Rondônia, - 21:08

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
Tecnologia
Inteligência artificial pode aumentar em até 5% o desemprego entre menos qualificados nos próximos 15 anos
Ainda que a gente fale pontualmente de inteligência artificial em aplicações específicas, o fato é que a tecnologia vai influenciar profundamente o mercado de trabalho.
Publicado Segunda-Feira, 20 de Maio de 2019, às 15:57 | Fonte Gizmodo 0

 
 

 

Ainda que a gente fale pontualmente de inteligência artificial em aplicações específicas, o fato é que a tecnologia vai influenciar profundamente o mercado de trabalho. Para entender um pouco como isso deve ocorrer no Brasil, a FGV Projetos fez uma pesquisa a pedido da Microsoft sobre o assunto. De cara, podemos falar que a implementação de IA pode causar um desemprego de até 5% entre os menos qualificados nos próximos 15 anos.

Antes de falar dos resultados do levantamento, vale explicar um pouco como ele foi feito. A pesquisa tentou considerar o seguinte cenário: e se a inteligência artificial for empregada em determinados setores? Com essa premissa, foram pensados três níveis de implementação (leve, intermediário e intenso, que na tabela são representados pelos cenários 5, 10 e 26, respectivamente) e como isso impactaria o emprego, a produtividade e o PIB (Produto Interno Bruto) do país em 15 anos.

Começando pela parte de emprego, a grande questão são as pessoas pouco qualificadas. No cenário de maior implementação, o desemprego entre pessoas menos qualificada pode chegar a 5,14%. Entre os mais qualificados, a mudança deve ser positiva, com crescimento de vagas de 1,56%.

 

 

Tabela mostra impacto de IA de acordo com qualificação profissional

Quanto maior o cenário, mais impacto da IA no setor

 

 

Quando o assunto é salário, tem uma boa notícia, mas acompanhada de uma má. “De modo geral, quanto maior a incorporação de tecnologia, maior a remuneração, tanto em menos qualificados como em mais qualificados, porém a tendência é que haja uma desigualdade maior”, disse Felippe Serigatti, professor da Fundação Getúlio Vargas e responsável pelo estudo, durante apresentação na última sexta-feira (17).

A desigualdade pode ser vista na tabela acima. Ela mostra que o uso intenso de inteligência artificial aumentará o salário de pessoas menos qualificadas em 7%, enquanto entre os mais qualificados o acréscimo será de quase 15%.

Do ponto de vista de geração de riqueza, a implementação da inteligência artificial influenciar no PIB em 6,43% no cenário mais avançado. No mais básico, a variação do PIB seria de 0,64%, e no cenário intermediário, 1,32%.

 

 

Tabela mostra impacto da IA no PIB e em setores da economia

 

 

Por fim, sobre a questão da produtividade, entre os setores considerados na pesquisa, os que devem ser mais influenciados nos próximos 15 anos são transporte e comércio, o setor público e mineração e extração.

Apesar das conclusões, o estudo faz algumas ressalvas. Primeiro, que os resultados são muito distintos, então os efeitos podem variar muito conforme setores, ocupações, tarefas e características da força de trabalho. Além disso, o estudo mira o “médio prazo” — no curto prazo, pode haver “custos de adaptação” a essas novas tecnologias.

Neste cenário em que a inteligência artificial e a automação de diversas tarefas estarão cada vez mais presentes, muitas profissões que conhecemos hoje devem desaparecer ou se transformar. Então, não vai ter jeito, as pessoas deverão ter novas habilidades, e tudo isso passa pelo uso de tecnologia.

“Penso que em questão de anos, deveremos ter profissões como planejador de jornada de realidade aumentada, controlador de transportes, analista de cidades inteligentes ou mesmo técnico de inteligência artificial para saúde”, afirmou Anthony Salcito, vice-presidente mundial de educação da Microsoft.

Junto com o estudo, a Microsoft anunciou o início de um programa de educação online chamado AcademIA, que tem 12 módulos gratuitos de aulas sobre introdução à inteligência artificial e até ensino de linguagem de programação.

 

 

Captura de tela de curso de Microsoft sobre inteligência artificial

Curso de introdução à inteligência artificial tem legendas em português

 

 

A iniciativa é bacana, pois basta um cadastro simples e fácil para ter acesso ao material. O ruim é que, agora no início, parte dos conteúdos ainda está em inglês — então, por ora, deve atender quem conhece a língua estrangeira. No entanto, a empresa informa que até 2020 terá todos os conteúdos traduzidos para o português.

 









Veja também em Tecnologia e Vida Digital


WiFi 6: novo padrão de conexão sem fio é lançado oficialmente
Nesta segunda-feira (16), a Wi-Fi Alliance, órgão responsável pela implementação do padrão WiFi, está lançando sua nova versão, mais rápida, segura e estável: o WiFi 6...


iPhone 11 Pro Max já está homologado na Anatel
Em tempo recorde para dispositivos da Apple, o iPhone 11 Pro Max foi homologado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)...


Conselho de monitorização de conteúdo da Facebook tem mais poder do que Zuckerberg
A Facebook anunciou a organização que pretende ter para moderação de conteúdos. O organismo criado terá um grau de independência e as suas decisões não poderão ser contrariadas, nem pelo próprio Zuckerberg...


The Frame: TV da Samsung chega ao Brasil em outubro
A Samsung anunciou nesta semana a chegada da The Frame TV 55 polegadas ao Brasil, com preço sugerido de R$ 6.999....

 



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News