Rondônia, - 01:05
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
política
Comissão aprova projeto de Mariana Carvalho que beneficia consumidor
Publicado Sexta-Feira, 15 de Setembro de 2017, às 08:30 | Fonte da Redação 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=336069&codDep=19" data-text="Comissão aprova projeto de Mariana Carvalho que beneficia consumidor

  
 
 

A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou nesta quarta-feira (13) parecer ao projeto de lei da deputada federal Mariana Carvalho (PSDB - RO) que visa destacar nos contratos as cláusulas que impliquem multa ou limitação de direito do consumidor.

 

De acordo com a parlamentar que é segunda secretária da mesa diretora da Câmara, a  intenção da proposta é gerar transparência e conhecimento imediato das condições não favoráveis da contratação ao consumidor.

 

Conforme o texto aprovado, as cláusulas que implicarem multa ou limitação de direito deverão constar da primeira página do contrato, em negrito, com bordas e em fonte n° 14 no corpo do texto, permitindo sua imediata e fácil compreensão.

Atualmente, o Código de Defesa do Consumidor traz determinações no sentido de que a informação quanto ao produto ou serviço comercializado deve ser clara e precisa, não obrigando a adesão daquele que não teve prévio conhecimento dos termos do contrato.

Além disso, determina regras específicas, inclusive para determinar que cláusulas limitadoras de direito devam ser redigidas em destaque, para possibilitar a fácil compreensão pelo consumidor.

Na avaliação da congressista,  apesar de toda clareza do legislador, abusos continuam sendo cometidos por parte de fornecedores. “Ele tem pleno conhecimento do contrato, uma vez que foi ele mesmo que o redigiu. No entanto, para o consumidor, que o lê pela primeira vez, não é fácil identificar, de imediato, quais seriam as restrições financeiras ou de direito que aquela contratação acarreta”, defende.

Alguns fornecedores criam meios para disfarçar cláusulas restritivas de direito ou que podem levar o consumidor a uma reflexão mais aprofundada sobre a sua vontade de aprovar o contrato. “É comum, por exemplo, que as cláusulas que impõem a fidelização do cliente ou multa estejam diluídas no meio do contrato”, alerta a tucana. O fato dificulta transparência das condições da compra do produto ou adesão do serviço.

Fonte – psdbnacamara





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Brasil deixou recessão para trás, diz Temer na Argentina
...


Quem foi a primeira mulher a governar o Brasil
...


Mariana Carvalho destina R$ 250 mil para Vale do Paraíso
Recursos serão usados para compra de materiais de iluminação de avenida...


Kadafi teria ajudado Lula em 2002
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE