Rondônia, - 02:34

 

Você está no caderno - Notícias da Amazônia
Notícias da Amazônia
Faixa azul: TJAM decide por permanência de via exclusiva para ônibus
Relator do processo, o desembargador Aristóteles Lima Thury disse, em seu voto, que a implantação das faixas “não se revela uma afronta aos direitos e garantias individuais constitucionais”
Publicado Terça-Feira, 8 de Outubro de 2019, às 12:44 | Fonte D2AM 0

 
 

(Foto: Semcom)

Após decisão do desembargador Aristóteles Lima Thury, faixa azul segue sendo exclusiva para ônibus 

A 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) negou provimento a uma apelação interposta pelo Ministério Público Estadual (MPE-AM) e confirmou, na integralidade, decisão da 2ª Vara da Fazenda Pública Municipal que manteve a efetividade das faixas exclusivas para ônibus em vias públicas da capital.

Em 2ª instância, a apelação nº 0637585-27.2015.8.04.0001 teve como relator o desembargador Aristóteles Lima Thury, cujo voto frisou que, “embora a implantação de faixas exclusivas e semi-exclusivas para circulação de ônibus coletivos possa não haver logrado êxito em alcançar o ideal de fluidez no trânsito de veículos como um todo, o fato é que a finalidade de decisão buscou atender às necessidades de parcela da população que se utiliza e depende de transportes públicos, com projeção a diminuir o tempo de deslocamento”, afirmou o relator, cujo entendimento foi seguido por unanimidade pelos demais magistrados que compõem a 3ª Câmara Cível do Judiciário Estadual.

Na ação civil pública, o MPE-AM sustentou, nos autos, que o ordenamento do espaço urbano é de responsabilidade do poder público municipal e deve refletir em ações positivas da administração pública, especialmente na organização e utilização das vias públicas e, “com sua ineficiência, o município de Manuas e a SMTU ferem gravemente os princípios da legalidade e da eficiência consagrados nas Cartas Magnas e Estadual”.

Para o desembargador relator, todavia, no caso em questão a implantação dos corredores exclusivos e semi-exclusivos para a circulação de coletivos não se revela uma afronta aos direitos e garantias individuais constitucionais, tampouco se trata de inadimplência estatal, na medida em que a decisão envolve a alteração no oferecimento do transporte público e não sua supressão.

“No presente caso em questão, o apelante (MPE-AM) não logrou êxito em demonstrar lesão aos direitos e às garantias individuais dos administrados, não havendo que se atribuir ilegalidade à implementação de corredor exclusivo de coletivos quando, pela verificação do ato político, a finalidade se traduziu justamente em viabilizar o transporte coletivo de Manaus, inserindo-o paulatinamente em algumas avenidas”, pontuou o desembargador Aristóteles Lima Thury.

Em seu voto, o relator da apelação teve como base recursos de casos similares, julgados por demais tribunais superior, dentre os quais o Recurso 367432 PR, julgado em 20 de abril de 2010 pelo Superior Tribunal Federal (STF), sob relatoria do ministro Eros Grau.









Veja também em Notícias da Amazônia


Suspeito de envolvimento em morte de engenheiro é preso após entrevista
Elielton Magno, que esteve em festa com Flávio Rodrigues, assassinado após noite na casa de Alejandro Valeiko, foi preso após conceder entrevista a Sikêra Jr, na TV A Crítica ...


Cirurgias eletivas são retomadas no Hospital de Rorainópolis após 7 meses
Governo diz que meta é realizar seis procedimentos por dia para diminuir a fila de espera que é de quase 500 pacientes...


Batalhão Ambiental da Polícia Militar apreende 500 quilos ilegais de pirarucu no porto da Manaus Moderna
A Polícia Militar, por meio do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAMB), apreendeu, por volta das 7h deste domingo (25/08), aproximadamente 500 quilos de pescado ilegal, camuflados......


Quinto lote do Imposto de Renda vai pagar mais de R$ 7 milhões no Acre
Lote de restituição contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News