Rondônia, - 14:35

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
MEC cancela viagem de olavistas para Paris em novo episódio da crise na educação
O Ministério da Educação (MEC) cancelou a viagem a Paris de três assessores ligados ao escritor Olavo de Carvalho.
Publicado Quinta-Feira, 4 de Abril de 2019, às 07:57 | Fonte Estadão 0

 
 

© Marcos Oliveira/Agência Senado Ministério da Educação cancelou a viagem a Paris de três assessores

 

O Ministério da Educação (MEC) cancelou a viagem a Paris de três assessores ligados ao escritor Olavo de Carvalho. O Estado divulgou na edição desta terça-feira, 2, que uma decisão anterior do MEC de bancar os custos de passagens e diárias da equipe, entre os dias 6 e 14 deste mês na capital francesa, causou incômodo no governo.

Em despacho publicado nesta quarta-feira, 3, no Diário Oficial, o MEC tornou sem efeito autorização o deslocamento da comitiva integrada por Bruna Luiza Becker, assessora especial, Mariana Nascimento Santos, chefe interina da Assessoria Internacional da pasta, e Murilo Rezende Ferreira, assessor do gabinete do ministro Vélez Rodríguez .

O grupo visitaria as instalações da Casa França - Brasil, participaria de reunião com a delegação brasileira junto à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e de uma sessão do Education Policy Committee (EDPC).

O despacho cancelando a viagem foi assinado por Ricardo Machado Vieira, secretário-executivo do MEC, segundo posto na hierarquia da pasta. Tenente-brigadeiro, ele assumiu o cargo na semana passada, em meio à disputa entre militares e "olavistas" por influência e espaço na estrutura da pasta.

No momento, o ministro Vélez Rodrigues tenta se segurar no comando do MEC. Desde que assumiu em janeiro, ele fez mais de 15 exonerações para acabar com a disputa interna no ministério. Vélez Rodríguez, no entanto, não tem conseguido preencher essas vagas, o que tem causado paralisia em setores estratégicos da pasta.

No Palácio do Planalto, o grupo de ministros próximo ao presidente Jair Bolsonaro prevê que Vélez Rodríguez deixe o cargo mais à frente, quando o clima entre militares e "olavistas" esfriar na pasta e o governo encontrar um substituto. Bolsonaro busca um nome que não desagrade especialmente à bancada evangélica.

 









Veja também em POLÍTICA


Teori deve confirmar delação premiada de Sérgio Machado
...


Para Maia, rejeição impede eleição de Alckmin
...


Plenário da Câmara pode votar nesta terça PEC que reduz maioridade penal
Os líderes partidários se reúnem às 14h30 desta terça para definir as votações da semana...


Lava Jato: STF nega liberdade a ex-deputado Argôlo
...

 


ads2507



 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News