Rondônia, - 01:51

 

Você está no caderno - INTERNACIONAL
Internacional
Remédios já existentes podem ajudar no tratamento de câncer
Novos medicamentos para o tratamento de câncer, talvez, já estejam por aí
Publicado Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, às 16:57 | Fonte Tarciso Morais 0

 
 

Divulgação/ Internet

Pesquisadores resgataram compostos utilizados no combate de outras doenças e realizaram testes para verificar se eles seriam capazes de matar células cancerígenas.

Apenas um quarto dos remédios mapeados pela pesquisa foi desenvolvido para o combate ao câncer. No entanto, os cientistas observaram que alguns compostos respondiam positivamente a tipos específicos da doença.

Steven Corsello, principal autor da pesquisa, explicou à revista Scientific American que a observação possibilitará o desenvolvimento de novas terapias: 

“Os medicamentos que encontramos são um bom ponto de partida para fazer isso.”

Ao todo, foram 4.518 medicamentos combinados a 578 linhas de células cancerígenas, obtendo, ao fim, 50 novos compostos que atenderam às expectativas. 

A triagem foi feita utilizando o PRISM 一 ferramenta que utiliza as características moleculares das linhas celulares para identificar biomarcadores preditivos de sensibilidade ao medicamento, informa a revista Super Interessante.

Dessa forma, foi mostrado, por exemplo, que o remédio lovastatina, que é usado no controle do colesterol, é um forte inibidor de células-tronco da leucemia.







Veja também em INTERNACIONAL


Prisioneiro confessa ter agredido dois pedófilos até à morte na cadeia
''Perdido por cem, perdido por mil'', confessou, numa carta enviada a um jornal da Califórnia...


Espanha: Polícia de folga salva bebê de 18 dias de morrer asfixiado
O polícia aplicou a manobra de Heimlich quando percebeu que a criança estava com dificuldades em respirar...


Celebrações de Carnaval banidas na Itália por causa do novo coronavírus
Duas pessoas morreram nas últimas 24 horas em Itália, na sequência da infeção por Covid-19. Autoridades italianas estão a alargar medidas preventivas...


Covid-19: “Vi coisas estranhas aqui mas isto tem sido o mês mais surreal da minha vida”: o relato da quarentena de um jornalista em Shanghai
Michael Smith é correspondente de um jornal australiano em Shanghai, na China, e esteve em quarentena durante oito dias. As regras variam de bairro para bairro e o poder vive muito nos ''exércitos de voluntários comunitários''. Afinal, como é estar...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News