Rondônia, - 01:56
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
Maia defende distrital misto em 2022 e 'transição' nas próximas eleições
Publicado Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017, às 12:05 | Fonte Do G1 São Paulo 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=335022&codDep=19" data-text="Maia defende distrital misto em 2022 e 'transição' nas próximas eleições

  
 
 

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, participa de fórum em São Paulo (Foto: GloboNews/Reprodução)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, participa de fórum em São Paulo (Foto: GloboNews/Reprodução)

 

 

 

 

 

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu um sistema distrital misto para as eleições em 2022 e uma forma de 'transição' nas próximas eleições.

"Tem um texto que vai fazer a transição com o sistema atual ou com o sistema majoritário e vai caminhar para 2022 para o distrital misto", disse Maia. "Aprovado dessa forma é um grande ganho para o povo brasileiro já que os dois polos de sistema que são defendidos não tem votos suficientes para vitória. Nem o distrital puro tem maioria, nem a lista preordenada sozinha consegue maioria."

A Câmara dos Deputados tentará votar nesta semana a proposta de reforma política que estabelece alterações no sistema eleitoral e cria um fundo com recursos públicos para bancar as campanhas dos candidatos. A sessão para votar o projeto, em primeiro turno, está marcada para esta terça-feira (22).

Maia participou nesta segunda-feira (21) em São Paulo de um fórum promovido pelo jornal 'O Estado de S. Paulo'. O presidente da Câmara destacou que "fazer texto de reforma política é muito difícil. O Brasil é um país muito diferente nas suas regiões, cada um vez com uma ótica diferente de reforma política."

Maia defende a ideia que no sistema distrital misto, aprovado na Alemanha, a transição pelo sistema majoritário sempre renova mais que o sistema proporcional, que é mais conservador. "Tanto o atual que pra mim está falido e é o pior de todo, como distritão, mas como transição não vejo problema com o distrital misto, que é uma grande vitória para a democracia brasileira", afirmou.

 

 

 

 

 

Resultado de imagem para Maia defende distrital misto em 2022 e 'transição' nas próximas eleições

4 pontos para entender a reforma política

 

 

 

 

 

"Aprovar o distrital misto é fazer muito além do imediatismo. É construir para 2022 junto com a cláusula de desempenho e o fim da coligação para 2020 vai se construir um bom sistema."

O modelo surge como uma alternativa ao "distritão", que não tem consenso entre os partidos. Aprovado na comissão especial que discute a reforma política, o "distritão" se tornou um entrave para a aprovação da matéria no plenário.

 

 

 

Como ficaria com o 'distritão misto':

  • os eleitores poderiam votar em candidatos ou no partido nas eleições para deputados estadual e federal;
  • os votos obtidos pelos partidos seriam distribuídos entre os candidatos da legenda, de forma proporcional à votação de cada um.

 

 

 

Financiamento privado

O presidente da Câmara defendeu ainda a criação de um fundo de transição. "Vamos deixar que a Comissão de Orçamento avance mais na frente ou que o Senado possa avançar no financiamento privado com restrição das doações."

"Já que a PEC da Câmara aprovada em 2015 parou no Senado precisamos dar uma solução. Um valor fixo na Constituição gerou reação da sociedade. Tirando o valor e torcendo para que o Senado possa avançar no financiamento privado é o caminho correto."

"O mais importante hoje no Brasil é saber qualquer receita que se crie de onde vai tirar o orçamento. Transferir para o orçamento é a forma mais democrátiva de se discutir um possível fundo público eleitoral", disse Maia.

No dia 10, a comissão da Câmara que discute mudanças no sistema eleitoral aprovou dobrar o valor previsto de recursos públicos que serão usados para financiar campanhas eleitorais. Segundo o texto, seria instituído o Fundo Especial de Financiamento da Democracia, que em 2018 levaria R$ 3,6 bilhões do Orçamento da União.

 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Em reunião extraordinária, PSTU Rondônia define diretrizes para 2018
Em reunião realizada nesta quarta-feira ( 15/11) a direção estadual do PSTU - Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados em Rondônia definiu diretrizes para participação do partido no pleito eleitoral em 2018 no estado....


Mariana Carvalho acompanha trabalho da Marinha do Brasil em Rondônia
A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB – RO) visitou nesta quarta – feira, 15, o Navio Patrulha Fluvial Rondônia da Marinha do Brasil....


Por que 60% dos eleitores de Bolsonaro são jovens?
...


‘PSDB terá de ressurgir das cinzas’, diz Mariana Carvalho
Mariana Carvalho, tucana de Rondônia e segunda-secretária da Câmara, diz que a candidatura de Tasso Jereissati se fortalece e afirma que o PSDB...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::