Rondônia, - 01:16

 

Você está no caderno - INTERNACIONAL
Internacional
Grupo armado mata oito pessoas, cinco das quais soldados
Um grupo armado atacou na última noite uma aldeia do Norte de Moçambique e matou oito pessoas, cinco das quais eram soldados. Ataque faz parte de onda de violência que dura há dois anos na região.
Publicado Domingo, 17 de Novembro de 2019, às 18:06 | Fonte Observador 0

 
 

ANTÓNIO SILVA/LUSA

    

Um grupo armado atacou na última noite uma aldeia do Norte de Moçambique e matou oito pessoas, cinco das quais eram soldados, disseram à Lusa fontes locais com base num balanço preliminar.

O ataque faz parte da onda de violência armada que dura há dois anos na região e que na quinta-feira fez paralisar parte das obras dos megaprojetos de exploração de gás natural.

Desta vez os confrontos aconteceram na localidade de Mengaleuwa, posto administrativo de Chitunda, 150 quilómetros a sudoeste dos estaleiros das petrolíferas.

Este posto administrativo faz parte do distrito de Muidumbe e a violência aconteceu perto da estrada pavimentada que liga a capital provincial, Pemba, ao Norte de Cabo Delgado.

O grupo invadiu a povoação pelas 19:00 (menos duas horas em Lisboa) de sábado, registando-se confrontos até às 03:00 de hoje.

Segundo testemunhos ouvidos pela Lusa, o grupo aproximou-se da aldeia a entoar cânticos em línguas locais, como se de um cerimonial se tratasse, e depois abriu fogo sobre a posição onde se encontravam militares.

O balanço preliminar indica ainda que foram incendiadas casas, bancas de venda informal e que foram também destruídos três tratores agrícolas e uma máquina niveladora de uma empresa responsável pela construção de pontes sobre o rio Messalo.

Apesar das tentativas, a Lusa não conseguiu obter esclarecimentos adicionais junto das autoridades.

O distrito onde aconteceu este último ataque é o mesmo onde as forças de defesa e segurança de Moçambique realizaram ofensivas de artilharia no início do mês contra esconderijos dos grupos armados que têm protagonizado os ataques em Cabo Delgado.

A violência nasceu há dois anos em pequenos grupos locais de muçulmanos extremistas, que depois de começarem os ataques armados nunca mais reivindicaram as suas ações.

 







Veja também em INTERNACIONAL


O herói do ataque na London Bridge chama-se John, tem 48 anos e está em liberdade condicional
John Crilly foi condenado por um assalto e um homicídio em Manchester. Tinha saído da prisão em liberdade condicional no ano passado, após admitir a autoria dos crimes. Foi o herói de serviço no ataque ocorrido na London Bridge, há uma semana...


Em dia de aniversário da Constituição, PSOE e PP calam propostas reformistas para travar Vox
A prioridade é “cumprir” a lei fundamental, “ajudando a formar Governo”, defendem os socialistas. “Na atual configuração das Cortes, o que se impõe é a defesa da Constituição porque ela pode sofrer ataques sérios”, dizem os populares. Em causa está...


Turquia e Líbia devem respeitar lei internacional após acordo de fronteiras marítimas - UE
“Estamos a estudar o texto para ver as suas implicações”, salientou Peter Stano, porta-voz do Alto Representante para a Política Externa e de Segurança da União Europeia, na conferência de imprensa diária da Comissão...


Greve geral em França. Sob pressão, Governo acelera negociações
França está mesmo em greve geral contra a revisão do sistema das pensões de reforma. Depois do êxito de mobilização do primeiro dia de greve (800 mil pessoas nas ruas, segundo números oficiais), hoje é dia de assembleias gerais por todo o país. Gre...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News