Rondônia, - 12:21

 

Você está no caderno - INTERNACIONAL
Internacional
Tribunal reduz responsabilidade das forças holandesas em Srebrenica para 10%. “Tinham poucas hipóteses” de evitar massacre
Supremo Tribunal holandês considerou que as forças holandesas só tinham 10% de hipóteses de salvar os 350 homens muçulmanos que estavam escondidos num armazém da ONU
Publicado Sábado, 20 de Julho de 2019, às 11:58 | Fonte Expresso - Portugal 0

 
 

ELVIS BARUKCIC/GETTY

“O Estado holandês tem muito pouca responsabilidade. Essa responsabilidade é limitada a apenas 10% dos danos sofridos pelos familiares de aproximadamente 350 vítimas”, determinou o Supremo Tribunal da Holanda depois de uma primeira sentença ter determinado que o Estado tinha 30% de responsabilidade na compensação dessas vítimas.

Membros do exército holandês integraram as forças dos capacetes azuis da ONU que, durante a Guerra da Bósnia, foram destacados para tentar manter a paz e a segurança em zonas de conflito. Alguns estavam destacados para o local, palco da mais sangrenta cena desde a Segunda Guerra Mundial, a chacina de oito mil homens muçulmanos em Srebrenica, hoje parte da Bósnia Herzegovina. Porém, devido aos seus números reduzidos (110) e ao facto de quase não terem armas, os capacetes azuis foram impedidos de atuar pela força dos paramilitares sérvios, considerou o Supremo.

O papel das forças holandesas em Srebrenica tem sido alvo de muito escrutínio, já que foram estas as tropas designadas para defenderem o “espaço seguro” que Srebrenica representava. Em 2002, um relatório sobre o que se passou provocou a demissão em massa do governo do primeiro-ministro Wim Kok.

Em 1995, quando as forças sérvias entraram em Srebrenica, quase 20 mil muçulmanos, maioritariamente mulheres, crianças e doentes, fugiram para as instalações do exército holandês, em Potocari. Mas a violência escalou e os holandeses renderam-se, mais tarde concordando em passar os refugiados para camionetas operadas por sérvios. Nesse momento, os sérvios retiraram os homens das filas e mataram-nos.

No entanto, cerca de 350 homens permaneceram na base sem que os sérvios tivessem conhecimento da sua existência e só posteriormente, dois dias depois, foram forçados a sair pelas forças holandesas, coisa que, segundo o tribunal, os holandeses não deveriam ter feito.

O Tribunal disse que as forças holandesas “falharam em oferecer a estes refugiados a possibilidade de ficar onde estavam, ainda que isso fosse possível”. As hipóteses que teriam de sobreviver nesse caso “eram poucas mas não negligenciáveis”. Essas poucas hipóteses foram contabilizadas em 10% pelo tribunal e as famílias podem pedir compensações apenas proporcionais a esse valor. Ainda não se sabe como é que os cálculos vão ser feitos.

O caso chegou aos mais alto tribunal da Holanda porque as chamadas “Mães de Srebrenica” queriam que o país fosse considerado responsável pelo total das mortes e o Estado queria ser ilibado de todas as responsabilidades.

ANA FRANÇA
 







Veja também em INTERNACIONAL


Polícia suíça acredita ter identificado dois espiões russo em Davos
Os dois homens - que apresentaram passaportes diplomáticos - diziam ser canalizadores de férias, mas o longo período em que se mantiveram num resort de luxo levantou suspeitas ...


Dez dias depois de Meghan, Harry chega ao Canadá
Harry chega ao Canadá dois dias depois de ter manifestado a ''grande tristeza'' pela forma como ele e mulher, Meghan Markle, renunciaram aos títulos de Suas Altezas Reais como parte do acordo de separação da família real britânica...


Chanceler britânico horrorizado com situação na Venezuela
Reino Unido é um dos 25 países da UE que reconheceram Guaidó como presidente encarregado da Venezuela...


Remédios já existentes podem ajudar no tratamento de câncer
Novos medicamentos para o tratamento de câncer, talvez, já estejam por aí...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News