Rondônia, - 07:32

 

Você está no caderno - INTERNACIONAL
Internacional
Carola Rackete: Foi uma situação complicada. Sabíamos que romper aquela lei iria atrair muita atenção
Em entrevista ao “El País”, a capitã alemã do Sea Watch 3, mostrou-se desagradada com o rumo da Europa, que acusou de estar a financiar criminosos...
Publicado Quinta-Feira, 11 de Julho de 2019, às 11:54 | Fonte Expresso – Portugal 0
  WhatsApp - (69) 9 9967-8787
 

GUGLIELMO MANGIAPANE/REUTERS

Transformou-se numa heroína dos tempos modernos na luta contra a desumanidade que acontece no Mediterrâneo. Carola Rackete, a capitã do Sea Watch 3, viveu no limbo nas últimas semanas. Começou por resgatar da morte 41 migrantes e, depois de 16 dias à deriva, decidiu furar a intransigência de Matteo Salvini e atracar na ilha italiana de Lampedusa. Foi detida e acabou por sair em liberdade poucos dias depois, esperando agora pelo julgamento. Esta quinta-feira, a alemã, de 31 anos, deu uma entrevista ao jornal “El País” onde aborda o que tem vivido, os pecados da Europa e a sugestão de Vargas Llosa para receber o Nobel da Paz.

“Foi uma situação complicada. Sabíamos que infringir aquela lei iria atrair muita atenção”, começou por dizer àquele diário espanhol. “Muita gente está a ajudar os migrantes na Europa, acolhendo refugiados. Por isso, parece-me pouco natural ou justo que a atenção esteja centrada numa pessoa.

A situação na Europa deixa-a hesitante. Afinal, “é uma situação extremamente polarizada”, observada em Itália, mas também no Reino Unido e Alemanha, diz. “O futuro nos dirá para onde caminha a Europa. (...) Temos de chegar a acordo sobre a vida das pessoas ter o mesmo valor independentemente de onde venham.”

A audiência de Carola Rackete, suspeita em Itália de ajuda à imigração ilegal, estava prevista para terça-feira num tribunal na Sicília, mas foi adiada para 18 julho devido a uma greve nacional de advogados. A defesa da ativista, licenciada em Ciências do Mar, decidiu aderir ao protesto nacional e como tal a audiência no tribunal de Agrigento foi adiada em nove dias, confirmou um dos advogados da jovem capitã alemã à agência noticiosa francesa France Presse (AFP).

Questionada sobre se a Europa esteve à altura do desafio nesta temática, a alemã não tem dúvidas: “Não, de todo! Estão a financiar as guarda-costeiras líbias e um regime que permite tortura e tráfico de seres humanos. A União Europeia não deveria cooperar com organizações assim. Financiam criminosos sabendo que o são. Estou envergonhada pelo meu Governo, um país como a Alemanha, e pela União Europeia por darem apoio a esses criminosos. Nunca o entenderei.”

A segunda pergunta da entrevista mencionou o apelo de Mario Vargas Llosa, o Nobel da Literatura de 2010, que homenageou a capitã alemã numa crónica (AQUI), falando em humanidade e decência e deixando uma sugestão: que se lembrem dela para Nobel da Paz. Que pensa Carola Rackete disso? “Surpreendeu-me muito. A minha irmã mandou-me o artigo. Que este ato tenha desencadeado tudo isto faz-me compreender que a invisibilidade do nosso trabalho é enorme. Há milhares de pessoas a fazer coisas maravilhosas todos os dias.”

EXPRESSO
 





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em INTERNACIONAL


FocusEconomics prevê estagnação económica em Angola este ano
Segundo a FocusEconomics, o crescimento angolano estará em baixa devido ao aumento das importações e da queda do setor petrolífero. Em 2020, prevê-se um aumento de 1,6% do PIB....


Coreia do Sul acusa Japão de violar lei internacional
Governo japonês restringiu exportações de tecnologia ...


Japão. Shinzo Abe garante lugar na História mas fica abaixo de votação necessária para mudar Constituição
Aquele que será brevemente o primeiro-ministro há mais tempo em funções no país tentou minimizar a importância de não ter conseguido os assentos necessários para......


Irã nega que EUA tenham destruído drone no Estreito de Ormuz
O Irã negou nesta sexta-feira a declaração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que um navio de guerra americano destruiu um drone iraniano próximo ao......

 
 
 

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE