Rondônia, - 15:57
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - NACIONAL
Nacional
Supremo julga possibilidade de permitir candidaturas avulsas
Publicado Segunda-Feira, 2 de Outubro de 2017, às 10:26 | Fonte Diário de Pernambuco 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=336853&codDep=30" data-text="Supremo julga possibilidade de permitir candidaturas avulsas

  
 
 

 

Foto: Carlos Moura/SCO/STF

Foto: Carlos Moura/SCO/STF

 

 

 

 

 

 

Muitos brasileiros alimentam um sonho: ser presidente da República. O desejo, que parece distante da realidade, pode ser possível a partir de 2018. O Supremo Tribunal Federal (STF) vai analisar, na quarta-feira, a permissão de candidaturas sem a que a pessoa esteja filiada a um partido. Anônimos ou famosos veem na aprovação da candidatura avulsa a chance de chegar ao Palácio do Planalto e construir uma outra história para o país.

 

A antecipação da discussão pelo ministro relator, Luís Roberto Barroso, leva em conta o fato de que sábado, dia 7, um ano antes do pleito de 2018, se encerra o prazo para mudanças no sistema eleitoral. Na semana passada, um juiz de Goiás proferiu decisão favorável aos candidatos independentes, aumentando a expectativa quanto à definição pela Suprema Corte. Na torcida para que o STF reconheça a possibilidade, o advogado Modesto Carvalhosa, 85 anos, espera a decisão para apresentar a candidatura. A apresentação do nome foi motivada por colegas do meio jurídico, que pediram que o professor aposentado da Universidade de São Paulo entrasse na disputa.
 

“Precisamos trazer de volta a decência, a moralidade e a legitimidade que faltam aos governantes no Brasil”, afirma Carvalhosa. Se chegar ao Planalto, o advogado promete firmeza no combate à corrupção e a convocação de uma constituinte. “Farei uma modificação estrutural, propondo à população o fim da reeleição em cargo eletivo, o voto distrital, o fim do fundo partidário e de emendas parlamentares e tudo que se caracteriza como foco de corrupção institucional no Brasil”, destaca.

 

Ex-apresentadora da Rede Globo na década de 1990, a jornalista Valéria Monteiro, 52, deu o que falar na semana passada quando, nas redes sociais, revelou os planos de tornar-se presidente. “Sou pré-candidata. É, da República. É sério”, diz, em um vídeo filmado em frente a uma bandeira do Brasil.  “Diante das transformações tecnológicas e do momento político que atravessa, achei que poderia colaborar na representação da população que não se sente representada”, ressalta. Depois do anúncio, a jornalista, que nunca se candidatou a nenhum cargo, tem se desdobrado para cumprir compromissos políticos em diversas cidades.

 

Precedente

A decisão do juiz eleitoral Hamilton Gomes Carneiro, de Aparecida de Goiânia (GO), que autorizou um advogado a registrar candidatura sem estar filiado a um partido, esquenta o debate . O entendimento vem do fato de que o país é signatário da Convenção sobre Direitos de Pessoas com Deficiência e do Pacto de São José da Costa Rica. Ambos permitem que qualquer cidadão tenha o direito de se candidatar sem a necessidade de filiação partidária.

 

Por trás do pedido, está a União Nacional de Juízes Federais (Unajuf), que, desde o início do ano, pressiona o Judiciário. “A população deixa de ser refém dos caciques políticos, já que os partidos só escolhem quem é de interesse deles”, reforça o presidente da entidade, o juiz federal Eduardo Cubas. O cientista político Lucas Cunha, pesquisador do Centro de Estudos Legislativos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), critica a iniciativa. “Isso enfraquece os partidos e cria dois sistemas. Em vez de aumentar  a representação, vai ter uma fragmentação muito grande.”

 

Segundo Cunha, países com sistemas partidários mais enxutos, como os Estados Unidos, demonstraram boa experiência em relação a candidatos independentes, o que não ocorreu em países com maior fragmentação partidária, como Chile, Bolívia e Equador. Mesmo nos EUA, a abertura do tipo de candidatura revela, a cada pleito, perfis curiosos. Na disputa ao lado de Hillary Clinton e Donald Trump, no último pleito, um candidato prometeu a distribuição gratuita de um pônei a todos os americanos.

 

 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em NACIONAL


Por que São Paulo ainda não conseguiu despoluir o rio Tietê?
...


Centro cultural em Manaus vai abrigar nova base da Polícia Militar
...


‘Liberdade Religiosa’, diz sabatista no Acre que vai fazer prova do Enem domingo (12)
...


Grupo arrecada doações para Natal de moradores de rua em Manaus
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE