Rondônia, - 22:50
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - NACIONAL
nacional
Temer envia projeto de lei que reduz área protegida na Amazônia
Publicado Segunda-Feira, 17 de Julho de 2017, às 11:48 | Fonte Veja.com 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=332921&codDep=30" data-text="Temer envia projeto de lei que reduz área protegida na Amazônia

  
 
 

 

O ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, durante reunião com Sarney Filho.

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, com seu colega norueguês, Vidar Helgesen, que criticou o aumento do desmatamento no Brasil (José Cruz/Agência Brasil)

 

 

 

 

 

 

 

Pouco menos de um mês após o presidente Michel Temer (PMDB) vetar a polêmica Medida Provisória 756, que reduzia a Floresta Nacional de Jamanxim, no Pará – e uma semana depois de oito viaturas do Ibama terem sido queimadas na BR-163, próximo à região -, o governo cedeu à pressão de ruralistas e enviou na noite desta quinta-feira ao Congresso um projeto de lei propondo uma diminuição da proteção da floresta.

O novo texto prevê uma mudança nos limites da Floresta Nacional, levando a uma redução de 349.046 hectares (equivalente a duas vezes à área da cidade de São Paulo). Esse território será transformado em Área de Proteção Ambiental (APA), o nível menos restritivo de unidade de conservação. A floresta passa a ter 953.613 hectares. É um corte menor que o proposto pela MP, de 486 mil hectares, mas maior do que dizia o texto original da MP, feito pelo governo, que falava em 304 mil hectares.

Por meio de nota, o Ministério do Meio Ambiente disse que o objetivo é resolver conflitos decorrentes desde a criação da Floresta Nacional, em 2006. A justificativa também é citada no projeto de lei: “A área onde se localiza a Floresta Nacional do Jamanxim tem sido palco de recorrentes conflitos fundiários e de atividades ilegais de extração de madeira e de garimpo associados à grilagem de terra e à ausência de regramento ambiental. Com reflexos na escalada da criminalidade e da violência contra agentes públicos, sendo necessária a implantação de políticas de governo adequadas para enfrentar essas questões”.

De fato, quando a Floresta Nacional foi delimitada, havia gente morando na área que deveria ou ter sido indenizada ou ter tido sua propriedade retirada dos limites da unidade. De lá para cá, a situação só piorou e Jamanxim é a unidade de conservação onde mais cresceu a taxa de desmatamento.

Cálculos originais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que balizaram o texto original da Medida Provisória, porém, sugeriam que uma redução de 35 mil hectares seria o suficiente para resolver esse conflito. Para ambientalistas, a multiplicação da área por dez no projeto de lei vai regularizar grileiros que chegaram ali depois da criação da Floresta Nacional.

Na nota à imprensa, o ministério diz que o projeto de lei “faz parte de um conjunto de ações já em desenvolvimento que buscam estancar o desmatamento na região, diminuir os conflitos e promover o uso sustentável dos recursos florestais”. Afirma também que foi embasado em novos estudos do ICMBio.

“A criação da APA do Jamanxim tem por objetivo a proteção da diversidade biológica, disciplinamento do processo de ocupação da região, fomento ao manejo florestal sustentável e a conservação dos recursos hídricos. Estabelecida nas áreas de maior ocupação da Floresta Nacional do Jamanxim, a APA poderá permitir a regularização fundiária destas áreas. A área da Floresta Nacional, por sua vez, passará a atender os objetivos que motivaram sua criação, voltados para o manejo florestal sustentável, inviabilizados em função do conflito instalado”, continua a nota.

Protestos

Nas últimas duas semanas, proprietários de terra da região no entorno de Jamanxim vinham promovendo bloqueios da BR-163, que liga Cuiabá a Santarém, pedindo a apresentação do projeto de lei. A promessa tinha sido feita pelo próprio ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, em vídeo em que aparecia ao lado do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), na véspera do veto de Temer, em 19 de junho. No vídeo, o ministro anunciava que a Medida Provisória seria vetada, mas que um projeto de lei seria enviado ao Congresso nos mesmos termos.

Dias depois, porém, ele disse que foi mal interpretado, que o projeto de lei só seria enviado após parecer técnico do ICMBio, órgão responsável por gerir as unidades de conservação federais. O recuo ocorreu na sequência do anúncio por parte da Noruega – durante visita de Temer e Sarney Filho ao país – de que iria reduzir seu financiamento ao Fundo Amazônia por conta do aumento de 60% no desmatamento da região nos últimos dois anos.

Na madrugada de sexta passada, um caminhão-cegonha com oito novas viaturas que seriam entregues ao Ibama foi incendiado na BR-163, no que foi visto como um atentado ao estado em protesto contra os vetos. Ao longo da semana, os protestos continuaram.

Na ocasião, o deputado José Benito Priante (PMDB-PA), que foi relator da MP 756 no Congresso, disse que a falta do projeto de leicausou incerteza e insatisfação na região. “Havia uma expectativa muito forte de que viria o projeto de lei com os limites para que pudéssemos votar. Mas o que chegou foi muito helicóptero e carro do Ibama na região”, afirmou na sexta-feira, dia 7.

Gisele Bündchen

Quando as MPs 756/2016 e 758/2016 – que também reduzia uma área protegida no Pará – foram editadas, o presidente Michel Temer encontrou uma oposição inusitada: a modelo Gisele Bündchen fez vários posts no Twitter pedindo o veto às iniciativas e acabou sendo atendida pelo peemedebista.

 

 

 

 

 

(Reprodução//Temer envia projeto de lei que reduz área protegida na Amazônia/Reprodução)

 

 

 

 

 

(Reprodução//Temer envia projeto de lei que reduz área protegida na Amazônia/Reprodução)

 

 

 

 

 

 

Logo após os vetos, no entanto, Gisele voltou a postar no Twitter agradecendo, mas dizendo que estava de olho no caso e já apontou o risco de a matéria voltar à pauta em forma de projeto de lei.

 

 

 

 

 

(Reprodução//Temer envia projeto de lei que reduz área protegida na Amazônia/Reprodução)

 

 

 

 

 

(Com Estadão Conteúdo)

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em NACIONAL


Temer elogia 'eficiência' do governo antes do anúncio de aumento de tributos
...


Morre aos 76 anos Marco Aurélio Garcia, ex-assessor especial da Presidência da República
...


Terceira vítima de acidente na BR-163, em MS, é encontrada morta dentro de carro
...


Homem registra ocorrência policial para reclamar de traições da mulher
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE