Rondônia, - 16:36

 

Você está no caderno - Agronegocios / Pecuária
Agronegócios
Agricultura 4.0: tecnologia aliada ao desenvolvimento sustentável
As tecnologias disruptivas da Quarta Revolução Industrial já estão afetando a agricultura
Publicado Quinta-Feira, 26 de Setembro de 2019, às 12:58 | Fonte da Redação 0

 
 

Divulgação/ Internet

Desde o uso de blockchain para rastreabilidade de proteína animal até a aplicação de drones para mapear e semear a terra, essas novas técnicas podem aumentar a produtividade do campo e dos agricultores, bem como fornecer produtos mais seguros e frescos para o consumidor final.

A Agricultura 4.0 está apoiada em quatro pilares: gestão baseada em dados, produção a partir de novas ferramentas, sustentabilidade e profissionalização. Além disso, há uma convergência entre o digital, hardwares e biotecnologia que, unidos, promovem benefícios centrados no ser humano. E é justamente esse conjunto de tecnologias integradas que vem criando uma verdadeira revolução no campo.

O Brasil é um dos destaques no cenário mundial de Agricultura 4.0. Nos últimos anos, agritechs vem surgindo e, através delas, novas soluções são lançadas. ”O Brasil mostrou para o mundo que pode produzir alimentos, se olharmos para 40 anos atrás, o nosso país era um importador de alimentos e hoje é um dos grandes produtores globais de commodities e serviços”, afirma o presidente do Instituto Brasil África, João Bosco Monte.

As técnicas de agricultura 4.0 vêm atuando sobre tomadas de decisões importantes, tais como controle de pragas, melhores épocas para novas safras, minimização de riscos diantes de fenômenos climáticos, e até mesmo controle financeiro e fluxo de caixa, e monitoramento de perdas.

Com tal importância, a agricultura 4.0 será umas das temáticas a serem discutidas durante o Fórum Brasil África 2019, que acontecerá em São Paulo, entre os dias 12 e 13 de novembro. O debate será voltado para como a Agricultura 4.0 pode favorecer a produção agrícola, trazendo oportunidades para o Brasil e o continente Africano.

“A tecnologia é de grande importância, temos mostrado que algumas práticas do Brasil podem ser levadas para a África. Entre os 54 daquele continente, vários deles possuem características, como solo e clima, muito parecidas com o Brasil. Assim, isto cria a oportunidade do Brasil se apresentar como um provedor de tecnologia, como um exemplo”, argumenta João Bosco Monte.

Para mais informações sobre o IBRAF, acesse e para mais informações sobre o Fórum Brasil África 2019, acesse.







Veja também em Agronegocios / Pecuária


Café arábica registra aumento no preço nesta sexta-feira (8)
No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho registrou aumento de 0,05% e é negociada a R$ 37,72 ...


Fiscalização apreende mais de 6t de defensivos agrícolas ilegais no PR
Mais de seis toneladas de defensivos agrícolas ilegais foram apreendidos no Paraná, entre os dias 4 e 8 de novembro...


Resultados do Censo Agropecuário são apresentados no interior do Estado
Durante a última semana, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentou os resultados definitivos do Censo Agropecuário, realizado em 2017......


Boi gordo registra alta no preço nesta sexta-feira (8)
No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial saltou 0,13% e o produto é negociado a R$ 7,99 ...

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News