Rondônia, - 16:39
 

POLÍTICA

 

ELEIÇÕES

 

ECONOMIA

 

ESPORTES

 

POLÍCIA

 

ÚLTIMAS

 

 

Você está no caderno -
Dalila Nogueira Pinto
Apresentador do programa Comando Policial revela desafios
Publicado Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2008, às | Fonte ARIQUEMES ONLINE
  Notícia visualizada vezes
 

Jornalismo Policial para Augusto José, apresentador do Comando Policial (SBT), é um desafio, porque mexe com o lado escuro do ser humano e com as emoções do jornalista, o que torna difícil separar o lado pessoal do profissional.
 


 

 

Augusto José Soares, aos 42 anos, é acadêmico do 6° período de jornalismo da Uniron, assessor de imprensa da prefeitura e editor de polícia do site Rondoniagora, é um dos profissionais de destaque na área de jornalismo policial em Porto Velho.  Já trabalhou nas Rádios Caiari, Tropical e Parecis.Atua como jornalista há 15 anos e busca trabalhar com ética e seriedade. O apresentador do programa Comando Policial da TV Alamanda, revela seus desafios profissionais.

 

O que lhe levou a atuar na área de jornalismo?

Cresci no interior, onde o único meio de comunicação do qual eu tinha acesso era o rádio. Cresci ouvindo rádio, o que me incentivou a trabalhar nesse meio. Na cidade, me capacitei em cursos de técnica vocal e me preparei para atuar no rádio. Trabalhei nas Rádios Caiari, Tropical e Parecis. Estagiei na Rádio Nacional, em um programa religioso. Trabalhei com o jornalista Dalton Di Franco em um programa onde havia debates sobre a segurança pública e os problemas gerais, de Porto Velho. Além do rádio, atuei também no jornalismo impresso e em assessoria de imprensa.

 

Quando e como surgiu a oportunidade de trabalhar em um programa policial de TV? A oportunidade surgiu no final do ano de 2006. Nilton Salinas, diretor de jornalismo da TV Alamanda na época, me apresentou o projeto do programa e fez o convite. Gostei do formato do programa por ser diferente de tudo o que eu já havia visto em jornalismo policial. O objetivo era de um programa humanizado, sem baixarias ou desrespeito à imagem das pessoas. Eu havia recebido outros convites, mas não envolvia o nível e a estrutura de um programa como o Comando Policial.

 

Qual a maior dificuldade enfrentada ao sair da rádio para apresentar um programa de TV? Sempre fui tímido, mas resolvi superar a timidez. Essa superação representou uma realização profissional e pessoal.

 

Qual é o maior desafio em fazer jornalismo policial?

O jornalismo policial é um desafio em si mesmo, porque você trata do lado mais “escuro” do ser humano, além de tratar das questões sociais envolvidas. A maioria das pessoas comete crimes por causa das circunstâncias sociais, reagem por desespero à situação em que vivem. Também me emociono ao ver pais desesperados porque seus filhos estão envolvidos no crime, nas drogas. Pois sou pai, tenho dois filhos e, é difícil separar o lado pessoal do profissional.

 

Cite o caso de polícia que mais lhe chocou?

Foi em 2005, quando eu elaborava uma matéria para o site Rondoniagora e fiz a cobertura da rebelião no presídio Urso Branco. Presenciei presos serem assassinados, de forma brutal, diante da mídia, diante das autoridades. Vi mães gritarem, desmaiarem ao ver a cena. Eu não os via como presos, criminosos, mas como pessoas, vítimas da desumanidade. Eu não podia fazer nada e isso mexeu muito com meu emocional.

 

Qual é a maior contribuição do jornalismo policial para a sociedade? É a prestação de serviço. Não faço jornalismo policial porque quero expor as pessoas ou porque gosto de ver casos de crimes. Trabalho para conscientizar a sociedade, para mostrar que é importante respeitar a vida e agir com responsabilidade social.

Dalila Nogueira Pinto – Acadêmica do 6° período de jornalismo


 
 
 


 
 

 




 





 
 
 
 
::: EMRONDONIA.COM ::: ARIQUEMES ONLINE - PORTAL DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA - Jornalismo em tempo real em Rondônia - online desde: 2007
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE

Agora no Site:   Visitantes: