Rondônia, - 00:38
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
pena para crimes de resistência e desobediência
Projeto relatado por Marcos Rogério aumenta pena para crimes de resistência e desobediência a policiais
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (23/08) um projeto de lei que endurece a pena para atos praticados contra policiais no uso da sua atribuição, como resistência e desobediência à ordem policial.
Publicado Quinta-Feira, 24 de Agosto de 2017, às 10:25 | Fonte da Redação 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=335091&codDep=19" data-text="Projeto relatado por Marcos Rogério aumenta pena para crimes de resistência e desobediência a policiais

  
 
 

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (23/08) um projeto de lei que endurece a pena para atos praticados contra policiais no uso da sua atribuição, como resistência e desobediência à ordem policial.

Segundo explicou o relator da proposta, o deputado federal Marco Rogério (DEM), os crimes praticados contra policiais são considerados delitos de menor potencial ofensivo, o que contribui para o descrédito dos profissionais de segurança pública.

“A polícia faz parte do controle social na preservação da paz pública, e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. O projeto confere segurança a esses profissionais que se encontram no exercício de suas atividades”, explicou.

Para o crime de resistência, o projeto fixa a pena de um a três anos e multa. E para o crime de desobediência, a proposta é de detenção de um a dois anos, mais multa. Hoje o código já prevê o crime de desobedecer à ordem legal de funcionário público, com pena prevista de detenção de 15 dias a seis meses, mais multa.

A proposta foi aprovada em meio a críticas de partidos de esquerda, entre eles PT, PSOL e Rede, que consideraram que o projeto poderia ser uma afronta aos direitos humanos.

Marcos Rogério, contudo, rebateu: “a discussão sobre abuso de autoridade não pode ser colocada como argumento contrário a este projeto. O abuso, quando cometido, ocorre em um momento de falha humana, a partir da ação de um indivíduo, e não da corporação. Essa Casa não pode penalizar toda uma corporação em detrimento da ação de alguns indivíduos”, disse.

Saiba mais sobre o projeto: PL 8125/2014





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Manifesto favorável a Lula atinge 200 mil assinaturas na internet
...


Maia: 'Não adianta parar Congresso para tentar votar Previdência'
...


O País da Corrupção: Governo Temer libera emendas em ''troca'' de favores políticos
...


Após 4 anos, Davos terá presença de um presidente brasileiro
O presidente Michel Temer deve desembarcar no dia 23 de janeiro em Davos para integrar o Fórum Econômico Mundial no dia seguinte. ...

 

::: Publicidade :::

a



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE