Rondônia, - 14:11

 

Você está no caderno - Notícias da Região Norte
Carta com ameaças a alunas
MPF abre investigação sobre carta com ameaças a alunas do curso de geografia da UFPA em Altamira
Procuradoria vai investigar crimes de racismo, incitação ao genocídio e ameaça. A carta é anônima e foi deixada no centro acadêmico do curso
Publicado Domingo, 11 de Novembro de 2018, às 10:36 | Fonte Ministério Público Federal do Pará 0

 
 

Arte: Ascom MPF/PA

 

O Ministério Público Federal (MPF) determinou, nesta quinta-feira (8), a abertura de investigação criminal sobre uma carta com ameaças a alunas do curso de geografia da Universidade Federal do Pará (UFPA) em Altamira, na região do médio rio Xingu. A carta, anônima, foi encontrada no dia 31 de outubro, provavelmente passada por baixo da porta do centro acadêmico de geografia, contendo ameaças contra duas alunas que são lideranças do movimento estudantil.

A carta iniciava com os dizeres “Bem vindos ao Fascismo” (sic) e prosseguia anunciando que chegou o momento de “passar por cima de cada um de vocês, cada gay, cada sapatão, preto e preta”. “Vamos exterminar cada um de vocês. Vamos destruir cada um desse tal movimento estudantil, começando por vocês do Diretório Acadêmico, vamos começar com a preta que se acha dona da razão, a coordenação geral do D.A, vai aprender a ficar calada, vai aprender a ficar no lugar dela, vai aprender que preta não tem voz e nem vez”, dizia o texto para, em seguida, nominar duas alunas e ameaçá-las de morte.

O texto encerra-se com as frases “A UFPA vai ser nossa! Vamos colocar vocês no lugar onde merecem... Nas valas de Altamira! Se preparem porque a tortura vai começar. Viva Bolsonaro. Viva a Ditadura. Viva o Fascismo. Viva o Carlos Alberto Brilhante Ustra”. As alunas denunciaram a ocorrência nas redes sociais e o Movimento Xingu Vivo para Sempre enviou representação ao Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) em Altamira, mas o MPF entende que a competência para a investigação é federal, uma vez que o caso ocorreu no campus de uma instituição federal de ensino superior e por incidir no crime de incitação ao genocídio, que é objeto de convenção internacional de 1948.

No despacho de instauração da investigação, o MPF aponta a ocorrência de três crimes que reputa “gravíssimos” na carta: racismo (Lei 7.7716/1989), com pena de um a três anos de prisão e multa; incitação ao genocídio (Lei 2.889/1956), com penas de 6 a 15 anos de reclusão; e ameaça (art. 147 do Código Penal), com pena de um a seis meses de prisão ou multa. Para os procuradores da República que instauraram a investigação, é fundamental determinar a autoria da carta para levar os responsáveis à Justiça.

Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação
(91) 3299-0148 / 3299-0212
(91) 98403-9943 / 98402-2708
[email protected]
www.mpf.mp.br/pa
www.twitter.com/MPF_PA
www.facebook.com/MPFederal
www.instagram.com/mpf_oficial
www.youtube.com/canalmpf

 









Veja também em Notícias da Região Norte


Com quatro casos já confirmados em Manaus, FVS instala Sala de Resposta Rápida para Surto de Sarampo no Estado
A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), órgão da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), instalou, na manhã deste sábado (24/03), a Sala Estadual de Resposta Rápida para Surto de Sarampo....


Subcontroladoria-Geral de Ouvidoria atende ao cidadão via WhatsApp
...


Governo reforça segurança com mais 141 novos delegados de Polícia Civil
“Hoje finalizamos todas as etapas do concurso público, mas começamos outra, que é o trabalho efetivo dos novos policiais que irão reforçar a segurança pública em todo o Estado”, destacou o delegado-geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino, durante a ...


Em seis meses, Arsam registra o cumprimento de mais de 30 mil gratuidades no transporte intermunicipal
A fiscalização do cumprimento da gratuidade total ou parcial de tarifas é realizada pela Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos (Arsam)nas plataformas rodoviárias de Manaus e nos municípios de maior fluxo de passageiros....

 


ads2507



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News