Rondônia, - 17:40

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
Tecnologia
Futuro ministro Marcos Pontes diz que privatizar Correios 'não está na pauta'
Publicado Quinta-Feira, 6 de Dezembro de 2018, às 19:40 | Fonte Olhar Digital 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=357897&codDep=41" data-text="Futuro ministro Marcos Pontes diz que privatizar Correios 'não está na pauta'
  
  WhatsApp - (69) 9 9967-8787
 

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)


O tenente-coronel da reserva e ex-astronauta Marcos Pontes, futuro ministro da ciência e tecnologia do presidente eleito Jair Bolsonaro, concedeu entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, 6, em Brasília, na sede do comitê de transição do governo. Entre outros assuntos, Pontes comentou a possibilidade de privatização dos Correios.

A estatal tem papel chave nas entregas de compras online em marketplaces e importações de eletrônicos. Nos últimos anos, os Correios sofreram com prejuízos bilionários, até finalmente registrar lucro líquido de R$ 163 milhões em agosto deste ano. Mesmo assim, há quem acredite que a empresa deva ser privatizada.

Pontes confirmou a jornalistas (via Poder360) que os Correios vão continuar subordinados ao Ministério da Ciência e Tecnologia, mas disse que a privatização da empresa "não está na pauta" da equipe de governo "por enquanto". O futuro ministro não quis dar mais detalhes sobre o assunto.

Além disso, Pontes afirmou que o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que atualmente é subordinado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, deve passar para a sua responsabilidade durante o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Já a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) continuará com o Ministério da Educação, e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) também vai permanecer com a pasta de Ciência e Tecnologia, assim como funciona atualmente.

Acordo de Paris

Marcos Pontes também comentou a possibilidade de o Brasil sair do Acordo de Paris, tratado entre 195 países assinado em 2015 que estipula metas para a redução na emissão de gases do efeito estufa. O presidente eleito Jair Bolsonaro já comentou em situações passadas que pode deixar o acordo se a "soberania" do país estiver "ameaçada".

"Nós temos dentro da comunidade científica uma participação muito grande em estudos e análises de clima e a importância do desenvolvimento sustentável como um todo", declarou Pontes, segundo reportagem da Agência Brasil.

"Essas informações todas vão ser levadas ao presidente. Logicamente quem tem poder de decisão é o presidente, mas nós temos a obrigação, vamos dizer assim, trabalhando com ciência, informar tudo sobre esses assuntos, inclusive", acrescentou o futuro ministro.

Além disso, Pontes também comentou a desistência do Brasil de sediar a COP-25 (Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas), marcada para novembro de 2019. A decisão foi tomada pelo atual presidente Michel Temer, mas teve apoio de Bolsonaro.

"Existem, do nosso ponto de vista, da ciência e tecnologia, pontos favoráveis para que a gente faça isso [realização da COP-25], mas logicamente a decisão é sempre do presidente, e a gente respeita as decisões", declarou Pontes.

 





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Tecnologia e Vida Digital


Como impedir que seus filhos assistam conteúdo inadequado no Netflix
...


STJ condena NET por propaganda enganosa com internet banda larga
...


Huawei pode apresentar versão final de celular dobrável e 5G antes da Samsung
...


Cientistas agora têm uma forma imutável de medir o quilograma
...

 
 
 

 

Ads Emro Noticias 1



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE