Rondônia, - 11:21

 

Você está no caderno - Rondônia
Saúde
Período chuvoso é propenso para a proliferação de Caramujos-Africanos; animais representam riscos a saúde, alerta Agevisa
O Governo de Rondônia, por meio da Agência de Vigilância em Saúde de Rondônia...
Publicado Quarta-Feira, 13 de Janeiro de 2021, às 14:47 | Fonte Governo de Rondônia 0

 
 

Nilton Neves

O Caramujo-africano tem características singulares, a principal delas é o tamanho grande, além de sua concha ser pontiaguda, a casca é em forma de um espiral cônica e tons de marrom, cinza e amarelo

O Governo de Rondônia, por meio da Agência de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa) informa que durante o período chuvoso é importante ficar atento quanto a infestação do “Caramujo-gigante-africano” (Achatina Fulica – nome científico), em residências. O molusco é facilmente encontrado em ambientes úmidos e em locais com acúmulo de lixo, como quintais, terrenos baldios, entre outros. Ele é transmissor de doenças perigosas que podem levar à morte.

O caramujo-africano entrou no Brasil na década de 80 como uma alternativa irresponsável para a criação adaptada do “escargot”, mas que culminou em um problema de saúde pública. A rápida proliferação dos animais pode causar uma infestação desenfreada, que necessita de cuidados para o manuseio.


Técnicos da Agevisa orientando agentes municipais quanto o controle do Caramujo-gigante-africano

O coordenador Estadual do Programa de Esquistossomose e Geohelmintiase da Agevisa, Nilton Neves, orienta como o caramujo deve ser descartado. “É importante estar de luvas, protegendo as mãos, colocar o caramujo ou os caramujos em uma sacola, fazer furos e amarrar. Após esse procedimento, é necessário emergir essa sacola em um balde com a quantidade equivalente de uma colher de hipoclorito (água sanitária) para 1 litro de água. No outro dia o caramujo amanhecerá morto e pode ser descartado normalmente no lixo”.

“Culturalmente, algumas pessoas tinha o hábito de colocar sal e queimar esses animais. Esse não é o procedimento ideal a ser feito, pois é perigoso quanto a contaminação do lençol freático numa possível ingestão da água, e até mesmo se a concha se tornar um criadouro natural de mosquito da dengue. Por isso, a necessidade de se fazer o procedimento correto”, enfatiza Nilton.

Outra opção correta de descarte do molusco é colocá-lo em uma vala de cerca de 20cm à 30cm e envolver o local com cal virgem e enterrá-lo.

Quando houver a infestação desenfreada e o morador não conseguir descartar voluntariamente os caramujos, a orientação é ligar para a coordenação responsável da Agevisa, por meio do telefone (69) 3216-5694, registrando a denúncia.

CARACTERÍSTICAS

Hospedeiro de duas doenças fatais, uma podendo causar hemorragia interna e a outra levar o indivíduo a cegueira, o caramujo-africano tem características singulares de fácil reconhecimento. A principal delas é o seu tamanho, como o nome já diz “Grande ou Gigante” Africano, além de sua concha ser pontiaguda, em forma de um espiral cônica, a casca é com tons de marrom, cinza e amarelo. “Nós temos o caramujo nativo que se confunde um pouco com o africano por ser grande, mas sua concha não é pontiaguda, e por isso é possível diferencia-lo”, explica Nilton.

No Brasil não há registro de nenhum caso de doenças que esse molusco pode ocasionar, mas é importante ressaltar o trabalho técnico dos agentes que incluem informes técnicos e orientações para evitar invasões domiciliares. “Esse é o momento de cada um cuidar do seu terreno, porque não adianta um vizinho limpar o seu e o outro não limpar, porque ele vai passar, por ser muito invasivo e adorar lugar úmido. Orientamos que seja evitado o acúmulo de lixo no quintal, telhas, tijolos, madeira, porque com as chuvas, esses materiais umedecem e eles procriam ali”, finaliza o coordenador.







Veja também em Rondônia


Escola de Governo capacita servidores quanto a celeridade de convênios públicos
Com objetivo de capacitar servidores públicos quanto a celeridade dos processos relativos......


Seguindo protocolo de segurança, Governo amplia equipes de saúde bucal para atender população de Rondônia
Mais de 600 mil pessoas em Rondônia têm assistência odontológica de graça......


Rondônia prepara logística para a chegada de mais de 33 mil doses da vacina contra o coronavírus
O Governo do Estado de Rondônia define a logística para o recebimento das vacinas de imunização contra......


Corpo de Bombeiros e Agevisa alertam sobre cuidados na utilização e procedência de álcool em gel
Como uma medida de prevenção contra doenças respiratórias......

 




 
Pub
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News