Rondônia, - 14:01

 

Você está no caderno - CIÊNCIA E SAÚDE
Ciência
Consumo de carne de marmota leva a casos de peste bubônica na Mongólia
Doença que provocou a Peste Negra no século 14 pode ser causada por interação ou consumo de roedores infectados pela bactéria Yersinia pestis. Entenda
Publicado Domingo, 5 de Julho de 2020, às 16:09 | Fonte Galileu 0

 
 

(Foto: Armatus1995/Wikimedia Commons)

Consumo de carne de marmota leva a novos casos de peste bubônica na Mongólia. Acima: Marmota alpina perto da cidade de Salzburgo, na Aústria.

 

 

Dois casos suspeitos de peste bubônica foram identificados na província de Khovd, na Mongólia, associdados ao consumo de carne de marmota. As autoridades locais isolaram a região, que fica próxima à fronteira com a China e a Rússia, e suspenderam a entrada e partida de veículos temporariamente.

O Centro Nacional de Doenças Zoonóticas da Mongólia também identificou 146 pessoas que entraram contato com os dois infectados e tiveram amostras coletadas e analisadas. Outros 504 habitantes tiveram contato secundário com os pacientes. Segundo à imprensa local, os enfermos são dois irmãos de 27 e 17 anos que estão sendo tratados em diferentes hospitais de Khovd.

Em 2019, a Mongólia já havia registrado outros casos de peste bubônica, como em maio, quando um casal morreu após também comer carne de marmota, e em novembro, quando um homem de 55 anos foi diagnosticado com a doença depois de ingerir carne de coelho.

De acordo com a Associação Internacional de Assistência Médica para Viajantes, "o risco de peste está presente em toda a Mongólia, incluindo os distritos de Bayanhongor, Bayan-Olgiy, Govi-Altai e Dzavhan." A transmissão pode ocorrer em qualquer parte do ano.

A Peste

Causada pela bactéria Yersinia pestis, a peste bubônica pode ser transmitida pela mordida ou consumo de carne de roedores infectados, como esquilos, ratos-da-madeira, cães-da-pradaria, marmotas, coelhos e ratos.

A infecção provocada pelo microrganismo pode se manifestar de três formas. A primeira e mais "leve" é a peste bubônica, que ocorre quando as glândulas linfáticas são afetadas, formando bulbos. A segunda, chamada de peste septicémica, se dá quando o a bactéria entra na corrente sanguínea. Por fim, a terceira forma da doença é a peste pulmonar, responsável por afetar o sistema respiratório e disseminar a bactéria de pessoa para pessoa através de gotículas contaminadas.

Conhecida por ter provocado a morte de mais de 50 milhões de pessoas na Europa e na Ásia durante o século 14, na pandemia da Peste Negra, a Yersinia pestis continua a fazer vítimas até hoje. Cerca de 2 mil novos casos são relatados a cada ano, sendo as regiões da África, Ásia e Américas do Sul e do Norte as mais suscetíveis. O úlitmo surto de peste bubônica foi registrado entre agosto e novembro de 2017, em Madagascar, com 2.348 casos confirmados e suspeitos e 202 mortes.

Hoje em dia, o tratamento da doença pode ser feito com antibióticos e não há vacinas licenciadas para prevenir a praga. Se não tratada, sua letalidade pode variar entre 30% e 100%, dependendo da forma de infecção.

Com informações do The Moscow Times, Reuters, OMS e IAMT.







Veja também em CIÊNCIA E SAÚDE


O que o seu sabor favorito de sorvete diz sobre a sua personalidade?
A pesquisa foi realizada pela OnePoll, nos Estados Unidos ...


Flavonoides: O que são e para que servem
Estudos sugerem que eles agem como antioxidantes e podem ajudar a proteger contra doenças crônicas. ...


Crianças têm atraso na fala e maior dependência dos pais na pandemia
Há quatro meses em isolamento, famílias com crianças pequenas têm identificado mudanças no comportamento e no desenvolvimento infantil com a restrição de convívio social ...


Pesquisadores sugerem novo método para calcular idade dos cães baseado em análise genética
Já é bem sabido que o melhor amigo do homem envelhece de maneira diferente de nós......

 




 
Pub
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News