Rondônia, - 20:48

 

Você está no caderno - Notícias da Amazônia
devastação na Amazônia
ONG registra aumento nos números do desmatamento na Amazônia
Segundo dados da ONG, publicados pela Folha, foram 3.322 km², contra 2.044 km² no período anterior. Não é possível extrapolar o percentual de 63%, contudo, para a taxa oficial de devastação.
Publicado Quinta-Feira, 27 de Agosto de 2015, às 16:25 | Fonte Com informações de agências / portal@d24am.com 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=297293&codDep=38" data-text="ONG registra aumento nos números do desmatamento na Amazônia
  
  WhatsApp - (69) 9201-1314
 

Não é possível extrapolar o percentual de 63%, contudo, para a taxa oficial de devastação. Foto: Greenpeace/Divulgação

São Paulo - O sistema independente de alerta (SAD), da ONG Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), reforçam a hipótese de que o desmatamento na Amazônia tenha voltado a aumentar no período 2014-15 (agosto a julho). Os números apontam um salto de 63%.
 
Segundo dados da ONG, publicados pela Folha, foram 3.322 km², contra 2.044 km² no período anterior. Não é possível extrapolar o percentual de 63%, contudo, para a taxa oficial de devastação.
 
A taxa é calculada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), cujo sistema Prodes emprega imagens de satélite mais detalhadas. O dado governamental foi recentemente consolidado, mas para o período anterior (2013-14). A cifra divulgada em novembro (4.848 km²) passou para 5.012 km².
 
Divergências
 
Segundo publicação da Folha, o SAD detectou, ainda, áreas desmatadas que não aparecem no Prodes, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Comparando os polígonos de terra nua, sobraram 442 km² nos mapas do Imazon sem superposição com os do Inpe.
 
A primeira explicação possível para essa outra divergência está nas nuvens. Como há muito mais imagens disponíveis do Modis, o Imazon pode escolher mais fotografias livres delas.
 
Outra hipótese é que, por essa razão ou outra, o Inpe tenha usado muitas imagens de meses anteriores –maio, por exemplo– ao início da estação de derrubada, com a diminuição de chuvas a partir de julho. Alguns desmatamentos podem ficar de fora num ano, mas aparecerão nos seguintes.
 
Uma terceira possibilidade é a própria deficiência da dupla SAD/Modis. Como as imagens têm resolução pior, os perímetros dos polígonos podem ser "arredondados" para cima, e essas superfícies artificialmente acrescentadas a eles acabariam subtraídas nas fotografias mais acuradas do Landsat.
 

  





Curta nossa página no Facebook ou deixe seu comentário



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

 
 
Veja também em Notícias da Amazônia


Cura Milagrosa: Adolescente amazonense de 14 anos sobrevive a raiva humana; caso é o segundo no Brasil
Primeiro comunicado do ministério dava a entender que menino estava curado. Mais tarde, uma nova nota retificou e esclareceu a primeira informação....


Exército assume buscas por agricultores desaparecidos em área de conflito agrário no AM
Doze soldados estão buscando pelos trabalhadores rurais em Canutama. Polícia Civil do AM diz que enviou equipes ao local para ajudar nas buscas....


Madeireiros abrem mais de 200 km de estradas na Amazônia
O custo estimado é de R$ 1,4 milhão –cada quilômetro de terra construído na região sai em torno de R$ 7 mil....


Brasileiro Sebastião Salgado entra em Academia de Belas Artes francesa
O fotógrafo Sebastião Salgado tomou posse quarta-feira (6) na Academia de Belas Artes de Paris, na França, onde mora. Ele é o primeiro brasileiro a ocupar uma cadeira na entidade. ...

 
 
 

 



 


::: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE