Rondônia, - 16:31

 

Você está no caderno - CIÊNCIA E SAÚDE
cuidados extras com as crianças
Saiba quais os cuidados extras com as crianças no verão
Para quais doenças as crianças estão mais suscetíveis no verão?
Publicado Sexta-Feira, 3 de Janeiro de 2020, às 10:07 | Fonte R7 Notícias 0

 
 

Divulgação/ Internet

Para quais doenças as crianças estão mais suscetíveis no verão?

Segundo o pediatra Victor Nudelman, Hospital Israelita Albert Einstein, no verão, as doenças mais frequentes em crianças são as gastrenterocolites, doenças respiratórias e infecções de pele. As gastrenterocolites causam diarreias e vômitos e aumentam por conta da ingestão de alimentos estragados, uso de água não tratada e por haver contato com piscina e mar contaminados. No verão, o calor contribui para que os alimentos estraguem mais rápido. As gripes e doenças virais do trato respiratório também aumentam nessa época e as infecções de pele ocorrem por conta de picadas de insetos.

Como deve ser a alimentação das crianças em dias quentes?

O pediatra recomenda refeições leves e de fácil digestão e a constante ingestão de líquidos. Ele alerta para o cuidado com a preservação dos alimentos, que precisam ser lavados em água corrente e limpa e conservados em locais refrigerados. Nudelman chama atenção atenção para prazos de validade, ao descongelar a comida e com o gelo, que pode ter sido feito com água não tratada.

Como identificar desidratação?

Os principais sintomas de desidratação são a diminuição da urina, boca seca e pele frouxa, com menos elasticidade, como se fosse uma ameixa seca. No caso das crianças, elas ficam sem ânimo, quentes, com muita sede e apresentam sinais da perda de líquido, como diarreia e vômitos.

O que fazer em caso de pele irritada e dermatite atópica?

No verão, o suor faz com que a criança perca a camada de hidratante natural da pele e fique mais suscetível à irritação do calor pela pouca capacidade de poder esfriar o local de maneira adequada. Para amenizar isso, o ideal é utilizar mais cremes hidratantes para pele, ficar em ambientes mais frescos e se hidratar bastante com a ingestão de líquidos. Para aliviar a dermatite atópica, Nudelman recomenda usar sabonetes que mantenham a hidratação da pele e tomar duchas frias ou mornas e rápidas, pois a água quente pode ressecar ainda mais a pele, piorando o quadro alérgico na área afetada.

As crianças podem entrar na piscina após comer?

O médico afirma que não existe congestão e que é permitido entrar na piscina após comer. Segundo ele, basta tomar cuidado com exageros na quantidade de comida, pois a criança pode vomitar se comer muito e engolir muita água da piscina ou do mar.

Como escolher o protetor solar?

Segundo o pediatra, é necessário estar atento à composição do produto. O ideal é que escolher produtos com óxido de zinco e dióxido de titânio na composição e evitar os com benzofenona e octocrileno. Ele lembra que é necessário não descuidar com a reaplicação, que precisa ser a cada duas horas ou menos, caso a criança transpire demais ou fique muito tempo dentro da água do mar ou piscina. Mesmo com protetor solar, ele não recomenda a exposição direta ao sol, pois a pele da criança é mais fina. Além disso, ele indica a utilização de óculos, chapéus e roupas com proteção UV. “Todos são acessórios essenciais para a proteção da criança, principalmente, as roupas de bloqueador de raios ultravioleta que é, hoje em dia, a proteção mais alta que a criança tem contra o sol. Se ela utilizar a roupa, é necessário apenas o uso de protetor nas partes expostas, como pé, mão e rosto”, afirma

Tomar banho de chuva é perigoso?

O médico diz que não existe problema desde que alguns cuidados sejam tomados. “O maior cuidado durante chuvas no verão é proteger-se dos raios, evitando áreas abertas e com árvores”, afirma. Ele indica que poças, goteiras e bueiros também devem ser evitados, pois são locais com pouca higiene e aumentam a chance de contração de doenças como leptospirose.

O que fazer com queimaduras de água-viva, picadas de mosquito e água no ouvido?

Para queimaduras de água-viva o pediatra recomenda fazer uma solução de água com vinagre branco e passar na região. Se a criança estiver com muitas picadas, Nudelman afirma que ela deverá ser levada ao pediatra, que indicará pomadas e antialérgicos. Para alívio da coceira, ele indica uso de compressas frias. Caso entre água no ouvido da criança, o médico recomenda pingar uma gota de álcool 70 graus no ouvido da criança para evaporar a água e, depois, virar a cabeça de lado para sair o excesso de álcool que possa ter ficado no ouvido.

 







Veja também em CIÊNCIA E SAÚDE


Homens ficam com visão azulada e daltonismo por dias depois de tomar remédio para disfunção erétil
Os médicos estão encontrando ainda mais homens com episódios estranhos de problemas de visão depois de tomar o medicamento......


Bolsonaro sanciona lei para enfrentamento do novo coronavírus
Nova lei prevê medidas como isolamento de infectados para tratamento...


Governo de Rondônia se prepara para possíveis casos de Coronavírus
Pela Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa), o enfermeiro Sid Orleans, coordenador do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEV)...


Falta de material impede cirurgias cardíacas no Hospital de Base
O deputado foi informado que as cirurgias cardíacas também não estão sendo realizadas por falta de material....

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News