Rondônia, - 02:55

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
Tecnologia
Prepare-se: devemos ter o primeiro iPhone custando mais de R$ 10 mil no Brasil
Publicado Quinta-Feira, 13 de Setembro de 2018, às 05:42 | Fonte Olhar Digital 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=353985&codDep=41" data-text="Prepare-se: devemos ter o primeiro iPhone custando mais de R$ 10 mil no Brasil
  
  WhatsApp - (69) 9 9967-8787
 

(Foto: Reprodução)


A Apple anunciou os novos iPhones XS e, para surpresa de ninguém, a empresa continua apostando em aparelhos caros, que chegam à faixa de preço dos US$ 1.000. Apesar de a surpresa ter passado longe nesse aspecto, a notícia ainda é negativa para os brasileiros que têm tudo para receber o iPhone mais caro da história.

Já é tradição que, ano após ano, o Brasil tem o iPhone mais caro do mundo. Os motivos são dois: a alta carga tributária brasileira e o próprio custo-Apple, que é maior do que qualquer outra empresa de eletrônicos mais convencional. No entanto, neste ano, temos mais um fator pesando contra os brasileiros que quiserem comprar o celular por aqui: o dólar.

Você pode ter acompanhado nos noticiários nos últimos tempos. O dólar está alcançando patamares próximos dos maiores da história, chegando perto dos R$ 4,20 nas últimas semanas. Há algumas razões que explicam isso, como a economia combalida e, especialmente, a preocupação com o processo eleitoral brasileiro.

Independentemente das razões, o dólar com uma cotação nessa faixa praticamente garante que o novo iPhone chegará ao Brasil custando uma fortuna ainda maior do que nos anos anteriores. Para isso, vamos comparar a situação da cotação do dólar no ano passado.

Entre setembro de 2017 (apresentação do iPhone X) e novembro (chegada do iPhone X ao Brasil), o dólar oscilou entre R$ 3,0945 e R$ 3,3094. Isso não impediu que o aparelho chegasse ao país com o preço sugerido de R$ 7.000, enquanto o preço nos EUA, sem incluir os impostos calculados na hora da compra que variam de cidade para cidade, era de US$ 1.000.

Diante disso, poderíamos pensar em uma aplicação da famosa regra de três. Considerando que, com o dólar custando R$ 3,20 (média do período entre setembro e novembro), o iPhone X de US$ 1.000 custou R$ 7.000 no Brasil, quanto custaria um iPhone lançado por US$ 1.000 com o dólar a 4,20? A resposta não é nada amigável: o aparelho teria o preço sugerido de aproximadamente R$ 9.200.

Esse poderia ser o preço do iPhone XS mais barato, com 64 GB de armazenamento. E se olhássemos o aparelho mais caro? Estamos falando do iPhone XS Max, com 512 GB de espaço, que custará US$ 1.450. Neste caso, o preço poderia passar de R$ 13,3 mil, colocando com folga o preço de um iPhone acima dos R$ 10 mil.

Mas e se o usuário não quiser o top de linha e se contentar com o aparelho mais modesto, o iPhone XR? Neste caso, a comparação será outra. O iPhone 8, por exemplo, foi lançado por US$ 700, o que se traduziu em um preço de R$ 4.000 no Brasil com o dólar a R$ 3,20. Enquanto isso, o XR tem o preço-base de US$ 750, mas o dólar está bem mais alto. Com o cálculo proporcional, o preço do novo aparelho ficaria em R$ 5.600, o que faz sentido quando comparamos, por exemplo, aos preços cobrados pela Samsung com o Galaxy Note 9.

Claro que existem muito mais fatores para a Apple definir o preço final dos novos iPhones no Brasil do que uma simples regra de três. Os valores mencionados são uma estimativa proporcional que provavelmente serão bastante diferentes da realidade. No entanto, o cálculo deixa claro uma coisa: quem quiser comprar um novo iPhone no Brasil vai ter que pagar bem caro por isso se o dólar não cair bastante até o lançamento. 

 





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Tecnologia e Vida Digital


Desafio dos 10 anos levanta debate sobre reconhecimento facial
Jogo que viralizou no Facebook levantou discussão entre especialistas ...


Contra fake news, WhatsApp limita encaminhamentos
Com 1,5 bilhão de usuários, o aplicativo para Android e iPhone tenta minimizar problemas de disseminação de notícias falsas e boatos...


Limite de reenvio de mensagens para 5 pessoas no WhatsApp passa a ser global
Objetivo é combater a disseminação de fake news e a desinformação que vem se espalhando cada vez mais entre os usuários do aplicativo de mensagens....


Bug no Twitter pode ter exposto publicações de usuários por anos; entenda
...

 
 
 

 

Ads Emro Noticias 1



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE