Rondônia, - 20:24

 

Você está no caderno - INTERNACIONAL
Internacional
Covid-19: Alteração do método de contagem de infetados por coronavírus gera dúvidas em Wuhan
É a sexta vez que a China faz mudanças na forma de contar infetados, o que preocupa os especialistas, por “não ajudar a [fazer] um levantamento rigoroso”
Publicado Sábado, 22 de Fevereiro de 2020, às 08:34 | Fonte Expresso 0

 
 

STRINGER

Uma habitante de Wuhan, epicentro do surto do coronavírus Covid-19, usa máscara protetora

 


O que parecia uma boa notícia — “apenas” 349 novos casos de coronavírus em Hubei esta quinta-feira, o número mais baixo das últimas semanas — transformou-se numa suspeita incongruência quando as autoridades de Wuhan, capital dessa província chinesa, reportaram 615 casos. A diferença entre os números, com a capital a ter mais casos do que a província inteira, trouxe de volta ao debate o método de contagem dos doentes. E a suspeita de que o Governo chinês pode estar a querer selecionar a informação que se torna pública.

Não é a primeira vez que o critério de contagem muda, e é normal que assim seja, considera um epidemiologista da britânica Lancaster University, Jonathan Read, citado pelo “Washington Post”. “Dito isto, é muito inútil, para fins de vigilância, mudar com muita frequência a forma como se define um caso”, acrescentou. O comentário vem na sequência da mudança implementada pelos responsáveis de Hubei, que o fizeram por duas vezes só na semana passada. A última alteração, a sexta no país desde meio de janeiro, causou uma queda significativa do número de novos casos, passando de 1693 para 349.

A inconsistência decorre do facto de Hubei ter retirado da lista todos os casos não confirmados por testes genéticos — esses passaram a ser definidos como “suspeitos”. Até aqui eram contados como infeção todos os diagnósticos médicos, através de qualquer outro método.

A China alega que a alteração se deve à melhoria da capacidade de diagnóstico. Ainda assim, o responsável pelo departamento de saúde de Hubei, Tu Yuanchao, viu-se obrigado a intervir e a pedir que não se retirem mais casos anteriormente confirmados. “Estes ajustes nos números atraíram grande atenção do público e causaram algumas dúvidas sobre os dados. Como resultado, Ying Yong, secretário do comité provincial do Partido (...) ordenou explicitamente que nenhuma subtração seja permitida. Casos confirmados e todas as subtrações serão colocadas de volta na lista, afirmou.

Só os casos futuros entrarão na nova forma de contagem de infetados em Hubei, a região mais afetada da China.

 







Veja também em INTERNACIONAL


As pessoas vão se aproximar depois de ter lutado contra um inimigo comum, o coronavírus, diz psicólogo britânico
Mais de dois bilhões de pessoas estão em quarentena mundo afora. Ainda não há prazo determinado para o fim do confinamento imposto pela pandemia do coronavírus. Novas regras de convivência devem surgir desta experiência. Para o chefe do Departament...


Mundo já tem 2,6 bilhões de pessoas confinadas, a metade delas na Índia
O governo da Índia decretou nesta terça-feira (24) o confinamento de toda a população do país de 1,3 bilhão de habitantes. Com a decisão de Nova Délhi, o número de pessoas isoladas em suas casas em todo o mundo por causa da pandemia de Covid-19 dob...


EUA e Coreia do Sul investigam disparo de projéteis norte-coreanos
Os dois mísseis teriam sido disparados em direção ao Mar do Japão....


Província chinesa berço da Covid-19 sai do confinamento, mas população está apreensiva
A China suspendeu nesta quarta-feira (25) as drásticas restrições impostas por dois meses à província de Hubei, berço da pandemia do novo coronavírus que causou mais de 18 mil mortes em todo o mundo desde dezembro. O fim do confinamento é um alívio...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News