Rondônia, - 20:46

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
Lula pode sofrer novas condenações nos próximos meses
Publicado Quinta-Feira, 25 de Janeiro de 2018, às 17:37 | Fonte Terra 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=341666&codDep=19" data-text="Lula pode sofrer novas condenações nos próximos meses

  
 
 

Foto: Reuters

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante reunião com membos do PT, em São Paulo 25/01/2018 REUTERS/Leonardo Benassatto

 

A condenação unânime pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) foi apenas o mais recente dos problemas com a Justiça enfrentados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em um caminho cheio de obstáculos que tornam cada vez mais distante um novo mandato presidencial.

Fontes ouvidas pela Reuters apontam para o final de março, no máximo, a publicação da sentença do juiz Sérgio Moro no processo em que o ex-presidente é acusado de ter recebido 870 mil reais das empreiteiras Odebrecht e OAS em reformas em um sítio em Atibaia (SP).

Uma segunda condenação é dada como praticamente certa por quem conhece o processo, tido como mais bem detalhado e com mais evidências do que o próprio caso do tríplex do Guarujá (SP), no qual Lula foi condenado em segunda instância pelo TRF-4 na quarta-feira.

O ex-presidente ainda enfrenta mais quatro processos, que vão de formação de quadrilha a obstrução da Justiça e estão sendo tocados em outras varas e no Supremo Tribunal Federal (STF).

E, mesmo com ações que já podem lhe custar uma vida em condenações, se todas forem confirmadas, o ex-presidente segue na mira do Ministério Público. Fonte ouvida pela Reuters confirma que novas investigações, fruto das delações da Odebrecht, avançaram e atingem, mais uma vez, o ex-presidente.

"As investigações avançaram bastante. Ainda demora um pouco, mas tem coisa grande por aí", disse uma fonte familiarizada com as investigações.

Novas condenações e novas acusações pioram a situação pessoal do petista, mas não sua condição eleitoral especificamente.

Apesar de a condenação em segunda instância, quando analisados todos os recursos ao TRF-4, torná-lo inelegível pela Lei da Ficha Limpa, o tribunal responsável por Lula ser ou não candidato é o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e isso apenas depois do petista registrar sua candidatura, em 15 de agosto.

Por lei, depois do registro feito, o TSE analisa se há algum impedimento para a candidatura. Se houver, ela é impugnada. Até lá --possivelmente em setembro-- Lula poderia manter sua campanha, e pretende fazê-lo.

O caminho, no entanto, será marcado por recursos judiciais que, antes de garantir uma candidatura, buscarão manter Lula fora da prisão.

Unanimidade inesperada

O resultado por unanimidade no TRF-4, inclusive no aumento da pena de 9 anos e 6 meses para 12 anos e 1 mês em regime fechado, não estava no horizonte dos advogados de Lula, de acordo com uma fonte próxima ao petista. Em casos de repercussão, é a primeira vez que os desembargadores da 8ª turma do TRF-4 concordam em tudo, inclusive no tamanho da pena.

Isso reduziu a possibilidade dos recursos a serem apresentados nessa instância aos chamados embargos de declaração, em que a defesa pode apenas pedir esclarecimentos sobre os pontos da sentença e costumam ter uma solução em no máximo dois meses. Depois disso, o processo está pronto e o juiz inicial do caso, Sérgio Moro, pode determinar a prisão.

Segundo a assessoria do TRF, mesmo as férias dos desembargadores Victor Laus e Leandro Paulsen, programadas para as próximas semanas, não adiariam esse processo. A informação é que a turma continua a funcionar normalmente com os desembargadores convocados para subsituí-los.

Ao participar nesta quinta-feira de reunião aberta da Executiva Nacional do PT em São Paulo, Lula acusou os desembargadores da 8a Turma do TRF de formarem um "cartel" para condená-lo por unanimidade, e disse não ter "nenhuma razão para respeitar a decisão". [nL2N1PK17N]

Em entrevista depois do resultado do julgamento, Cristiano Zanin, um dos advogados de Lula, afirmou que a defesa ainda irá esperar a publicação do acórdão --o que deve ocorrer em uma semana-- para então decidir as ações daqui para frente.

É fato, no entanto, que a defesa entrará com os embargos de declaração, porque apenas depois deles analisados poderá mover a ação para os tribunais superiores, onde é possível entrar com ações cautelares e pedir liminares com efeito suspensivo, da prisão e da inelegibilidade.

De acordo com a assessoria do TRF, depois de receber a intimação para dar ciência do acórdão, a defesa tem até 10 dias para fazê-lo. Depois de tomar conhecimento, tem 2 dias para apresentar os embargos. Quando a campanha eleitoral começar a esquentar, em abril deste ano, Lula estará dependendo dos tribunais superiores para saber se poderá passá-la fora da prisão.

 







Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

ADS NEWS 5

Veja também em POLÍTICA


PF investiga esquema de caminhoneiros que simulavam roubos de carga
...


PF desarticula grupo que clonou celulares de ministros de Temer
...


‘Passarinho na muda não pia’, despista Josué Gomes sobre candidatura
...


Henrique Meirelles vê 'voo solo' do MDB na disputa ao Planalto
...

 

ADS NEWS 2

ADS NEWS 3


:: Publicidade :::


 
 
 
 
EMRONDONIA.COM