Rondônia, - 00:40

 

Você está no caderno - Ação Parlamentar
pelo fim da violência doméstica
Jaqueline Cassol apoia e participa de campanha pelo fim da violência doméstica
No dia internacional da mulher deputada federal visitou trabalhadoras de confecções de Pimenta Bueno.
Publicado Segunda-Feira, 11 de Março de 2019, às 14:02 | Fonte Jaqueline Fonseca - Assessoria de Comunicação 0

  
 
 

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) participou de homenagem às mulheres na Câmara dos Vereadores de Pimenta Bueno, nesta sexta-feira (8/3), dia internacional da mulher. Depois de conversar com servidoras e outras convidadas sobre participação feminina na política e combate à violência doméstica, a presidente do Progressistas em Rondônia visitou trabalhadoras das confecções “Abusada Modas” e “Brisa Confecções”, ambas localizadas no município de Pimenta Bueno.


Jaqueline Cassol destacou que o oito de março foi conquistado com a luta das mulheres trabalhadoras, especialmente das indústrias de roupas, que fizeram greves e se sacrificaram em nome da igualdade nas condições de trabalho para homens e mulheres. “Eu entendo que todo dia se comemora o dia da mulher, mas entendo também que o oito de março representa uma conquista na luta das mulheres, mártires, que lutaram e morreram em nome de igualdade”, disse a presidente do Progressistas em Rondônia.


 
Mulher na política
Na 56ª Legislatura da Câmara dos Deputados, que começou em 2019, aumentou para 15% a participação de mulheres.  São 77 deputadas federais de 22 partidos e 24 unidades da federação. O Partido Progressista (PP) elegeu 5 mulheres para Câmara dos Deputados. O partido fica em 5º lugar em número de cadeiras ocupadas por mulheres na Casa.
A participação feminina na bancada de Rondônia na Câmara Federal cresceu de 12,5% para 37,5%. De 1 passou para 3 o número de deputadas federais eleitas pelo estado. O Amapá registrou a mesma participação de Rondônia, 37,5%; no Acre metade dos eleitos são mulheres; em Roraima e Tocantins a participação feminina é de 25%; No Pará apenas 5,8%; No Amazonas nenhuma mulher foi eleita. Essa realidade se repete nos estados do Maranhão e Sergipe.


“Esse aumento é ótimo porque a mulher está cada vez mais presente em posições de poder e decisão, mas ainda estamos muito longe do ideal. São 513 cadeiras na Câmara dos Deputados e apenas 77 mulheres ocupando esses lugares. Além desse número ser pequeno, nossa luta é grande. Temos que defender bandeiras que protejam a vida das mulheres porque infelizmente todos os dias mulheres são violadas, violentadas e mortas”, disse Jaqueline Cassol, presidente do PP-RO.


 
Para Jaqueline Cassol “Esse aumento é ótimo porque a mulher está cada vez mais presente em posições de poder e decisão, mas ainda estamos muito longe do ideal. São 513 cadeiras na Câmara dos Deputados e apenas 77 mulheres ocupando esses lugares. Além desse número ser pequeno, nossa luta é grande. Temos que defender bandeiras que protejam a vida das mulheres porque infelizmente todos os dias mulheres são violadas, violentadas e mortas e isso tem que parar!”, disse a presidente do PP-RO.


Violência Doméstica


Em Rondônia, 542 casos de violência doméstica foram registrados no ano de 2018, de acordo com o Mapa da Violência Contra a Mulher, elaborado pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados. Com esse número, considerando a região norte, o estado de Rondônia fica atrás apenas do Amapá, que registrou 638 casos desse tipo de violência. No Brasil, foram 14.796 casos dos quais 58% dos agressores são parceiros das vítimas.


Outro dado alarmante divulgado pelo relatório diz respeito a estupro. Em 2018 foram 32.916 ocorrências no país. Em Rondônia foram 1.286 registros no ano passado. Na região norte apenas o Amazonas, que tem o dobro da população de Rondônia registrou número maior que este, sendo 1.533. “É uma realidade que precisa ser combatida. Milhares de mulheres sendo vítimas dentro de seus lares. E nós sabemos que esses números são inferiores aos reais casos. Muitas mulheres ainda passam por dificuldades, tem sua honra e dignidade ferida, mas se calam ou por medo ou por vergonha. É inadmissível que a mulher viva assim. É importante ela saber que ela pode ter ajuda”, disse a deputada federal Jaqueline Cassol.


A Mulher que é vítima de violência doméstica deve ter assistência do estado para garantir sua integridade física. Ela deve procurar a polícia e a Central de Atendimento à Mulher, ligando 180. O número funciona 24horas.
 







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

ADS NEWS 5

Veja também em Ação Parlamentar


Antigo prédio da ALRO pode vira hospital
Parlamentar propôs doação da sede anterior para Governo transformar estrutura em extensão do JP II...


Prefeitura de Cerejeiras contará com o apoio do senador Confúcio
Parlamentar articulará emendas com a bancada para construção da nova sede...


Presidente da Assembleia participa da entrega de maquinários para Nova Londrina e Nova Colina em Ji-Paraná
Ele também se comprometeu a encaminhar emendas para infraestrutura e escolas municipais...


Presidente Laerte Gomes indica recuperação de trecho da RO-473, em Urupá
Precariedade da rodovia está prejudicando o escoamento da produção agrícola da região...

 




 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News