Rondônia, - 07:11

 

Você está no caderno - Economia
Economia
Fast Shop alega erro em site e cancela venda; saiba o que é preço vil
Publicado Terça-Feira, 12 de Junho de 2018, às 06:00 | Fonte Veja.com 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=349549&codDep=20" data-text="Fast Shop alega erro em site e cancela venda; saiba o que é preço vil
  
  WhatsApp - (69) 9 9967-8787
 

Entidades de defesa do consumidor dizem que alegações de preço vil devem ser analisadas caso a caso, pois o comprador pode ter acreditado que se tratava de promoção (iStock/Getty Images)

 

Clientes que compraram produtos no site da Fast Shop no último dia 4 receberam super descontos na hora de fechar a compra. Uma TV de 32 polegadas da Samsung, por exemplo, foi vendida por 543,80 reais, um desconto de 52%. Um desses consumidores chegou a receber a nota fiscal da compra. O problema é que a empresa cancelou o pedido após alguns dias.

Ao entrar em contato com a Fast Shop, o cliente foi informado que a TV não poderia ter sido vendida por aquele valor. Não recebeu nenhum pedido de desculpas nem foi avisado com antecedência sobre o cancelamento.

Procurada, a Fast Shop informou que uma intermitência de alguns minutos fez com que clientes recebessem descontos indevidos e excessivos na hora de colocar o produto no carrinho de compra. “Esses descontos indevidos não foram parte de nenhuma promoção ou ação de marketing/comunicação. Foram gerados por uma instabilidade no sistema.”

A empresa afirma ainda que tentou manter os descontos prometidos para grande parte dos clientes. “No entanto, para a minoria desses casos, o valor da compra se tornou inviável de ser cumprido. Inclusive, tivemos situações em que o consumidor fechou o carrinho de compra com valor zero pelo produto”, informa a Fast Shop em nota.

A rede varejista diz que esses cancelamentos são previstos em lei – caso do chamado preço vil – excessivamente baixo. “Nas situações em que não conseguimos arcar nem com o custo da mercadoria, não tivemos condições de manter as vendas que foram realizadas.”

O advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Igor Marchetti, diz que alegações de preço vil devem ser analisadas caso a caso. “É necessário verificar alguns pontos para apontar se o preço apontado na loja era vil ou se estava mencionado como um desconto extraordinário. Lembramos, entretanto, que em eventos como Black Friday é comum existir descontos atípicos de até 70% do valor normal do produto, e não poderiam ser enquadrados como erro material da forma alegada pela empresa. Promoções em período anterior a Copa do Mundo também costumam oferecer descontos significativos.”

Uma das formas de verificar se a alegação da Fast Shop faz sentido é analisar o anúncio de venda. “Se a chamada para a promoção fizer menção ao desconto de cerca de 50% do valor ou algo que faça crer ser uma oferta inequívoca, considera-se descabida a alegação da empresa.”

O Procon-SP informa que casos como esse devem ser avaliados individualmente. “A avaliação que fazemos nesses casos é com relação às condições da oferta e quais as informações que constavam nessa oferta. […] Existem aparelhos de televisão vendidos por 500 reais? A loja vende aparelhos nesse valor? É impossível uma promoção que venda o aparelho por 500 reais:.”

Na avaliação do Procon-SP, o consumidor pode ter feito a compra de boa-fé, “acreditando que de fato o produto estava com um preço promocional”. “Não necessariamente o consumidor percebeu que se tratava de um preço impossível de ser praticado.”

 





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Economia


Veja a cotação do dólar, peso e outras moedas hoje
Confira a a cotação do dólar, peso e outras moedas hoje...


Receita cobra: o que é R$ 69 milhões para o Neymar
Multa é referente à transferência do jogador do Santos para o Barcelona, em 2013...


23% dos trabalhadores devem usar 13º salário com presentes de Natal
27% vão economizar e 17% quitar dívidas em atraso com dinheiro extra. Apenas 11% vão priorizar pagamento de impostos e tributos de início de ano. Segundo pesquisa, 44% dos consumidores brasileiros vão recorrer a bicos para comprar mais presentes de...


Um em cada quatro brasileiros vive com menos de R$ 406 por mês
Estudo do IBGE mostra que de 2016 para 2017 cresceu para 54,8 milhões no número de pessoas que vivem com menos de R$ 406 mensais. Norte e Nordeste têm o maior percentual de pobres na população. DF é a unidade da Federação mais desigual...

 
 
 

 

Ads Emro Noticias 1



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE