Rondônia, - 08:10

 

Você está no caderno - NACIONAL
Nacional
De postos sem combustível a fábricas paradas: o quinto dia de paralisação
Publicado Sexta-Feira, 25 de Maio de 2018, às 10:10 | Fonte Revista Exame 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=348997&codDep=30" data-text="De postos sem combustível a fábricas paradas: o quinto dia de paralisação

  
 
 

Danos: ainda que o movimento termine nesta sexta-feira, levará dias até que o abastecimento, a produção fabril e as rotinas voltem ao normal no país (Leonardo Benassatto/Reuters)

 

Com a indefinição sobre seu final, a greve de caminhoneiros chega ao quinto dia com consequências em todo o país. Com bloqueios de estradas, a paralisação continua minando o abastecimento de produtos básicos  e causando enormes filas de motoristas em postos de combustíveis. Para esta sexta-feira, a cidade de São Paulo anunciou mais uma retirada do rodízio de automóveis e a suspensão do serviço de coleta de lixo, além de redução da frota de transporte público.
Foram relatadas reduções drásticas nos estoques de combustível, principalmente em cidades na Bahia e escassez completa de combustíveis em municípios do Paraná. No Rio de Janeiro, falta combustível em metade dos postos da cidade e esse número era esperado chegar a 90% na noite de ontem. A falta de combustível já começa também a levar ao cancelamento de voos: as companhias aéreas Azul e Latam ampliaram o número de aeroportos com restrições de operação.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo,  na região de Passos, no sul de Minas Gerais, mais de 500.000 litros de leite já foram jogados fora porque, com a falta de transporte, o produto se perde em pouco tempo e não há como utilizá-lo — também não pode ser doado antes do processo de pasteurização. A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) voltou a informar que há unidades de processadoras de carnes paradas no país por causa da greve dos caminhoneiros. Todas as montadoras de veículos do país anunciaram que encerrariam a produção nesta sexta-feira, pela falta de peças. Hospitais alertaram para a falta de remédios e o risco a pacientes. 

Mesmo que o movimento termine nesta sexta-feira, levará dias até que o abastecimento, a produção fabril e as rotinas voltem ao normal no país. Fora os danos irreparáveis, como alimentos jogados fora, animais mortos de inanição nas estradas e pacientes que ficaram sem remédios. A conta de quanto o país perdeu nos últimos dias ainda será feita. A única já computada é o baque para a Petrobras, que cedeu à pressão e cortou o preço do diesel: a petroleira perdeu 45 bilhões de reais na bolsa nesta quinta-feira.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

ADS NEWS 5

Veja também em NACIONAL


Ex-assessor do meu filho tem de se explicar, diz Bolsonaro
Jair Bolsonaro (PSL) afirmou neste domingo, 9, que o ex-assessor do filho Flávio Bolsonaro(PSL-RJ), o ex-policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz, vai ter que explicar......


Energisa gera demanda de 700 mil reclamações quanto aos serviços de energia elétrica em Mato Grosso
Em Mato Grosso do Sul a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul - Agepan não dispinibilizou em seu portal informações semelhantes, mas dados do Procon-MS...


Mega-Sena: ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 36 milhões
A quina registrou 106 apostas vencedoras; cada ganhador receberá R$ 22.882,49. A quadra teve 6.029 apostas ganhadoras; cabendo a cada vencedor R$ 574,73....


OC lança novos dados de emissão do Brasil nesta quarta (21) em São Paulo
Sexta edição do SEEG mostra as emissões do Brasil atualizadas de 1970 até 2017; seminário discutirá rumos da política de clima no novo governo...

 


ADS NEWS 3




 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News