Rondônia, - 06:00

 

Você está no caderno - Notícias da Justiça e do Direito
Ele foi condenado sob acusação
Mantida a pena de homem que falsificou placa do veículo com fita adesiva
Moacir Monteiro, que se encontrava em livramento condicional, não conseguiu, com apelação, sua absolvição nem pena alternativa diversa da prisão, assim como a redução da pena...
Publicado Terça-Feira, 20 de Abril de 2021, às 16:24 | Fonte TJRO 0

 
 

Foto: Divulgação/Internet

Moacir Monteiro, que se encontrava em livramento condicional, não conseguiu, com apelação, sua absolvição nem pena alternativa diversa da prisão, assim como a redução da pena. Ele foi condenado sob acusação de adulterar, com fita adesiva isolante, a placa de uma motocicleta. Ao apreciar o recurso de apelação, na sessão de julgamento do dia 15 deste mês, os julgadores da 1ª Câmara Especial do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia mantiveram a sentença condenatória do juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de Santa Luzia d'Oeste-RO, de 3 anos de reclusão e mais 10 dias-multa ao réu. A pena foi substituída por prestação de serviços à comunidade.

Segundo o voto do relator, desembargador Daniel Lagos, a descoberta do fato criminoso aconteceu no dia 12 de fevereiro de 2019, na Linha 180, km 3, zona rural do Município de Santa Luzia d'Oeste, durante abordagem policial por atitude suspeita do réu, que já tinha condenações por crimes patrimoniais e de tráfico de drogas.

Com relação ao crime de adulteração do veículo, o réu alegou que não tinha conhecimento das consequências, pois a sua atitude foi com a boa intenção de ensinar o alfabeto a uma sobrinha. Porém, tal alegação não convenceu o relator.

Para o relator, além de o réu confessar o delito, ficou amplamente confirmada, pelo laudo pericial, que a placa de identificação foi adulterada com fita isolante nas letras D e algarismo 6, transformando a placa NDD-8436 em NBB-8438, por ação humana, direta e intencional.
Além disso, o relator destacou no voto que, mesmo o apelante tendo condenações transitadas pela prática de outros delitos, “a pena foi fixada no mínimo legal, não fazendo incidir a circunstância agravante da reincidência ou regime mais gravoso, inclusive com a substituição da pena. Contudo, ante a conformação do parquet (Ministério Público), nada há a reparar”.
Participaram do julgamento os desembargadores Daniel Lagos, Gilberto Barbosa e o juiz convocado Jorge Luiz Gurgel do Amaral.

Apelação Criminal nº 0000090-04.2019.8.22.0018




Veja também em Notícias da Justiça e do Direito


TJRO promove oficina para policiais sobre o sistema de “peticionamento inteligente”
A Corregedoria-Geral da Justiça de Rondônia (CGJ) fará uma oficina sobre o sistema......


Justiça de Rondônia apresenta aumento acima de 70% no volume de trabalho durante a pandemia
O Poder Judiciário de Rondônia tem se adaptado a uma nova realidade......


MPF recomenda que municípios de Rondônia alterem nomes de bens públicos que homenageiam pessoas vivas
Legislação proíbe ter nome de pessoa viva em bem público de qualquer natureza... ...


TJRO mantém indeferimento de posse em cargo emergencial de médica que acumulava cargo
Por ser cargo emergencial para combate à pandemia, ela não conseguiria cumprir o serviço......

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM Publicidade:::

Tereré News