Rondônia, - 06:04
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Marcos Rogério critica a erotização infantil
Marcos Rogério critica uso da cultura como pano de fundo para erotização infantil
A proposta é analisada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados e institui que, entre os dias 25 de junho e 1 de julho, que compreenderá a Semana Nacional de Combate à Sexualização de Crianças e Adolescentes,
Publicado Quarta-Feira, 4 de Outubro de 2017, às 17:19 | Fonte da Redação 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=336945&codDep=19" data-text="Marcos Rogério critica uso da cultura como pano de fundo para erotização infantil

  
 
 

Durante a discussão do projeto que institui a Semana Nacional de Combate a Sexualização de Crianças e Adolescentes, o deputado federal Marcos Rogério (DEM-RO) criticou o uso da cultura como pano de fundo para a erotização infantil.

A proposta é analisada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados e institui que, entre os dias 25 de junho e 1 de julho, que compreenderá a Semana Nacional de Combate à Sexualização de Crianças e Adolescentes, sejam realizadas atividades que visem promover o combate a erotização infantil em todo o território nacional.

O deputado Marcos Rogério elogiou a proposta, apesar de identificar que o texto padece de injuridicidade, uma vez que não vincula o objetivo principal, que é a semana de conscientização, com as políticas públicas existentes.

“Apesar disso, o projeto é importante, oportuno e necessário. Temos que repensar as práticas que estão sendo usadas como pseudo-escudo da cultura. O projeto é meritório, mas padece de injuridicidade. Apesar disso, não vou me opor à sua aprovação”, disse.

O parlamentar também criticou o uso cultura como pano de fundo para a erotização infantil, relembrando fato que ocorreu na última semana no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), quando uma criança de quatro anos interagiu com um homem nu durante performance.

“Essa criança que tocou o peladão cultural, se no futuro estiver diante de um pedófilo de verdade, será que ela vai compreender que se encontra em um ambiente nocivo? Ou esse toque naturalizado no escudo da cultura afasta dela os estímulos naturais de defesa? Ou compreendemos a gravidade do que estamos vendo no Brasil, ou sofreremos as consequências no futuro”, alertou.

Segundo o parlamentar, que é especialista em Primeira Infância, os estímulos inadequados que as crianças recebem nos primeiros anos de vida podem refletir no caráter e no comportamento adulto desse individuo. “As vezes a gente quer corrigir os defeitos da vida lá na idade adulta, mas a gente não olha para onde começa o problema. As experiências moldam o cérebro, as compreensões, os temores, as defesas; naturalizar o toque em um homem pelado é a naturalização do próprio crime. Não é o caso de pedofilia, mas de apologia ao crime de pedofilia. Os estímulos positivos na idade certa determinam um adulto melhor, mais bem preparado para a vida. O contrário também. Os estímulos inadequados geram reflexos na vida adulta”, apontou.





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Quatro razões para explicar por que apenas 2 de 155 delatores da Lava Jato são políticos
...


Ivo Cassol comemora aprovação de 'pílula do câncer'
...


Deputados tentarão nesta semana na Câmara esvaziar poder de Maranhão
...


Polícia Federal realiza nova fase da Operação Zelotes em três estados
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::