Rondônia, - 17:23

 

Você está no caderno - INTERNACIONAL
Internacional
Produção industrial da China cresce em julho ao ritmo mais lento desde 2002
Segundo a consultora britânica Capital Economics, os dados mostraram que a desaceleração da economia chinesa está a acentuar-se e prevê um ''abrandamento mais acentuado no horizonte''
Publicado Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, às 11:11 | Fonte Expresso - Portugal 0

 
 

STR

O ritmo de crescimento da produção industrial da China foi, em julho, o mais lento dos últimos 17 anos, acompanhando a tendência de outros indicadores económicos, à medida que Pequim trava uma guerra comercial com Washington.

No mês passado, a produção industrial na segunda maior economia mundial registou um aumento homólogo de 4,8%, em julho, menos 1,5 pontos percentuais do que no mês anterior, disse o Gabinete Nacional de Estatísticas (GNE) chinês.

Trata-se do ritmo de crescimento mais lento desse fevereiro de 2002.

Segundo a consultora britânica Capital Economics, os dados mostraram que a desaceleração da economia chinesa está a acentuar-se e prevê um "abrandamento mais acentuado no horizonte".

"Os dados sugerem que o crescimento económico enfrenta renovadas pressões negativas. Mesmo com políticas fiscais mais favoráveis, a atividade da construção permanecerá sob pressão nos próximos trimestres, quando o recente 'boom' do desenvolvimento imobiliário relaxar", considerou o analista Julian Evans-Pritchard, num relatório.

A produção industrial é utilizada pelas estatísticas chinesas para medir a atividade das grandes empresas, com receitas anuais superiores a 20 milhões de yuan (2,5 milhões de euros).

No conjunto dos primeiros sete meses do ano, a produção industrial cresceu 5,8%, em termos homólogos, segundo a agência.

O investimento em ativos fixos, que inclui os gastos com imóveis, infraestrutura ou maquinaria, cresceu 5,7%, entre janeiro e julho, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O aumento homólogo das vendas a retalho, o principal indicador do consumo privado, fixou-se em 7,6%, em julho, depois de ter crescido 9,8%, no mês passado.

Analistas disseram acreditar que a queda se deve sobretudo à diminuição na venda de automóveis.

O analista da Capital Economics acrescentou prever uma desvalorização futura da moeda chinesa, o yuan, mas que dificilmente compensará o arrefecimento da procura global ou o aumento das taxas alfandegárias sobre produtos chineses, impostas pelos Estados Unidos.

"Como resultado, esperamos nova desaceleração da atividade económica, no próximo ano", concluiu Evans-Pritchard.

LUSA
 







Veja também em INTERNACIONAL


Polícia suíça acredita ter identificado dois espiões russo em Davos
Os dois homens - que apresentaram passaportes diplomáticos - diziam ser canalizadores de férias, mas o longo período em que se mantiveram num resort de luxo levantou suspeitas ...


Estados Unidos celebram feriado em homenagem a Martin Luther King Jr.
No feriado nacional de comemoração de um dos maiores cidadãos da América nesta segunda-feira, 20, desfiles e serviços comunitários......


Acidente com vítima fatal perto da Sample Road para o trânsito na I-95
Quatro pistas foram fechadas pelo Florida Highway Patrol; acidente foi às 5 da manhã no sentido sul da rodovia em Pompano Beach ...


Brasileiros e colombianos se unem para recolher lixo na praia de Deerfield Beach
No último domingo (19), um grupo de brasileiros e colombianos – liderado por Fabrício Nobre, pela escritora Danny Bastos e pelas colombianas......

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News