Rondônia, - 20:24

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
fake news
Senado aprova texto-base do PL sobre fake news
Às pressas e sem devida discussão, projeto que recebeu 44 votos a favor, preocupa e traz uma série de problemas como vigilância, identificação em massa
Publicado Quarta-Feira, 1 de Julho de 2020, às 08:08 | Fonte Olhar Digital 0

 
 

O Senado acaba de aprovar na noite desta terça-feira (30) o texto-base do projeto de lei nº 2.360/2020, conhecido como PL das fake news. Com 44 votos a 32, e 2 abstenções, o texto ainda pode ser alterado pelos senadores, que vão analisar propostas em separado à matéria. Após esta etapa, o PL segue para a Câmara dos Deputados. Acelerado após pouca discussão e inúmeros adiamentos, o projeto de lei que trata sobre a divulgação de notícias falsas e serviços de mensagens, não foi recebido com simpatia pela sociedade civil por atacar à liberdade de expressão e por ferir princípios fundamentais da privacidade. No Twitter, o advogado e professor do ITS Rio, Ronaldo Lemos, criticou o projeto. "Trata-se de controlar 100% o conteúdo e 0% de combater a fonte de financiamento de campanhas de desinformação (o "follow the money"), que é o problema central. Combate às folhas e não à raiz do problema", escreveu. O texto aprovado nesta noite é a versão desidratada do texto original, ou seja, com a retirada do ponto polêmico que exigia documentação (CPF, identidade e passaporte) e número de celular para se criar um perfil em rede social. 

Entretanto, o novo relatório de Angelo Coronel (PSD-BA), divulgado no fim da noite desta segunda-feira (29), ainda responsabiliza as plataformas de identificarem, em casos suspeitos, os usuários e os seus respectivos conteúdos publicitários e impulsionados.

O texto apresentado ainda propõe a exigência de guarda dos registros da cadeia de reencaminhamentos de mensagens do WhatsApp, para possível identificação da origem de conteúdos suspeitos. O armazenamento de registros se dará apenas para mensagens que foram reencaminhadas mais de cinco vezes, o que configuraria viralização. Esses dados só serão acessíveis em casos de ordem judicial e quando tais mensagens atingirem acima de mil usuários. Essa rastreabilidade das mensagens foi criticada por Pablo Bello, diretor de Políticas Públicas do WhatsApp para a América Latina. "É como se pusessem uma tornozeleira eletrônica em todos os usuários de WhatsApp no Brasil - poderão monitorar todos os movimentos das pessoas, saber com quem todo mundo fala por mensagem", comentou Bello à Folha.  

Do texto final, ainda ficaram isentas as penalizações criminais por disseminação de fake news, excluindo casos de financiamento de redes de fake news de ordem criminosa e lavagem de dinheiro. Também, foge à obrigação das empresas a identificação prévia do uso de pseudônimos para inscrição em rede social. Além disso, foi excluído do texto final o artigo sobre a remuneração por uso de conteúdos jornalísticos, artísticos e outros por redes sociais.

 
O projeto
O PL nº 2.630/2020 cria a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, que altera o Marco Civil da Internet (MCI), a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), o Código de Defesa do Consumidor e a Lei das Eleições. Originalmente, o texto é de autoria dos deputados Felipe Rigoni (PSB-ES), Tábata Amaral (PDT-SP) e pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). 







Veja também em Tecnologia e Vida Digital


Recipiente de álcool em gel pode ter feito painel de carro derreter
Mulher do Distrito Federal deixou pote com a substância dentro do veículo; quando voltou, encontrou um estrago...


Covid-19: cientistas isolam anticorpos eficazes no combate ao vírus
Em laboratório, anticorpos de pacientes curados foram capazes de eliminar o novo coronavírus do organismo de um hamster.... ...


Governo de Singapura alega fake news e bloqueia página no Facebook
Coordenada por um ativista político de oposição, página States Times Review foi bloqueada pela terceira vez após acusações por divulgar informações falsas...


Com distribuição desigual, Brasil abre 21 mil novos leitos de UTI
Apenas 42% dos novos leitos foram disponibilizados para o SUS, que atende a maior parte da população; serviços estão concentrados nas capitais e não chegam nas regiões interioranas do país ...

 




 
Pub
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News