Rondônia, - 05:39

 

Você está no caderno - Educação
Educação
Programa Sakura vai levar alunos do ensino médio ao Japão
Dez alunos brasileiros de cursos técnicos integrados ao ensino médio terão a oportunidade de conhecer o Japão
Publicado Quinta-Feira, 29 de Agosto de 2019, às 12:18 | Fonte Ministério da Educação 0

 
 

Divulgação / Internet

Dez alunos brasileiros de cursos técnicos integrados ao ensino médio terão a oportunidade de conhecer o Japão. A iniciativa é do Programa Sakura de Ciência. Cada um dos 41 institutos da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica espalhados pelo Brasil pode inscrever um aluno. As indicações podem ser realizadas até o dia 4 de setembro.

O programa é realizado a partir de uma parceria entre a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação (MEC), o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e a Agência de Ciência e Tecnologia do Japão.

O edital do intercâmbio pode ser acessado no site do Conif e os alunos interessados devem procurar a assessoria internacional de sua instituição da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica Federal.

O objetivo do programa é promover intercâmbio de sete dias para estudantes brasileiros na área de ciência e tecnologia avançada, desenvolvidas no Japão, por meio de visitas a centros de pesquisa e universidades daquele país.

De quebra, os alunos ainda participam de aulas especiais com ganhadores de prêmio Nobel, visitam a embaixada do país de origem no Japão, além de participar de outras atividades junto a estudantes do ensino médio japoneses e de outros países participantes.

A Setec também vai indicar dois servidores da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica para acompanhar os estudantes. Na última edição, Alexandre Chahad, diretor da agência de inovação do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), embarcou na aventura. “É uma experiência muito válida. Os alunos voltam com outro olhar”, destaca Alexandre.

De acordo com ele, as aulas no Japão são completamente diferentes. “Eles não têm faxineiros, então os estudantes brasileiros acompanham os estudantes japoneses limpando as salas, os corredores. Tudo com muito cuidado. É uma troca também de cultura”, ressalta Alexandre.

Para participar é necessário ter no mínimo 16 anos, comprovar rendimento de 80% nas disciplinas cursadas (média global), possuir certificação de proficiência em inglês (nível mínimo B1) e não ter participado de programas de intercâmbio no Japão anteriormente.

O programa despesas como passagens aéreas, hospedagem, alimentação, transporte terrestre no Japão, seguro-viagem e visto japonês.

Inscrição – O processo de escolha do candidato será de responsabilidade de cada instituição da Rede Federal. Os critérios classificatórios incluem a participação em projetos de pesquisa aplicada e de extensão tecnológica e em eventos técnico-científicos (nacionais, internacionais, regionais e locais), além da proficiência em língua inglesa.

O resultado sai no dia 16 de setembro e a data provável para a ida ao Japão é 23 de novembro. O retorno ao Brasil está previsto para o dia 30 de novembro.

Luciano Marques, do Portal MEC







Veja também em Educação


Universidades criam aplicativos para ajudar no combate ao coronavírus
Um dos projetos é o CheckCorona, da Universidade de São Paulo...


Educação empreendedora avança em Rondônia
Parcerias para melhorar a educação de Rondônia estão sendo desenvolvidas junto com as prefeituras e secretarias municipais de educação...


Ministro participa de reunião bilateral entre Brasil e Hungria
Foram assinados quatro acordos entre os países, nas áreas espacial, de recursos hídricos e de agricultura ...


Prêmio Capes Talento Universitário tem mais de 5 mil inscritos
Inscrições continuam abertas até o dia 12 de dezembro ...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News