Rondônia, - 18:23

 

Você está no caderno - CIÊNCIA E SAÚDE
Variedades
Uma possível nova minilua foi detectada ao redor da Terra
Astrônomos do projeto Catalina Sky Survey, no Arizona (EUA), dizem ter detectado uma rara minilua ao redor da Terra.
Publicado Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2020, às 11:22 | Fonte Gizmodo 0

 
 

A possível nova minilua, observada durante a noite de 15 de fevereiro de 2020. Imagem: Catalina Sky Survey

 

Astrônomos do projeto Catalina Sky Survey, no Arizona (EUA), dizem ter detectado uma rara minilua ao redor da Terra. Infelizmente, nem adianta se apegar a este novo satélite natural, pois a rocha — se é que ela é realmente uma rocha — ficará ao redor do planeta por apenas alguns meses.

A minilua, apelidada de 2020 CD3 e também conhecida como C26FED2, foi vista por astrônomos da Catalina Sky Survey da Universidade do Arizona em 15 de fevereiro de 2020, segundo a EarthSky. O especialista sênior em pesquisa Kacper Wierzchos e o especialista em pesquisa Theodore Pruyne esperaram alguns dias para anunciar sua descoberta, pois mais observações foram necessárias para confirmar o objeto como uma minilua ou um TCO (sigla em inglês para “orbitador capturado temporariamente”).

Tradução do tweet: GRANDES NOTÍCIAS (tópico 1/3). A Terra tem um novo objeto capturado temporariamente / possível mini-lua chamado 2020 CD3. Na noite de 15 de fevereiro, meu colega Teddy Pruyne e eu encontramos um objeto de magnitude 20. Aqui estão as imagens da descoberta.

O Minor Planet Center (MPC) da União Astronômica Internacional anunciou formalmente a descoberta, adicionando o TCO à sua circular eletrônica em 25 de fevereiro de 2020. Observações feitas em outros observatórios “indicam que este objeto está temporariamente ligado à Terra” e “nenhuma ligação com um objeto artificial conhecido foi encontrada”, de acordo com o MPC. O centro também acrescenta que “mais observações e estudos dinâmicos são fortemente encorajados”.

Embora seja raro, nosso planeta ocasionalmente hospeda uma minilua temporária — um pequeno asteroide que gira em torno da Terra por um curto período de tempo até que se solte e volte à sua aventura no espaço, onde retoma sua jornada solo ao redor do Sol.

Tradução do tweet: O objeto tem um diâmetro entre 1,9 – 3,5 m, presumindo um albedo de asteroide tipo C. Mesmo assim, é importante, pois de cerca de um milhão de asteroides conhecidos, esta é apenas a segunda vez que vemos um deles ao redor da Terra (depois do 2006 RH120, que também foi descoberto pelo Catalina Sky Survey).

De acordo com uma série de tweets divulgados por Wierzchos, o CD3 2020 entrou na órbita da Terra há cerca de três anos e estima-se que tenha entre 1,9 a 3,5 metros de largura.

O astrofísico Tony Dunn usou um simulador orbital para modelar a trajetória orbital do CD3 2020 enquanto ele circula a Terra. Espera-se que o objeto saia em algum momento de abril de 2020 e retome sua órbita normal ao redor do Sol, de acordo com um tuíte da Space Initiatives Inc.

Tradução do Tweet: Aqui está um GIF animado da nossa nova minilua 2020 CD3, descoberta por @WierzchosKacper. A moldura rotativa mantém a linha Terra / Sol estacionária. Elementos orbitais são cortesia da IUA MPEC.

Se confirmada, essa seria apenas a segunda minilua conhecida a orbitar a Terra. A outra foi a RH120 de 2006 (também conhecida como 6R10DB9), que ficou entre setembro de 2006 e junho de 2007. Esse objeto, com um diâmetro estimado entre 2 e 3 metros, também foi descoberto pelos cientistas da Catalina Sky Survey.

Grigori Fedorets, astrônomo da Universidade de Helsinque, disse que a nova descoberta deve ser tratada com cautela.

“Na minha opinião, é um pouco cedo para escrever uma matéria sobre esse objeto”, disse Fedorets ao Gizmodo. “Ainda é possível que esse objeto seja de origem artificial [ou seja, um satélite feito pelo homem]. Nossa equipe internacional está trabalhando continuamente para chegar a uma solução melhor.”

Fedorets disse que os cálculos orbitais, quando feitos com apenas alguns pontos de dados, podem resultar em muitas soluções possíveis. À medida que mais dados são adicionados, no entanto, as possíveis trajetórias orbitais ficam mais restritas, disse ele. Dito isto, o CD3 2020 parece estar em uma órbita geocêntrica (um objeto em órbita ao redor da Terra, em oposição a uma órbita heliocêntrica ao redor do Sol), embora temporariamente.

“Este é um evento raro, o primeiro foi descoberto há 14 anos e pode ser o segundo”, disse Fedorets. “Objetos como esse nos permitem restringir a distribuição de tamanho e frequência dos pequenos corpos do sistema solar e, em particular, a população de objetos próximos à Terra, para que possamos saber quantos existem por aí”.

De fato, os TCOs podem ser raros, mas são de grande interesse científico. Uma pesquisa publicada em 2018 mostrou que as miniluas poderiam nos ajudar a entender melhor os asteroides e como eles se formam, bem como a dinâmica complexa entre os corpos celestes, entre outras coisas. É importante ressaltar que a pesquisa sobre miniluas também pode melhorar nossa capacidade de detectar objetos perigosos recebidos.







Veja também em CIÊNCIA E SAÚDE


Tem rugas? Experimente uma máscara de morango para uma pele jovem
A pele do rosto necessita de cuidados regulares para se manter firme, sem linhas e hidratada....


Cientistas criam embalagem que mantém comida por até três anos
Solução desenvolvida por cientistas americanos poderá beneficiar militares em missões terrestres e astronautas em viagens espaciais. Em testes, o macarrão......


Estudo inédito avalia saúde nutricional das crianças brasileiras
A penúltima etapa da pesquisa do Ministério da Saúde começa na próxima segunda-feira ...


Pesquisa indica qual alimento pode curar a ressaca alcoólica
...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News