Rondônia, - 01:08

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
Bolsonaro diz que enviará reforma administrativa ao Congresso após carnaval
O ministro da Economia, Paulo Guedes, também presente na cerimônia, destacou que Bolsonaro está analisando o texto da reforma e, por isso, o mesmo ainda não foi enviada à Câmara
Publicado Quinta-Feira, 20 de Fevereiro de 2020, às 19:54 | Fonte Correio Braziliense 0

 
 

(foto: Marcos Corrêa/PR)

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira (20) que a reforma administrativa ficará para depois do carnaval. A fala foi dita na entrada do Palácio da Alvorada. Questionado sobre quando o texto final seria enviado, o chefe do Executivo afirmou: “Vamos deixar para depois do Carnaval, então?”.

Mais cedo, Bolsonaro afirmou que, embora ainda não esteja pronta, a reforma administrativa está “madura”. 

“Está madura agora. Não podemos apresentar uma reforma e depois, nós mesmos buscarmos deputados e senadores para que ela venha a ser corrigida”, justificou. A fala foi dita durante um discurso de lançamento da nova linha de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal com taxa fixa.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, também presente na cerimônia, destacou que Bolsonaro está analisando o texto da reforma e, por isso, o mesmo ainda não foi enviada à Câmara.

“O presidente está dando uma olhada e fazendo algumas mexidas que são corretas”, apontou.

Ele ressaltou que o presidente tem o direito de dar palpite na reforma. Ainda exemplificou: “A turma técnica sonhando com um futuro de administração pública completamente despolitizada e desaparelhada. Eles vão lá na reforma e colocam: qualquer funcionário público não pode ter filiação partidária. Aí o presidente fala: Pera aí. O exercício da política é um direito da liberdade. Hoje em dia ele pode ser funcionário público e pode escolher o partido dele. Não tem problema nenhum. Então o presidente vai lá e dá uma mexidinha. Então está demorando um pouquinho a chegar lá na Câmara porque tem uma mexida ou outra que são também perfeitamente possíveis. O presidente teve 60 milhões de votos e não vai dar palpite na reforma? Tem que dar sim. Então está lá na mão dele também. E é normal. Absolutamente normal”, concluiu.

 







Veja também em POLÍTICA


Michelle Bolsonaro diz que testou negativo para covid-19
Primeira-dama fez anúncio em uma rede social...


STF solta blogueiro Oswaldo Eustáquio, mas impõe restrições
Ele está impedido de aproximar-se da Praça dos Três Poderes ...


Bolsonaro parabeniza Trump e os EUA pelo dia da independência
Presidente afirmou que trabalha para avançar ''ideais de liberdade''...


Follador alerta novo diretor do DER quanto às obras nas rodovias do Vale do Jamari
Parlamentar destaca urgência para a ponte na RO-459, de Alto Paraíso, e aterro das cabeceiras na BR-421...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News