Rondônia, - 21:23

 

Você está no caderno - Economia
Economia
Indicador mostra alta de 2,6% no consumo de bens da indústria em julho
O Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais, que mede a demanda interna no setor, registrou alta de 2,6% na comparação entre os meses de julho e junho,..
Publicado Quinta-Feira, 12 de Setembro de 2019, às 13:23 | Fonte Agência Brasil 0

 
 

Arquivo/Agência Brasil

O Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais, que mede a demanda interna no setor, registrou alta de 2,6% na comparação entre os meses de julho e junho, na série com ajuste sazonal. Com esse resultado, que sucedeu um recuo de 0,2% no período anterior, o trimestre terminado em julho encerrou com crescimento de 1,8% na margem.

O indicador é definido como a produção industrial doméstica, descontadas as exportações e acrescidas as importações.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), entre os componentes do consumo aparente, enquanto a produção interna não exportada cresceu 1,1% em julho deste ano comparado ao mês anterior, as importações de bens industriais registraram alta de 8,9% no mesmo período.

As grandes categorias econômicas, em geral, apresentaram crescimento em relação ao mês de junho, com destaque para bens de consumo duráveis (3,9%) e não duráveis (2,6%). Porém, na comparação com julho de 2018 a queda foi disseminada entre as categorias, com destaque negativo para bens de capital (-2,9%) e duráveis (-3%).

De acordo com o Ipea, o bom desempenho das categorias econômicas em julho, em relação ao mês de junho deste ano, se refletiu nas classes de produção, com aumento da demanda interna por bens da indústria de transformação em 2,4% em relação ao mês de junho. A extrativa mineral também cresceu, pelo 3º período consecutivo, com alta de 13,3%. Do total de 22 segmentos, 16 avançaram, com destaque para equipamentos de transportes (23,6%) e metalurgia (18,3%).

Na comparação entre julho e o mesmo mês do ano passado, a demanda interna por bens industriais avançou 1,2%. O trimestre terminado em julho mostrou crescimento de 0,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Na variação acumulada em 12 meses, a demanda registrou queda de 1,1%.

Edição: Maria Claudia
 







Veja também em Economia


Dólar do cartão terá de ser o do dia da compra a partir de 2 de março
A medida obriga bancos a cobrar o dólar com a cotação do dia em que as compras foram realizadas...


Projeto de inovação tecnológica mobiliza empreendedores no estado
O Energy Future estimular esta integração do empreendedorismo brasileiro ao setor elétrico....


Contas externas do Brasil registam défice de 10,8 mil milhões
Foi o maior défice registado pelo Brasil no mês de janeiro em cinco anos...


China vai flexibilizar política monetária em resposta a coronavírus
O governo chinês confirmou 77.150 casos de infecção pelo coronavírus, com 2.592 mortes...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News