Rondônia, - 21:05

 

Você está no caderno - Notícias da Amazônia
Operação Ágata na amazônia
Exército faz operação Ágata na Amazônia
Destruição de pista de pouso clandestina, apreensões de munições, armamentos e madeira de origem irregular, prisão pessoas que cometeram delitos
Publicado Segunda-Feira, 21 de Maio de 2018, às 19:01 | Fonte Assessoria 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=348743&codDep=38" data-text="Exército faz operação Ágata na Amazônia

  
 
 

Destruição de pista de pouso clandestina, apreensões de munições, armamentos e madeira de origem irregular, prisão pessoas que cometeram delitos, aplicação de multas decorrentes de ilícitos ambientais, além de outras atividades de combate aos chamados delitos transfronteiriços ligados aos narcotráfico e crimes ambientais, são eventos que têm sido intensificados nesses últimos dias pelo Exército Brasileiro, no contexto da Operação Ágata, desencadeada pelo Comando Militar da Amazônia, em toda a fronteira brasileira, nos Estados do Amazonas, Roraima, Rondônia e Acre.

Por meio das 04 (quatro) Brigadas de Infantaria de Selva sediadas, respectivamente,  em BOA VISTA, SÃO GABRIEL DA CACHOEIRA, TEFÉ e PORTO VELHO, o CMA, determinou aumento da pressão no combate aos delitos. Esse aumento fez com que, somente em 2018, mais de 100 (cem operações) já tenham acontecido ou estejam acontecendo, simultaneamente, em toda a Região Amazônica.

Desde o início de Maio, por exemplo, somente na Região Sul do Amazonas, Acre e Rondônia, sob a coordenação da 17ª Brigada de Infantaria de Selva (subordinada ao CMA) no escopo da Operação Agata, foram feitas apreensões de bens frutos de ilícitos como madeira de lei, embarcações, motos e veículos, milhares de munições, maquinários, ferramentas, drogas ilícitas, carnes e valores em espécie, estimados em mais de R$ 20 Milhões de Reais.

As atividades de repressão, têm tido o sucesso constatado graças a um trabalho de inteligência prévio, em conjunto com outros órgãos estatais como a Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (IBAMA), Secretarias Estaduais de Saúde de Rondônia e Acre, Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), Órgãos de Segurança Pública (OSP) dos estados de Rondônia, Acre e Amazonas.

OperaçãoAjuricaba4

Essa metodologia de trabalho chamada pelo Exército de Operações Interagências, demonstra ser fundamental para que o esforço seja sinérgico, como se deu no caso da explosão de uma pista de pouso clandestina, na última sexta-feira (11). Essa pista estava em uma Área da União, região da Ponta do Abunã, em Rondônia (RO), tinha mais de 1,2 mil metros e era utilizada para pouso e decolagem de pequenas aeronaves que levavam para a área mantimentos e equipamentos para o desmate ilegal.

A execução das Operações de "Pressão 24/7", como se refere a elas, o Exército, segue sem previsão de término. Segundo o Comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva (BIS), General de Brigada José Eduardo Leal de Oliveira, os postos de bloqueios, tanto nas estradas e rios também colaboram com os resultados atingidos. “Nós temos uns objetivos a atingir ao longo desta Operação. Saliento que dois aspectos são muito importantes. Um deles é o trabalho de inteligência, integrado às informações de outros órgãos”, comentou.
 
Segundo o General, as ações são contínuas e sem previsão de término. “Passamos o ano desencadeando operações, tudo para manter a paz e a segurança da população. Nosso trabalho é contínuo e sem previsão de término e o nosso retorno é o bem-estar de todos”, disse.

OperaçãoAjuricaba3

O reflexo do resultado tem sido altamente positivo, não somente por meio dos números apresentados, como aumento da sensação de segurança na fronteira do País, que é Área de Responsabilidade do CMA. Esse trabalho, chamado pelos militares de atividades do Braço Forte da Força, vem sendo desenvolvidos simultaneamente a outros eventos chamados de Mão Amiga, por meio dos quais a Força Armada auxilia a população em atividades de saúde, educação etc. Somente nesse período da Operação Ágata de maio, na Região da 17 Brigada de Infantaria de Selva, já foram realizados 1.184 atendimentos médicos, 751 atendimentos odontológicos, 18 atendimentos psicopedagógicos, 136 procedimentos diversos de prevenção de saúde, 452 cirurgias, 61 exames, 338 distribuições de medicamentos, e 22 vacinações.








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Notícias da Amazônia


Pará é o estado com maior índice de desmatamento da Amazônia Legal, aponta Imazon
Ao contrário do ano anterior, foi registrado aumento de 22% do desmatamento em todo território da floresta amazônica em 2018. 52% das áreas atingidas no Pará são de preservação ambiental. ...


Comunicólogos de Porto Velho debatem lixo plástico e os efeitos nos rios
Defensora de questões socioeconômicas e ambientais com metodologias inclusivas, a jornalista Claudia Moura disse aos colegas debatedores, que soluções para problemas sociais do país......


MPF identifica responsáveis por todos os desmatamentos com mais de 60 hectares na floresta amazônica entre 2016 e 2017
2,3 mil pessoas ou empresas foram associadas a mais de 1,5 mil áreas desmatadas de forma irregular...


Governo Temer e Estado de Roraima não alcançam conciliação sobre imigrantes venezuelanos
Em uma primeira reunião, em maio, o estado abriu mão do fechamento de fronteira, mas pediu R$ 184 mi em ressarcimento, por parte do governo federal...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM