Rondônia, - 04:45

 

Você está no caderno - @realdonaldtrump Fim do Mundo
Internacional
Trump e Kim preparam-se para aperto de mãos histórico
Publicado Terça-Feira, 12 de Junho de 2018, às 05:18 | Fonte Revista Exame 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=349513&codDep=68" data-text="Trump e Kim preparam-se para aperto de mãos histórico

  
 
 

Kim passeando por Cingapura antes de encontro com Trump: arsenal nuclear norte-coreano será questão central das conversações (KCNA/Reuters)

 

Donald Trump e Kim Jong Un se preparam para um encontro histórico e até há pouco inimaginável após décadas de tensões provocadas pelas ambições nucleares de Pyongyang.

Os dois homens, de trajetórias e estilos radicalmente diferentes e com mais de 30 anos de diferença, têm encontro marcado em Singapura.

O aguardado aperto de mãos entre o presidente americano e o líder norte-coreano, previsto para as 09H00 locais de terça-feira (22h00 de segunda, hora de Brasília), em um hotel de luxo, será acompanhado por milhões de pessoas em todo o mundo e tem lugar garantido nos livros de história.

Depois, os dois líderes terão um encontro a sós, antes de se reunirem com suas respectivas equipes e compartilharem um jantar de trabalho.

Mas, apesar da espetacular aproximação diplomática dos últimos meses, persistem muitas dúvidas sobre a cúpula entre os dois dirigentes.

Trump, que tem pouco mais de 500 dias na Casa Branca, vive um dos momentos mais importantes de sua Presidência no cenário internacional, onde tem desagradado muitos líderes, inclusive alguns dos aliados dos Estados Unidos.

Em uma série de tuítes postados horas antes do evento em Singapura, Trump indicou que os preparativos do encontro “iam bem”.

“Em breve todos saberemos se pode haver ou não um acordo real, diferentemente dos do passado”, tuitou, antes de atacar em outra mensagem os “haters e perdedores” que consideram uma concessão arriscada a Kim, com quem o presidente americano trocou ameaças e insultos durante meses.

A desenvoltura de Kim
Kim Jong Un, que até este ano não havia realizado nenhuma visita oficial ao exterior, aparentou desenvoltura diante das câmeras durante seu encontro com o premiê singapuriano.

Na noite de segunda-feira, o líder norte-coreano, que chefia um dos países mais fechados do mundo, desfrutou de um passeio em Singapura e visitou, visivelmente encantando, os locais turísticos mais emblemáticos da cidade.

Como os dois líderes vão se falar? Donald Trump será tão efusivo quanto pode ser com seus colegas das grandes potências? Quanto tempo o encontro vai durar?

Perguntas para as quais aguardam resposta os cerca de 5.000 jornalistas que, segundo o governo americano, viajaram a Singapura para cobrir a cúpula.

O arsenal nuclear norte-coreano, que provocou uma série de sanções da ONU ao longo dos últimos anos, será a questão central das conversações.

O chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, que se reuniu duas vezes com Kim Jong Un em pouco tempo, assegurou na segunda que as conversas entre Washington e Pyongyang haviam avançado rapidamente nos últimos encontros e se disse “muito otimista sobre as possibilidades de sucesso”.

Pompeo afirmou que os Estados Unidos estavam dispostos a aportar à Coreia do Norte “garantias de segurança únicas, diferentes” das propostas feitas até agora, em troca de uma desnuclearização “completa, comprovável e irreversível”.

A Coreia do Norte, que multiplicou desde 2006 os testes nucleares e balísticos, se declarou favorável à desnuclearização, embora nunca tenha entrado em detalhes sobre a forma de realizá-la.

– “Desde o primeiro momento” –

Trump, que costuma se vangloriar de sua capacidade de negociação e de seu instinto, assegura que saberá “desde o primeiro minuto” de seu encontro com o líder norte-coreano se ele estará disposto a avançar.

A incógnita agora é saber se, apesar dos preparativos caóticos e dos sinais às vezes contraditórios enviados pelo governo Trump, o atípico presidente americano conseguirá o que nenhum de seus antecessores conseguiu.

Analistas e historiadores acreditam haver uma possibilidade, mas lembram que o regime de Pyongyang tem um histórico de promessas descumpridas. Em 1994 e em 2005 foram fechados acordos nunca aplicados.

“Trump provavelmente cantará vitória seja qual for o resultado da cúpula, mas a desnuclearização da península coreana é um processo que vai levar anos”, avalia Kelsey Davenport, da Arms Control Association. A “verdadeira prova” será “a adoção ou não pela Coreia do Norte de medidas concretas para reduzir a ameaça que representam suas armas nucleares”.

O chefe da diplomacia americana garante, no entanto, que a situação é totalmentediferente desta vez e que o encontro dará frutos.

“Só há dois homens que podem tomar decisões de tamanha importância. Estes dois homens estarão sentados na mesma sala”, afirmou Pompeo na véspera da cúpula.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

ADS NEWS 5

Veja também em @realdonaldtrump Fim do Mundo


Donald Trump queria usar o Departamento da Justiça para investigar James Comey e Hillary Clinton
Presidente dos Estados Unidos disse a um dos seus conselheiros que queria pedir ao Departamento de Justiça que movesse acusações contra a sua adversária nas presidenciais de 2016, Hillary Clinton e contra o ex-diretor do FBI, James Comey. Os seus a...


Donald Trump afasta procurador-geral Jeff Sessions
m dia após as eleições intercalares, o Presidente norte-americano anunciou no Twitter a demissão do procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions. Matthew G. Whitaker será o sucessor...


Trump fala em “cobertura hostil” dos media que favoreceu democratas
Num discurso mais conciliador, o Presidente norte-americano afirmou que os resultados das eleições intercalares podem revelar “uma situação de bipartidarismo maravilhosa”. Mas não deixou de apontar o dedo à Comunicação Social, que na sua opinião, f...


Trump adverte que pode tirar acreditações a mais jornalistas
Sobre a hipótese de devolver a acreditação ao jornalista da CNN cuja credencial foi suspensa pela Casa Branca, o Presidente norte-americano Trump disse não ter tomado essa decisão e voltou a criticá-lo: “Jim Acosta é um homem muito pouco profission...

 


ADS NEWS 3




 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News