Rondônia, - 01:58

 

Você está no caderno - Notícias da Amazônia
Notícias da Amazonia
Justiça anula condenação de ex-deputado devido à suspeição de juíza que atualmente é senadora em MT
Na prática, a Justiça anulou a condenação de 18 anos e 4 meses de prisão imposta a Bosaipo por desvio e lavagem de dinheiro na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.
Publicado Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, às 10:15 | Fonte G1 MT 0

 
 

Foto: Reprodução/TVCA

Humberto Bosaipo, ex-conselheiro do TCE-MT

O Tribunal de Justiça julgou procedente um pedido feito pela defesa do ex-deputado estadual e ex-conselheiro do Tribunal de Contas Estadual (TCE), Humberto Bosaipo, contra a então juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Arruda, atualmente senadora de Mato Grosso.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da senadora, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria.

Na prática, a Justiça anulou a condenação de 18 anos e 4 meses de prisão imposta a Bosaipo por desvio e lavagem de dinheiro na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

A defesa de Bosaipo alegou que a então juíza seria suspeita para julgar o caso. Entre os argumentos apresentados pela defesa estão o fato de que em audiência realizada no dia 24 de fevereiro de 017, ela teria deferido pedido de “produção de prova ao Ministério Público” em desrespeito ao princípio do contraditório; não acolheu o pedido feito por ele para reabertura da instrução processual; teria utilizado “de seu cargo para projeção pessoal visando ascensão política; haveria vício de parcialidade, pois segundo declaração prestada pela ex-assessora da então magistrada Midiã Maira de Carvalho Gonçalves de Sá, ela ordenava o “indeferimento para todos os requerimentos” de Bosaipo por se tratarem de “processos que geravam repercussão na mídia”.


Para o desembargador Marcos Machado, da 1ª Câmara Criminal do TJ, Selma Arruda, em vídeo gravado e disponível nas redes sociais, em 25 de maio de 2018, após a oitiva das testemunhas para instrução deste incidente de suspeição, sob a pretensão de “ dividir uma preocupação”, contextualizou fatos não julgados, ao revelar suposta inquietação sobre a “possibilidade de anulação, não apenas dos processos deste réu, do Humberto Bosaipo, mas que, essa anulação pode, sim, acarretar na anulação de outros processos[...] que não podem ficar impunes”.

O desembargador cita o art. 36, III, da Lei Orgânica da Magistratura (Lomam): “É vedado ao magistrado: [...] manifestar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente de julgamento, seu ou de outrem, ou juízo depreciativo sobre despachos, votos ou sentenças de órgãos judiciais, ressalvada a crítica nos autos e em obras técnicas ou no exercício do magistério.”

“Com essas considerações, julga-se procedente a exceção de suspeição com anulação da sentença condenatória proferida pela excepta para que um juiz de Direito, conforme sua livre convicção e imparcialidade, possa julgar a causa penal”, decidiu o desembargador.

Por Flávia Borges, G1 MT









Veja também em Notícias da Amazônia


DESAPARECIDO Dioney Junior Souza Coelho
A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Especializada de Ordem Política e Social (Deops), solicita a colaboração de todos na divulgação da imagem do cobrador de ônibus......


Obras do Hospital Materno-Infantil de Santarém serão retomadas em 10 dias
O governador do Estado, Helder Barbalho, assinou nesta terça-feira (20), no Palácio do Governo, em Belém, a ordem de serviço para o reinício das obras do Hospital Materno-Infantil......


Unidades filantrópicas do Acre irão receber R$ 3 milhões em veículos e equipamentos
As unidades filantrópicas que ofertam serviços de proteção social básica e especial do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no Estado receberam uma boa notícia na manhã......


Iapen realiza ação de atendimento nutricional no Presídio Feminino de Rio Branco
Os cuidados com a alimentação são fatores essenciais para uma boa qualidade de vida...

 


ads2507



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News