Rondônia, - 06:04
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - Tecnologia e Vida Digital
TECNOLOGIA
Empresa de antivírus Kaspersky pode ter envolvimento mais profundo com brechas da NSA
Publicado Sexta-Feira, 6 de Outubro de 2017, às 17:42 | Fonte Gizmodo 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=337055&codDep=41" data-text="Empresa de antivírus Kaspersky pode ter envolvimento mais profundo com brechas da NSA

  
 
 

 

 

 

 

 

 

De acordo com informações do Wall Street Journal, materiais altamente secretos da NSA foram roubados por hackers a mando do governo russo em 2015. O caso já é considerado “uma das mais significantes brechas de segurança dos últimos anos”, e múltiplas fontes afirmam que isso foi possível porque o software de antivírus da Kaspersky Lab’s identificou os arquivos.

As fontes do WSJ afirmam que um funcionário terceirizado da NSA levou os arquivos para casa sem autorização, e eles foram acessados por hackers no computador pessoal do trabalhador, que rodava o software da Kaspersky Lab. Aparentemente, as intenções do funcionário não eram ruins, já que ele tentava apenas adiantar o trabalho em seu tempo livre. Sem explicar como a situação aconteceu, ou providenciando qualquer evidência pública, as fontes dizem que o software da Kaspersky identificou os arquivos no computador do funcionário e agentes russos os roubaram virtualmente.

De acordo com a denúncia:

 

 

 

 

O incidente aconteceu em 2015, mas não foi descoberto até o segundo semestre do ano passado, dizem as fontes familiarizadas com o assunto.

O material roubado incluía detalhes de como a NSA penetra redes de computadores estrangeiras, o código de computador que ela usa para fazer esta espionagem e como ela defende redes dentro dos EUA, dizem as fontes.

Com estas informações, o governo russo poderia proteger as próprias redes destas invasões, tornando o trabalho da NSA mais difícil. Também daria aos russos métodos para infiltrar as redes dos EUA e de outras nações, explicam.

 

 

 

 

A NSA se recusa a comentar o caso, mas a Kaspersky Lab, uma empresa baseada na Rússia, está vigorosamente negando que esteja envolvida em atividades nefastas ou em coordenação com o governo russo. Antes da denúncia do WSJ ser publicada, o fundador da companhia, Eugene Kaspersky, já se defendia no Twitter, “Nova teoria da conspiração, uma história com fontes anônimas prestes a sair na mídia. Note que que não pedimos desculpas por sermos agressivos na batalha contra ciberameaças”. A Kaspersky Lab também divulgou um comunicado em que nega o caso:

 

 

 

 

Não foi providenciado a Kaspersky Lab substanciais evidências sobre o envolvimento da companhia neste suposto incidente denunciado pelo Wall Street Journal em 5 de outubro de 2017, e é lamentável que a cobertura de notícias sem provas continue a perpetuar acusações sobre a companhia.

Como uma empresa privada, a Kaspersky Lab não mantém ligações inadequadas com nenhum governo, incluindo a Rússia, e a única conclusão é que a Kaspersky Lab está no meio de uma batalha geopolítica.

 

 

 

 

A Kaspersky parece dizer que o software detectou os malwares da NSA, que é o que ela deve fazer. Pesquisadores de segurança têm especulado no Twitter sobre o que significa quando as fontes do WSJ dizem que o software da empresa ajudou os hackers, mas é difícil apontar qual teoria é a mais provável devido as poucas informações da denúncia.

Eugene Kaspersky está certamente correto ao dizer que não há evidências que impliquem qualquer delito. Ele é uma figura respeitada na comunidade da segurança da informação e a decisão dos EUA em banir os produtos de sua companhia em uso federal mês passado também foi acompanhada por poucos detalhes sobre o motivo que levou a isso.

O que essa história torna claro, no entanto, é que materiais de defesa cibernética da NSA vazaram para o adversário, e o diretor da NSA, Mike Rogers, já foi advertido anteriormente por ter permitido que vazamentos acontecessem no passado. De acordo com a denúncia do Washington Post em novembro, Rogers estava na corda bamba durante o final da administração de Obama e era provável que fosse demitido antes de viajar para Nova Jersey para se encontrar com o agora eleito presidente Trump, que decidiu mantê-lo no cargo. A Kaspersky Lab pode ou não estar envolvida nesta falha de segurança, mas é absolutamente claro que a NSA precisa melhorar.

[Wall Street Journal]

Imagem de topo: Amelia Andersdotter/Flickr

 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Tecnologia e Vida Digital


Comunidade de jogadores de Overwatch ajuda a montar PC de jogador
...


Ações da Apple atingem maior valor da história na expectativa por novos iPads
...


'Gran Turismo Sport' será lançado no dia 17 de outubro
...


Empresa cria fone de ouvido especial para os motociclistas
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::