Rondônia, - 13:38

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
Maia: 'Não adianta parar Congresso para tentar votar Previdência'
Publicado Sexta-Feira, 19 de Janeiro de 2018, às 07:47 | Fonte Jornal Correio do Povo de Alagoas 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=341376&codDep=19" data-text="Maia: 'Não adianta parar Congresso para tentar votar Previdência'

  
 
 

Divulgação - Internet

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, falou nesta quinta-feira (18) a especialistas e investidores sobre a agenda legislativa do Brasil, na 22ª Conferência Latino-Americana do Banco Santander, em Cancún, no México.

Maia disse que, apesar de o foco da base aliada ao governo ser a reforma da Previdência, há espaço para outras propostas que podem ajudar a economia e serão levadas adiante enquanto não se consegue negociar a reforma. “Não adianta parar o Congresso por seis meses para tentar votar a reforma. Se houver votos, ela será aprovada, mas, enquanto isso, vamos levando outras pautas”, disse. As informações são da Agência Câmara.

Entre outras agendas que precisam avançar, o presidente da Câmara destacou o fim das desonerações da folha de pagamento, que já tem um acordo para votação. Além disso, deve-se votar uma regra para o cadastro positivo para diminuir o risco no mercado financeiro; rever regras do licenciamento ambiental; e uma renovação das regras de agências reguladoras, com independência verdadeira aos seus integrantes.

Suspensão de MPs

Maia voltou a criticar decisões da Justiça que suspenderam medidas provisórias. Ele disse que essas atitudes do Judiciário comprometem o Poder Executivo, que precisa gerenciar o governo e fazer mudanças rápidas. “O governo edita medidas provisórias, e ministros do Supremo dão liminar suspendendo os efeitos. Ocorreu com o aumento da contribuição de previdência dos servidores, de 10% para 14%; e na suspensão do aumento dos servidores federais. Com a diminuição da inflação, um aumento que era pequeno acabou sendo acima da inflação e precisava ser repensado”, disse.

O plenário do Supremo vai analisar esse caso e poderá reverter a suspensão. Além disso, um juiz suspendeu um artigo na MP sobre a privatização da Eletrobras, o que, na opinião de Maia, não poderia ocorrer. “Como pode um juiz de primeira instância querer fazer controle de constitucionalidade?”, indagou.

 

Fonte: noticiasaominuto.com.br

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Frase do dia
...


Vídeo: Tucanos a caminho da prisão?
...


Após apelo de Alckmin, Tasso nega que será candidato ao governo do Ceará
...


Além de dinheiro, Ciro Nogueira ofereceu cargos públicos
...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM