Rondônia, - 01:25
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
espinha na garganta
Sucessão presidencial. Candidatos com blocos nas ruas
Publicado Sexta-Feira, 25 de Agosto de 2017, às 07:51 | Fonte da Redação 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=335107&codDep=19" data-text="Sucessão presidencial. Candidatos com blocos nas ruas

  
 
 

Vamos começar esta matéria falando sobre a utópica pré-campanha presidencial do pretenso candidato do Partido dos Trabalhadores (PT),  o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que dentre todos os postulantes ao Palácio do Planalto foi o primeiro a chegar à pista de corrida — e está correndo dois sérios riscos:

 

PELO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT-SP) - LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
 

LUIZ INÁCIO LULA DA SIL (PT-SP)

 

          Em Primeiro momento, o de ser avaliado pela Comissão Técnica do Certame Presidencial  (TSE) se o pretenso candidato não tenha queimado a largada da disputa, rumo ao Palácio do Planalto. Se o ex-presidente estiver  realmente se antecipando ao fazer campanha política eleitoral fora do prazo regulamentado, estabelecido pelo TSE, as coisas podem se agravar e se complicar para o candidato do partido dos vermelhos. Caso isto esteja realmente ocorrendo, que ninguém em sã consciência tem dúvida, o ex-presidente Lula poderá ser comparado a um atleta que pretendia disputar uma corrida nos Jogos Olímpicos, que chegou à pista de atletismo bem antes de todo mundo e passou a correr sozinho rumo ao pódio, pensando em ganhar de sua própria sombra.

 

          Caso a sua postulação seja por todos os motivos, já  do conhecimento popular, autorizada para concorrer às eleições presidenciais para 2018, por este último motivo possa se tornar inelegível, e ficar impedido em ser candidato. Ai não terá mais nenhuma desculpa e, por certo, irão tentar justificar o injustificável, sob a alegação de que não sabiam, também, de nada, para não abrir a exceção.

 

           No Segundo momento, o ex-presidente Lula está também, até por questões de amnésia política e de tantas preocupações esteja realmente se esquecendo de que ele está respondendo a cinco Processos Jurídicos, no âmbito da força-tarefa da Operação Lava-Jato, por Corrupção e Lavagem de Dinheiro, dentre estes, três estão na esfera da Lava-Jato, em domínio do Juiz Federal Sérgio Moro, e um que já fora julgado, em mãos dos jovens procuradores da 4ª. Turma do Ministério Público Federal (MPF), do Rio Grande do Sul. Por outro lado, o postulante ao Palácio do Planalto, também, não deve  esquecer que a recém nomeada  Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge foi nomeada pelo presidente Michel Temer e que tomara posse no próximo 15 de setembro, e se depender de um empurrão jurídico, este virá carregado de ranço de mágoas políticas armazenadas do bojo da paciência do presidente Temer, sendo este volume todo acumulado nos últimos meses, fruto das acusações do PT e de seus seguidores que não têm poupado a pele e que querem comer o fígado cru, podendo até ser mal passado, do presidente e dos demais titulares do Palácio do Planalto.

 

           O ex-presidente Lula vem apresentando uma performance com descontrole emocional, com crises de choros e com mania de perseguição e com cara de poucos amigos, nestas andanças de pré-campanhas pelo Nordeste do Brasil, diante de alguns constrangimentos e de atos de manifestações contra a presença do ex-presidente Lula, com agressões que ferem a honra e a dignidade do pré-candidato do Partido dos Trabalhadores.

 

           Se deixarem a cobra que não conseguiram machucar a sua cabeça, este vai acabar fazendo uma jogada sensacional, semelhante aquele do jogo de boliche que quando a bola que é arremessada consegue derrubar todos os 10 pinos dispostos, lado a lado, de uma só vez — recebendo, neste ato, o nome de straik.

 

             PELO PARTIDO DO PSDB-SP – GERALDO ALKMIN

            De acordo com a lei das probabilidades e de tendências políticas, assegura-se com todas as letras que o postulante e o candidato indicado pela cúpula do PSDB  deverá ser mesmo — quando da Convenção Nacional do PSDB para a disputa presidencial para ocupar a cadeira de primeiro mandatário do Planalto do Planalto, a partir de 2018,  seja homologado o nome do atual governador de São Paulo, Geraldo Alkmin, pois este reúne todas os pré-requisitos para ser o candidato dos tucanos na atual conjuntura política.

 

                         

GERALDO ALKMIN (PSDB-SP)

 

           De acordo com as tendências e de análise políticas feitas por estrategistas do partido tucano, o PSDB deverá concorrer às eleições presidenciais com uma chapa ‘Puro Sangue’, tendo como seu vice-presidente o Senador Tasso Jeressati (PSDB-CE), um nome de peso e com densidade eleitoral no nordeste do Brasil, tendo quem cogite uma possível composição com o DEM, tendo como vice-presidente o atual prefeito de Salvador ACM Neto, ou tendo o Senador Álvaro Dias (PODEMOS-PR), em uma dobradinha que tudo é possível e com densidade eleitoral capaz de assegurar um provável segundo turno, até o momento indefinido com quem possa ser.

 

              PELO PARTIDO DO PSC-RJ – JAIR BOLSONARO

 

JAIR BOLSONARO (PSC-RJ)

 

           O Deputado Federal Jair Bolsonaro é um pretenso candidato à sucessão presidencial em 2018, e corre pela raia livre, do centro direita, e conta com um apoio massivo de uma grande maioria de descontentes dos atuais níveis de corrupção em que está mergulhado o Brasil e tem preferência de uma ala de militares que vêem no Jair Bolsonaro a esperança de uma mudança radical e para colocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento e do progresso, livre a famigerada corrupção que delapida o patrimônio público e empobrece toda a população.

 

           Com uma plataforma política radical  — e até por ser militar de formação —  tem a simpatia da ala militar, quando ele já vem defendendo que irá preencher cargos com os militares por considerar que esta categoria já provou ao país não compactuar com a corrução, tendo como exemplo todos os ex-presidente da República, Generais de Exército Brasileiro,  com a máxima formação militar, desde Castelo Branco, Costa e Silva, Garrastazu Médici, Ernesto Geiser e João Baptista de Figueiredo que morreram todos pobres e sem nunca terem se envolvidos em nenhum esquema de corrupção.

           Jair Bolsonaro, a exemplo do prefeito de São Paulo, João Doria Jr. acabou de saborear os ovos do nordeste, e não tem perdido a pose e continua em sua caminha, com desenvoltura e otimismo, e as pesquisas estão aí sinalizando para um possível segundo turno, nas eleições presidenciais que se avizinham.

 

PELO PARTIDO DO PDT-CE – CIRO GOMES

 

CIRO GOMES (PDT-CE)

 

       Ciro Gomes (PDT-CE) tem um passado político que o habilita a disputar mais uma eleição presidencial e com reais chances em sua candidatura ser homologada pelo PDT, e para concorrer em uma chapa de ‘Puro Sangue’ ou em dobradinha com um outro partido.

 

CARGOS ASSUMIDOS POR CIRO GOMES:

                      DEPUTADO ESTADUAL

 

 ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO CEARÁ

Período: 1º de fevereiro de 1983 a 16 de dezembro de 1988

 

                   PREFEITO MUNICIPAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA

De 1º de janeiro de 1989 a 2 de abril 1990;

 

GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ

Período: De15 de março de 1991 a 6 de setembro de 1994;

 

MINISTRO DA FAZENDA

Período: De 6 de setembro de 1994 a 1º de janeiro de 1995;

 

MINISTRO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL DO BRASIL

Período: de 1º de janeiro de 2003 a 31 de março de 2006;

 

                           DEPUTADO FEDERAL

CAMÂRA DOS DEPUTADOS – CONGRESSO NACIONAL

 

Período: De 1º de fevereiro de 2007 até 1º de fevereiro de 2011;

 

        Com a indefinição e dúvida de uma possível impugnação da candidatura do postulante do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, diante de um leque de processos judiciais  em tramitações em várias instâncias e em vários  níveis, e nesta indefinição Ciro Gomes sonha há muito com esta  impossibilidade da candidatura do líder petista, para que o PT indique o seu vice-presidente e, assim, a sua candidatura ganhe musculatura política e possa, desta forma, disputar com o tucano Geraldo Alkmin ou mesmo com Jair Bolsonaro, um segundo turno, de igual para igual, e até mesmo com reais chances de vitória. 

 

                       PELO PARTIDO DA REDE-AC – MARINA SILVA

 

MARINA SILVA (Rede Sustentabilidade-AC)

 

           A ex-Senadora e ex-Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, é postulante a concorrer às eleições presidenciais para ocupar o Palácio do Planalto em 2018. A ex-Ministra do Meio Ambiente tem a preferência de uma fatia do bolo eleitoral, especialmente aqueles radicalmente ambientalistas e de seus fies seguidores, aliados de carteirinha, uma vez que a postulante tem ideias preservacionistas fixas, porém por seus excessos de seriedade sofre a rejeição de um eleitorado que tem opção pelo desenvolvimentismo, pelo agronegócio e pela não manutenção da política ambientalista da não preservação das Unidades de Conservação, das Reservas Extrativistas e dos Parques Ambiental com o mesmo rigor daquele que a postulante ao Planalto prega em seus discursos.

 

           Considerando que a REDE de Sustentabilidade por não ter alcançado o patamar de seguidores e de simpatizando planejado, a Ex-Senadora Marina Silva não tenha atingido a densidade política almeja e, portanto, acredita-se que esta deva participar em uma dobradinha política e concorra como vice-presidente na Chapa do PDT ou até aliando-se ao PSC, cujo candidato Jair Bolsonaro tem chances reais em chegar ao segundo turno e até ganhar as eleições e, assim, assumir a cadeira no Palácio do Planalto, como titular na presidência da República.

 

                        PELO PARTIDO PODEMOS – PR - ÁLVARO DIAS

 

Álvaro Dias (PODEMOS-PR)

 

           O Senador Álvaro Dias (PODEMOS-PR) é um provável postulante a candidato nas eleições presidências para 2018 e vem insistentemente falando que se depender de sua disposição ele deverá se tornar candidato a presidente da República, nas eleições para 2018, e disputar um possível segundo turno, não tendo escolhas com quem será esta disputa.

 

           A lógica nos orienta a afirmar que o Senador Álvaro Dias (PODEMOS-PR), no frigir dos ovos (não aqueles que jogaram no João Dória e nem no Jair Bolsonaro) este deva fazer uma composição, uma dobradinha, tendo maior probabilidade em compor com os tucanos — e sair de vice com Geraldo Alkmin (PSDB-SP) ou até com Jair Bolsonaro (PSC-RJ), porque em política tudo é possível e é uma questão de conveniência para ambos.

 

           Álvaro Dias é um político com uma significativa folha de serviço prestado ao estado do Paraná e ao Brasil.

 

Em 1971 foi eleito em Curitiba ao cargo de Deputado Estadual;

Em 1974 elegeu-se como Deputado Federal, obtendo a maior votação na história do Paraná, até os dias atuais;

Em 1978 foi reeleito Deputado Federal, até 1982;

Em 1982 foi eleito Senador, quando tornou-se vice-líder do PMDB, entre 1985 e 1986.

Em 1989 foi eleito Governador do estado do Paraná, até 1991;

Em 1996 e 19997 assumiu a TELEPAR -Telecomunicações do Paraná.

Em 1998 foi eleito Senador da República;

Em 2014 Álvaro Dias foi reconduzido ao cargo de Senador da República, até ao presente momento.

 

           Os demais candidatos todos nós já conhecemos e, portanto, iremos ver nos reencontrar e assistir suas propostas nos horários PAGOS com os R$ 3,6 bilhões de reais dos cofres públicos, extraídos do bolso e do suor do trabalhador brasileiro para assistirmos as trapaças e as baixarias do horário político do Rádio e da TV , autorizado pelo TSE e monitorado por os TRE de seus respectivos estados da Federação.

 

Tenham todos um bom dia.

 

Antônio de Almeida Sobrinho





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Lúcio Mosquini defende regulamentaçāo da profissāo de Tecnólogo em Segurança do Trabalho
...


Paulinho chama de 'estapafúrdias' ideias de Meirelles para a Previdência
...


Prefeitos vindicam investimentos e Arom assina protocolo com o parlamento e governo
...


Cunha diz que não cabe a ele pedir apuração sobre assinatura suspeita
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::