Rondônia, - 04:59

 

Você está no caderno - Rondônia
simulação de guerra na amazônia
Exército Brasileiro faz simulação de guerra sem precedentes na Amazônia
O Exército brasileiro gastou R$ 6 milhões somente em combustível, horas de voo e transporte para simular uma guerra entre dois países na Amazônia
Publicado Sábado, 17 de Outubro de 2020, às 09:18 | Fonte O Globo / Ministério da Defesa 0
  WhatsApp - (69) 9 9967-8787
 

O Exército brasileiro gastou R$ 6 milhões somente em combustível, horas de voo e transporte para simular uma guerra entre dois países na Amazônia, numa operação militar inédita, que ainda não havia sido feita no país.

Os militares decidiram criar um campo de guerra em que um suposto país “Vermelho” invadiu um país “Azul”, sendo necessário expulsar os invasores.

A simulação ocorreu num momento de animosidade com a vizinha Venezuela, praticamente ao mesmo tempo em que o governo brasileiro decidiu retirar as credenciais dadas aos diplomatas do regime de Nicolás Maduro que atuam no Brasil.

A operação envolveu 3,6 mil militares e se concentrou nas cidades de Manacapuru, Moura e Novo Airão, no Amazonas, num raio de 100 a 300 quilômetros de Manaus.

A “guerra” na região amazônica ocorreu entre 8 e 22 de setembro. No dia 18 daquele mês, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, fez uma visita a Roraima, região de fronteira com a Venezuela.

O chefe da diplomacia de Donald Trump esteve em Boa Vista — a 840 quilômetros de Manacapuru — e foi ciceroneado pelo chanceler Ernesto Araújo.

A visita foi duramente criticada, por ter ocorrido durante a campanha eleitoral em que Trump busca a reeleição, por ter se passado na região de fronteira e por ter emitido um sinal belicoso da relação de EUA e Brasil com a Venezuela.

O valor gasto com a chamada Operação Amazônia, que incluiu o lançamento de mísseis com alcance de 80 quilômetros, foi obtido pelo jornal O GLOBO por meio da Lei de Acesso à Informação.

A lei também foi usada para obter a informação sobre o ineditismo da operação. Antes, o Ministério da Defesa se recusou a fornecer essas informações.

“Dentro da situação criada e com os meios adjudicados, foi a primeira vez que ocorreu este tipo de operação”, informou o Exército à reportagem.

Os R$ 6 milhões gastos saíram do Comando de Operações Terrestres (Coter). A Força não informou os outros gastos com a operação, além de combustível, horas de voo e transporte de civis.

“Foram empregados diversos meios militares, tais como viaturas, aeronaves (aviões e helicópteros), balsas, embarcações regionais, ferry-boats, peças de artilharia, o sistema de lançamento de foguetes Astros da artilharia do Exército, canhões, metralhadoras, ‘obuseiro’ Oto Melara e morteiros 60, 81 e 120 mm.





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Rondônia


Deputados estaduais votam projetos e vetos do Executivo
Destaque para a aprovação de crédito suplementar para o Ipem, no valor de R$ 1,9 milhões....


Governo celebra 34 anos de criação do Detran Rondônia com outorga de medalhas para servidores e autoridades
Em comemoração aos 34 anos de criação do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) Rondônia foi realizado na manhã desta quarta-feira (21)......


Dr. Neidson destina emenda de R$ 25 mil para apoiar 19ª Missão do Barco Hospital Walter Bártolo
Ação contará com cerca de 50 profissionais da área da médica para atendimentos à comunidades indígenas e ribeirinhas da região de Guajará-Mirim....


Governo e Instituto Federal promovem capacitação para mil agentes do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente
O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas) divulga a Capacitação de Formação Inicial e Continuada do Instituto Federal de Educação......

 
 
 

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE