Rondônia, - 07:54

 

Você está no caderno - Notícias da Região Norte
CULTURA
“Escrita é a manutenção do conhecimento do povo”, afirma indígena doutor em linguística, Joaquim Mana
Publicado Quinta-Feira, 7 de Dezembro de 2017, às 17:51 | Fonte Governo do Acre 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=339765&codDep=71" data-text="“Escrita é a manutenção do conhecimento do povo”, afirma indígena doutor em linguística, Joaquim Mana

  
 
 

(Foto: Gleilson Miranda/Secom)

O governador Tião Viana garantiu a publicação dos livros

 

Com a proposta de consolidar sua língua materna, o ex-seringueiro e agora doutor em linguística Joaquim Mana Kaxinawa elaborou, junto de parceiros, livros didáticos para seu povo, os Huni Kui. Nesta quarta-feira, 6, ele apresentou a proposta de seis livros ao governador Tião Viana, que prontamente garantiu a publicação e distribuição nas escolas das terras do povo Huni Kui.

“Isso é uma revolução”, disse o governador ao folhear os textos escritos na língua original Huni Kui, o hãtxa kui. Com uma população de cerca de 14 mil pessoas, os Huni Kui ocupam terras ao longo dos rios Tarauacá, Jordão, Breu, Muru, Envira, Humaitá e Purus.

Segundo Joaquim, mais de 100 professores das comunidades já passaram pela formação para realizarem o ensino nas duas línguas, o português e o hãtxa kui. Ele explica que com isso, o seu povo poderá manter sua tradição cultural, que é passada de forma oral desde os tempos imemoriais. “A escrita surge para fixar todo o conhecimento da convivência de um povo”, diz o especialista.

“A língua hãtxa kui tem que ser como qualquer uma outra. Temos que pegar todo nosso conhecimento, colocar na introdução da escrita e em seguida passar para ser ensinada nas escolas em nossas terras”, complementa. Mana diz que começou a perceber a importância da escrita para a cultura de seu povo durante as aulas de história, em sua formação acadêmica, que mostravam fatos muito antigos.

Nos meses de novembro e dezembro de 2016, na Terra Indígena Praia do Carapanã, em Tarauacá, foi realizado uma das etapas do Curso de Hãtxa Kui, organizado por Mana. A iniciativa, realizada em outras aldeias, debateu e planejou a política pedagógica da educação escolar. Além disso, contribuiu para a revisão e criação dos materiais didáticos que serão publicados com apoio do governo do Estado.

Em um dos livros, explica Mana, apresenta textos colhidos entre os professores e anciãos relatando histórias de seus antepassados. “Esse aqui tem uma história que mostra como conseguimos a noite”, diz. “Os antigos começaram a se perguntar: ‘por que não tem noite? tem noite para a alguém’. Então foram atrás e encontraram quatro: uma de 24h, outra de seis meses, uma de 4h e outra de 12h. E então eles escolheram a última opção”, relata Joaquim.

Ele explica que isso é um exemplo de como a histórias poderão agora se manter e estar registrado para futuras gerações e não se percam como muitos outros contos e mitos, relatos que marcam a identidade cultural de seu povo.

Mana conquistou seu doutorado em 2011, na Universidade de Brasília (UnB), se tornando o primeiro indígena a receber o título de doutor em linguística pela instituição. Ele começou a formação no ensino ocidental aos 20 anos, quando deixou o corte da seringa em sua terra natal, no Jordão.

Em breve, por iniciativa de Tião Viana, o professor doutor Mana começará um curso de língua hãtxa kui no Centro de Estudo de Línguas do Acre (CEL). Em seguida, o governador quer reconhecer o hãtxa kui como uma das línguas oficiais do Acre.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Notícias da Região Norte


Governo reforça segurança com mais 141 novos delegados de Polícia Civil
“Hoje finalizamos todas as etapas do concurso público, mas começamos outra, que é o trabalho efetivo dos novos policiais que irão reforçar a segurança pública em todo o Estado”, destacou o delegado-geral da Polícia Civil, Rilmar Firmino, durante a ...


Galeria do Largo recebe Fórum Permanente de Artes Visuais
Discutir demandas, soluções e planejar atividades artísticas para 2018 estão na pauta da reunião aberta do Fórum Permanente de Artes Visuais (FPVAM), que será realizada nesta quarta-feira (28/03), às 19h, no Centro de Artes Visuais Galeria do Largo...


Fiscalização de trânsito na ponte Rio Negro termina com mais de 50 motoristas autuados e um adolescente apreendido por dirigir motocicleta irregularmente
O Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) autuou mais de 50 motoristas na manhã desta terça-feira (20/02) durante blitz comandada pelo Núcleo Especializado em Operações e Fiscalização Trânsito (NEOT) na cabeceira da ponte Jornalis...


Parceria entre Estado e Ufac proporciona orientação nutricional aos servidores
Uma alimentação saudável e balanceada pode evitar uma série de doenças....

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM