Rondônia, - 13:27

 

Você está no caderno - Notícias da Região Norte
Mercado de trabalho
Egressos da Fasepa aprendem em palestra a planejar finanças
Familiares e jovens egressos do sistema socioeducativo, beneficiados pelos programas Jovem Aprendiz e Bolsa Aprendizagem, participaram na manhã desta segunda-feira (12) de uma palestra sobre “Planejamento Financeiro: Pessoal e Familiar”, no auditório da sede da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), em Belém.
Publicado Terça-Feira, 13 de Março de 2018, às 09:05 | Fonte Governo do Pará 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=344582&codDep=71" data-text="Egressos da Fasepa aprendem em palestra a planejar finanças
  
  WhatsApp - (69) 9 9967-8787
 

A assessora da Fasepa, Sônia Gama, explicou que a palestra sobre planejamento financeiro é essencial para que os jovens possam refletir sobre o que ganham e de que forma podem transformar essa renda em bem-estar social

 

Familiares e jovens egressos do sistema socioeducativo, beneficiados pelos programas Jovem Aprendiz e Bolsa Aprendizagem, participaram na manhã desta segunda-feira (12) de uma palestra sobre “Planejamento Financeiro: Pessoal e Familiar”, no auditório da sede da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), em Belém.

A iniciativa visa direcionar os jovens para o mercado de trabalho, dentro de um processo educativo inclusivo, em eles participarão de um processo de seleção para ingressar no Grupo Formosa, por meio do Programa Jovem Aprendiz. O encontro foi promovido pela Coordenação de Regionalização e Apoio à Municipalização (Cream), e contou com a participação da assessoria da presidência da Fasepa e Associação Proativa.

Rever algumas decisões equivocadas faz parte do processo de amadurecimento dos jovens. Nesse sentido, um dos 10 rapazes que participaram do encontro nesta manhã disse que “esse encontro é muito importante, porque possibilita que os jovens saibam gastar seu dinheiro com responsabilidade, para melhorar seu bem-estar e da família. Hoje eu aprendi a distinguir o que é necessidade e prioridade”, disse o rapaz de 18 anos, que ficou por 10 meses cumprindo medida socioeducativa, e atualmente trabalha no supermercado Formosa.

Ainda segundo ele, foi na medida socioeducativa que parou para refletir sobre seus erros e como agir para não mais cometê-los. “A medida socioeducativa me trouxe mais serenidade, capacidade para pensar e resolver os meus problemas, e não aumentar ainda mais eles. O meu ambiente de trabalho é muito bom, as pessoas do Formosa me acolheram muito bem e têm me ajudado bastante. Sempre me orientam e estão tendo paciência comigo”, declarou o rapaz.

Metodologia - Com instrumentais metodológicos que enfatizam a importância do trabalho, a Fasepa adota critérios técnicos avaliativos levando em consideração as fases do atendimento socioeducativo (inicial, intermediária e conclusiva) na perspectiva de inserir e acompanhar os jovens no campo profissional, explicou a assessora da presidência da Fasepa, Sônia Gama.

“A palestra lança reflexões a partir de uma tomada de consciência por parte dos socioeducandos e suas famílias. Dentro do tema proposto, nós optamos em trabalhar o planejamento financeiro na perspectiva de que eles possam refletir sobre o que ganham, o que a família ganha, o que eles acumulam de renda, e de que forma essa renda poderá ser revertida em prol do bem-estar social daquelas pessoas. Isso possibilita que eles deem um sentido sustentável a esse recurso, como para o desenvolvimento com qualificação profissional”, ressaltou Sônia Gama.

Aprendizes - O diretor pedagógico da Proativa, Adalberto Rodrigues, frisou que a importância da parceria entre diferentes instituições (público- privado) é oferecer aos jovens em cumprimento de medida socioeducativa, atendendo a uma recomendação prevista em lei, novos horizontes profissionais. “A importância da parceria se dá exatamente em oportunizar aos adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa, uma possibilidade de inserção no mercado do trabalho primeiro na condição de aprendizes, atendendo à Lei 10.097/2000, que atribui às empresas a contratação dessas pessoas. Com isso, há grandes chances de eles continuarem nessa atividade produtiva como funcionários das empresas, dependendo da necessidade”, informou Adalberto Rodrigues.

A Lei 10.097/2000 determina que empresas de médio e grande porte devem contratar jovens de 14 a 24 anos como aprendizes. O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na empresa, combinando formação teórica e prática.

Por Alberto Passos

 





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Notícias da Região Norte


Governo declara Terra Indígena de dois milhões de hectares no norte do Pará
Área consolida cinturão de proteção socioambiental no norte da Amazônia e atende a reivindicação de pelo menos oito comunidades indígenas...


Operação Hospitator apura fraudes em licitações no Pará
Receita Federal, Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) e Polícia Federal deflagraram no dia (20) a Operação Hospitator, com o objetivo de apurar fraudes em processos licitatórios e desvios de recursos públicos das áreas d...


Museu Emílio Goeldi, do Pará, quase fechou por falta de recursos
Como ocorreu com todos os órgãos federais, sofreu um contingenciamento de cerca 40%, que ameaçou o funcionamento de duas de suas quatro bases em outubro...


Jungmann defende decisão do governo de empregar a GLO em Roraima
Para ministro, decreto dispensa intervenção federal na segurança...

 
 
 

 

Ads Emro Noticias 1



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE