressiva votação, mais de 530 mil votos e 66,34% dos votos válidos nas eleições de 2018. Foi eleito, porque representava o novo e não tinha pecha de corrupto. É um cidadão limpo com a sociedade, sua eleição, não foi por acaso, tem seus méritos.

Na Assembleia Legislativa (Ale) o presidente é experiente na política. Ex-prefeito de Alvorada do Oeste e com ampla folha de bons servidores prestados ao município. Laerte Gomes (PSDB/Ji-Paraná) está no exercício do segundo mandato consecutivo. Foi reeleito em 2018 com quase 17 mil votos (2,08% dos votos válidos) e o quarto mais bem votado do Estado. Tem respaldo popular.

O Brasil tem hoje mais de 220 milhões de habitantes. Temos 26 Estados e um Distrito Federal (Brasília). Cada Estado tem um governador e um presidente da Assembleia Legislativa, no caso de Brasília, Assembleia Distrital.

Será que o governador Marcos Rocha e o presidente da Ale, Laerte Gomes têm a dimensão da importância dos cargos que ocupam? No universo de 220 milhões de brasileiros, Rocha e Laerte estão entre as 54 pessoas mais importantes do País. Olhar no espelho e constatar, que aquele cidadão refletido está entre as pessoas mais importantes de um País continental como o Brasil é um momento sem igual para o político?
Sem dúvida é uma emoção impar e uma enorme carga de responsabilidade, que esperamos, ambos (Rocha e Laerte) tenham na condução de um Estado jovem, promissor, com pouco mais de 35 anos de emancipação político-administrativa, de terras férteis e perspectiva de no futuro estar entre os maiores produtores de grãos (café, soja, milho) do país.

Que Laerte Gomes e Marcos Rocha realmente façam política na sua essência, com diálogo amplo, coerente e priorizando o que realmente é prioridade, deixando de lado picuinhas e disque-me-disque, que não levam a lugar algum, a não ser a divergências e decisões errôneas em todos os setores ignorando as prioridades de interesses da população como saúde, educação, saneamento básico, segurança, viver dignamente.

Por: Rondoniadinamica

Por Waldir Costa
 





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Porto Velho


Acidente em Itapuã envolve caminhonete da prefeitura de Cacoal
Na manhã desta quinta-feira, 15, um acidente no quilômetro 610 da BR 364, entre Itapuã do Oeste e Porto Velho envolveu um veículo Gol,.. ...


Semusb realiza limpeza de vias e revitalização de praças
A programação iniciou pela Estrada de Santo Antônio, incluindo as laterais e a ciclovia ...


PRF realiza Operação Festival do Açaí 2019.
Sem acidentes ou criminalidades vinculados às festividades de Feijó (AC), os objetivos da Operação foram alcançados. ...


Queimada gera dificuldade na visibilidade dos motoristas
Conforme o Corpo de Bombeiros, nos últimos dias, foi registrado um aumento de 50% na quantidade de incêndios em Ji-Paraná Na manhã.. ...

 
 
 

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE