Rondônia, - 06:05
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
TECNOLOGIA
Microsoft investiga possível influência russa nas eleições dos EUA por meio do Bing
Publicado Terça-Feira, 10 de Outubro de 2017, às 10:51 | Fonte Gizmodo 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=337190&codDep=41" data-text="Microsoft investiga possível influência russa nas eleições dos EUA por meio do Bing

  
 
 

 

 

 

 

 

 

 

O inquérito sobre a extensão das tentativas russas de comprar anúncios na internet dos Estados Unidos antes das eleições federais norte-americanas de 2016 expandiu para outro gigante digital, com a Microsoft confirmando que iniciou uma investigação interna para saber se ela vendeu esses anúncios por meio do seu mecanismo de pesquisa, o Bing.

Em um comunicado, um porta-voz da Microsoft contou ao Gizmodo que a empresa havia recebido relatórios indicando possível envolvimento e que tomaria a ação apropriada se os russos tivessem, de fato, comprado anúncios no Bing, embora eles não tenham confirmado se encontraram alguma coisa ou não.

“Levamos a sério relatos de uso indevido de nossa plataforma”, o porta-voz escreveu ao Gizmodo. “Estamos, portanto, investigando, e se qualquer atividade inapropriada for descoberta, vamos tomar medidas para minimizar esse uso indevido no futuro.”

Investigadores federais, do congresso e também os particulares estão todos examinando a extensão dos esforços russos para influenciar a mídia norte-americana antes das eleições: um caminho comum é que russos com supostos laços com o Kremlin buscaram espalhar desinformação e confusão com o objetivo de promover controvérsia e a candidatura do presidente Donald Trump. Vários associados de Trump, incluindo seu filho Donald Trump Jr., seu genro Jared Kushner e o ex-gerente de campanha Paul Manafort, foram ligados a alegações de conluio, embora os investigadores ainda precisem mostrar de onde vem o fogo depois de toda a fumaça.

Investigadores concluíram anteriormente que empresas russas com ligações com o Kremlin compraram pelo menos US$ 100 mil em anúncios no Facebook, potencialmente alcançando dez milhões de americanos. Agora, se esses anúncios eram parte de uma operação de inteligência e quanta influência eles tiveram no curso da eleição, isso permanece altamente especulativo. O Facebook atrelou os anúncios a uma empresa de São Petersburgo chamada Internet Research Agency, uma firma que, segundo o Buzzfeed e algumas fontes russas, é pelo menos parcialmente uma frente que emprega trolls de comentários pró-Kremlin.

Na segunda-feira (9), o Washington Post relatou que pessoas familiarizadas com o assunto disseram que russos haviam comprado dezenas de milhares de dólares por meio de redes do Google:

 

 

 

 

O gigante do Vale do Silício descobriu que dezenas de milhares de dólares foram gastos em anúncios por agentes russos que visavam espalhar desinformação em vários produtos do Google, que incluem o YouTube, além de anúncios associados com a busca do Google, o Gmail e a rede de anúncios da empresa DoubleClick, disseram as pessoas, falando sob condição de anonimato para discutir assuntos que não haviam se tornado públicos.

 

 

 

 

O Twitter, outro gigante das redes sociais, também ligou cerca de 200 contas à Internet Research Agency e vendeu US$ 274,1 mil para a RT, uma TV estatal russa que potencialmente promoveu mais de 1.800 anúncios para americanos. No entanto, a análise do Twitter não concluiu se as compras de anúncio da RT eram relacionadas a tentativas de influenciar a eleição.

Complicando ainda mais a nuvem maluca de alegação está o envolvimento de diversas redes com fins lucrativos de hoaxers e golpistas que se aproveitaram de políticas de anúncios online frouxas e da situação política de alta pressão dos EUA para levar milhões de americanos a derrubar fazendas de conteúdo. Algumas dessas redes têm sede nos Estados Unidos, noticiou o Washington Post, e podem ser altamente lucrativas.

Por vezes, a falta de evidências levou a teorias da conspiração sobre o envolvimento russo na ascensão de Trump ao poder. O presidente, é claro, permaneceu publicamente cético em relação a qualquer uma delas, mesmo depois de alegremente desafiar a Rússia a hackear o sistema de email de Hillary Clinton ao mesmo tempo em que vazamentos de emails parecidos de Democratas estavam acontecendo.

Em outras palavras, o pesadelo nacional que os EUA vivem deve continuar por algum tempo.

A Microsoft alega que o Bing — seu sistema de busca padrão em vários dos navegadores que vêm com seu sistema operacional — tem uma parcela de aproximadamente 33% no mercado de buscas por meio de desktop, incluindo o Yahoo, que é alimentado por sua tecnologia. O mercado de buscas em dispositivos móveis, em geral, é dominado pelo Google.

[Twitter/Dustin Volz]

Imagem do topo: AP

 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Tecnologia e Vida Digital


Comunidade de jogadores de Overwatch ajuda a montar PC de jogador
...


Ações da Apple atingem maior valor da história na expectativa por novos iPads
...


'Gran Turismo Sport' será lançado no dia 17 de outubro
...


Empresa cria fone de ouvido especial para os motociclistas
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::