Rondônia, - 06:59

 

Você está no caderno - POLÍTICA
política
Mariana Carvalho: “Quero um país longe da corrupção com respeito aos brasileiros”
“Pela minha história e minha convicção, sou a favor que todas as pessoas sejam tratadas iguais, conforme a lei e a nossa Constituição Federal. Por isso, sou a favor das investigações.
Publicado Quinta-Feira, 3 de Agosto de 2017, às 18:51 | Fonte da Redação 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=333926&codDep=19" data-text="Mariana Carvalho: “Quero um país longe da corrupção com respeito aos brasileiros”
ADS NEWS 3

  
 
 

“Pela minha história e minha convicção, sou a favor que todas as pessoas sejam tratadas iguais, conforme a lei e a nossa Constituição Federal. Por isso, sou a favor das investigações. Quero um país longe da corrupção com ética e muito respeito aos brasileiros. Por isso, sou contra a esse relatório”.

 

Com essa declaração, a deputada federal Mariana Carvalho (PSDB – RO) justificou o seu voto contra o parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que recomendava a rejeição da denúncia contra o presidente da República Michel Temer (PMDB).

 

A parlamentar, que é a segunda secretária da Mesa Diretora da Câmara, leu em plenário na terça – feira, 1º,o relatório elaborado pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), cuja votação aconteceu nesta quarta – feira, 2.

 

O Plenário acabou rejeitando por 263 votos a 227 e 2 abstenções, a autorização para o Supremo Tribunal Federal (STF) abrir processo criminal contra o presidente Temer, por crime de corrupção passiva seguindo parecer da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

 

No total, 492 dos 513 deputados votaram o parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG). Rodrigo Maia deixou de votar por motivo de impedimento regimental, por estar comandando a sessão.

 

Esta foi a primeira vez que a Câmara dos Deputados votou uma solicitação para instauração de processo contra um presidente da República.

 

Com a decisão, o STF não poderá analisar a denúncia contra Temer apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no final de junho. O presidente só poderá responder judicialmente após o término do mandato.

 

A denúncia do procurador-geral contra Temer foi elaborada a partir de delação premiada do empresário Joesley Batista, do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS e outras empresas.

Segundo Janot, Temer teria recebido R$ 500 mil do empresário por meio do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, então assessor especial de Temer. Rocha Loures chegou a ser preso em junho por determinação do ministro Edson Fachin, do STF, relator do inquérito sobre o caso. No final do mesmo mês, a prisão foi convertida em prisão domiciliar.

Assessoria






ADS NEWS 4

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

ADS NEWS 5

Veja também em POLÍTICA


PF investiga esquema de caminhoneiros que simulavam roubos de carga
...


PF desarticula grupo que clonou celulares de ministros de Temer
...


‘Passarinho na muda não pia’, despista Josué Gomes sobre candidatura
...


Meirelles diz ter apoio para ser candidato do MDB e prevê ‘voo solo’
...

 

::: Publicidade :::

ADS NEWS 1

ADS NEWS 2

ADS NEWS 3


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM