Rondônia, - 01:17

 

Você está no caderno - Notícias da Justiça e do Direito
Semana da Paz em Casa
Mais de 8 mil processos de violência contra mulher tramitam na capital de Rondônia
Para se ter ideia do volume de trabalho das varas especializadas, em fevereiro de 2019 tramitavam 8 mil e 300 procedimentos criminais, entre eles as mais de 2 mil medidas protetivas vigentes.
Publicado Terça-Feira, 12 de Março de 2019, às 07:39 | Fonte Assessoria de Comunicação 0

 
 

Reprodução

Os números são impactantes: 8 mil processos tramitam nos Juizados de Violência doméstica e familiar contra a mulher só na capital de Rondônia, Porto Velho. Para se ter ideia do volume de trabalho das varas especializadas, em fevereiro de 2019 tramitavam 8 mil e 300 procedimentos criminais, entre eles as mais de 2 mil medidas protetivas vigentes.


A medida protetiva, de acordo com a Lei Federal nº 11.340/2006, a Lei Maria da Penha, é uma medida de urgência que a vítima pode solicitar para se proteger contra o agressor. São dois tipos: as que obrigam o agressor a não praticar determinadas condutas e as medidas que são direcionadas à mulher e seus filhos, visando protegê-los.


Constatada a prática de violência o juiz poderá aplicar, de imediato, ao agressor, a suspensão da posse ou restrição do porte de armas, o afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida e proibição de determinadas condutas, entre as quais: aproximação da ofendida, contato com seus familiares e testemunhas, restrição ou suspensão de visitas aos dependentes menores e prestação de alimentos provisionais ou provisórios.


A lei prevê, ainda, a proibição de qualquer tipo de contato com a mulher, com seus filhos e com testemunhas, também por meio de WhatsApp ou Facebook, bem como outras redes sociais. A justiça ainda pode deferir outras medidas que julgar adequadas à proteção e prevenção de novas práticas. 


Para solicitar as medidas protetivas de urgência a mulher deve procurar uma delegacia – de preferência a Delegacia da Mulher – e relatar a violência sofrida, que deverá ser registrada no boletim de ocorrência, requerendo a concessão das medidas protetivas necessárias ao caso. O delegado deverá remeter esse pedido para o juiz, que por lei deverá apreciar o pedido em até 48 horas.
Também há a opção de se pedir tais medidas diretamente ao juiz ou ao Ministério Público, por meio de uma petição, para que sejam apreciadas antes do prazo de 48 horas, opção que pode ser adotada em casos de uma maior urgência.


É importante destacar que, se a mulher pedir, os agentes de segurança pública têm o dever encaminhar a solicitação das medidas ao sistema de justiça, pois corre-se o risco de, não sendo enviado, reiteração da ação violenta e até de feminicídios. Por isso é importante que todos os profissionais que atuam nessa temática tenham a visão acerca da violência de gênero contra a mulher e a sua complexidade.


Mais números


Segundo levantamento, 337 novos processos deram entrada só em fevereiro de 2019 na capital. “Os casos que chegam ao Judiciário, infelizmente, representam apenas uma parcela daquilo que ocorre nos lares, pois muitas vezes as mulheres ainda deixam de registrar ocorrência ou de chamar a polícia, apesar da violência sofrida, explica o coordenador de mulheres do Tribunal de Justiça de Rondônia, juiz Álvaro Kalix Ferro. 


Por isso, segundo ele, as ações de conscientização como a Semana da Paz em Casa, que acontece em todo país, são relevantes para disseminar o combate à violência doméstica, a necessidade de registros de ocorrência e, sobretudo, difundir a cultura da paz nos lares.


Em Rondônia, as 23 comarcas do Estado estão com programações específicas, tais como palestras, pit stops, exibições de filmes, debates e, principalmente, o agendamento de audiências e júris de feminicídio.

 

tjspelapazemcasa


Nacionalmente, os tribunais de Justiça programaram ações integradas de comunicação para divulgar a Semana da Paz em Casa nas redes sociais. Nesta segunda-feira, por exemplo, por meio do Instagram e do Twitter serão divulgadas postagens com a #TJspelapazemcasa.







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

ADS NEWS 5

Veja também em Notícias da Justiça e do Direito


Expansão do Projeto Apadrinhando uma História chega às comarcas do Cone Sul de RO
A segunda fase de expansão do Projeto Apadrinhando uma História está em andamento desde segunda (6)....


MP obtém condenação de vereador pela prática de nepotismo em São Miguel do Guaporé
O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio da Promotoria de Justiça de São Miguel do Guaporé, obteve junto ao Poder Judiciário rondoniense a condenação do vereador Marco Antônio Ferreira, em ação de improbidade administrativa, pela prátic...


Varas de Família promovem Oficina de Pais e Filhos, em Porto Velho
O Núcleo Psicossocial das Varas de Família da Comarca de Porto Velho promoveu na última sexta-feira, 10, no Fórum Sandra Nascimento, em Porto Velho, a Oficina Pais e Filhos, voltada aos envolvidos em processos em tramitação nas referidas varas....


Profaz é apresentado em reunião sobre o turismo no Estado de Rondônia
O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RO) participou na última quinta-feira (30), no Palácio Rio Madeira, da 1ª reunião da política federal do Ministério do Turismo em relação às Instâncias de Governanças Regionais (IGRs) nos municípios que fazem par...

 




 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News