Rondônia, - 12:57
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
Corpo de Marco Aurélio Garcia, ex-assessor de Lula e Dilma, é cremado em São Paulo
Publicado Sábado, 22 de Julho de 2017, às 18:33 | Fonte Do G1, em São Paulo 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=333252&codDep=19" data-text="Corpo de Marco Aurélio Garcia, ex-assessor de Lula e Dilma, é cremado em São Paulo

  
 
 

 

O ex-presidente Lula chega ao velório de Marco Aurélio Garcia, que foi seu assessor especial e um dos fundadores do PT, no início da tarde desta sexta-feira (21), na Zona Sul de São Paulo (Foto: Tahiane Stochero/G1)

O ex-presidente Lula chega ao velório de Marco Aurélio Garcia, que foi seu assessor especial e um dos fundadores do PT, no início da tarde desta sexta-feira (21), na Zona Sul de São Paulo (Foto: Tahiane Stochero/G1)

 

 

 

 

 

 

O corpo de Marco Aurélio Garcia, assessor especial para Assuntos Internacionais dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, foi cremado à 1h30 deste sábado (22) em São Paulo. O corpo foi velado durante a sexta-feira (21) no hall Monumental da Assembleia Legislativa de São Paulo, na Zona Sul da capital paulista.

Marco Aurélio Garcia morreu nesta quinta-feira (20) vítima de um infarto, aos 76 anos.

A cremação ocorreu no Crematório Vila Alpina, em São Paulo, em uma cerimônia de cerca de 10 minutos restrita à família.

Participaram do velório ex-presidente Lula e também a ex-presidente Dilma. Lula chegou a chorar. ⁠⁠⁠"Ele era mais do que chanceler, me representava junto a partidos de esquerda pelo mundo e todos os governantes gostavam dele, pelo seu jeito de ser. As pessoas sabiam que ele falava em meu nome e do PT. Era uma figura especial e de competencia extraordinaria", disse Lula, que chorou.

"Não acredito que a esquerda no mundo tenha alguém como ele. A carne se vai, mas as ideias, o humor e a beleza política dele continuam", completou o ex-presidente. Lula estava acompanhado do vereador Eduardo Suplicy, do ex-ministro das Relações Exteriores Celso Amorim, do ex-ministro da Educação e Casa Civil Aloizio Mercadante, do escritor e jornalista Fernando Morais e do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad.

A ex-presidente Dilma Rousseff também se juntou à comitiva e falou com jornalistas sobre Marco Aurélio. "Além de companheiro, ele era excepcional como pessoa. Do Uruguai à Venezuela, tudo era pátria dele. Ele sabia retratar as situações com poucas palavras, tinha imensa capacidade de querer um Brasil com direitos, e queria um mundo assim", declarou. "Pra mim , ele vai fazer falta".

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) participou da cerimônia e afirmou que um dos grandes legados do Marco Aurélio é a política externa.

 

 

 

 

 

Marco Aurélio Garcia (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Marco Aurélio Garcia (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 

 

 

 

 

"Se nós conseguimos desenvolver no governo Lula e Dilma uma política externa ativa e altiva devemos a ele, que trabalhou com o Itamaraty. Ele, desde o início do PT, se dedicou a isso e sabia a importância", afirmou a senadora, que também é presidente do PT.

Gleisi disse que almoçou na semana passada com Lula e Marco Aurélio em São Paulo. Segundo a senadora, Marco Aurélio estava participando ativamente dos trabalhos com a Fundação Perseu Abramo para o programa de governo de Lula em eventual campanha em 2018.

O ex-ministro de Relações Exteriores também falou da atuação de Garcia no governo. "Foi mais do que um parceiro, foi um irmão na luta para o Brasil se firmar no exterior. Ele fazia tudo com leveza e bom humor. Com ele, tudo ficava interessante", declarou Celso Amorim.

Biografia

Marco Aurélio Garcia foi um dos fundadores do PT e ocupou a função de secretário de Relações Internacionais do partido. Era professor aposentado de história de Universidade de Campinas (Unicamp). Enquanto esteve no Palácio do Planalto, ele despachou de uma sala no terceiro andar, localizada a poucos metros do gabinete presidencial. Entre os funcionários, era chamado de "professor".

Em texto publicado na internet, o PT afirmou que Marco Aurélio Garcia foi um "importante líder" na construção e execução da política externa brasileira, além de ser um dos "grandes apoiadores" do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e do fortalecimento das relações do Brasil com países do hemisfério Sul, principalmente na África e na América Latina.

O ex-assessor especial de Lula e de Dilma nasceu em Porto Alegre (RS) e atuou no movimento estudantil de esquerda. Nos anos 1960, foi vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) e vereador em Porto Alegre. Nos anos 1970 viveu na França e no Chile e voltou ao Brasil em 1979 para ajudar a fundar o PT.

Ainda de acordo com o site do partido, Marco Aurélio Garcia é formado em filosofia e em direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ele tinha pós-graduação na Escola de Altos Estudos e Ciências Sociais de Paris.

Além de professor da Unicamp, ele também foi professor na Universidade do Chile, na Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais e nas universidades Paris VIII e Paris X, na França.

Na área política, segundo o site do PT, Marco Aurélio foi secretário de Cultura de Campinas (1989-1990) e de São Paulo (2001-2002), além de vice-presidente do PT de outubro de 2005 a fevereiro de 2010.

Nas eleições de 1994, 1998 e 2006, ele coordenou o programa de governo de Lula e, em 2010, o de Dilma.

No governo Lula, Marco Aurélio ajudou o Brasil a expandir embaixadas na África. O assessor especial do presidente também atuou na aproximação do país com o regime de Hugo Chávez na Venezuela.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Maia defende distrital misto em 2022 e 'transição' nas próximas eleições
...


Mercadante diz que não há base legal para impeachment de Dilma
...


Saída do PMDB do governo leva oposição a se reorganizar para derrubar Dilma
...


Ministro do STF nega pedido para suspender votação do impeachment
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE