Rondônia, - 02:44

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
Governo muda estratégia e aceita votar denúncia contra Michel Temer só em agosto
Publicado Sexta-Feira, 14 de Julho de 2017, às 10:15 | Fonte Último Segundo 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=332676&codDep=19" data-text="Governo muda estratégia e aceita votar denúncia contra Michel Temer só em agosto

  
 
 

 

Denúncia contra Michel Temer foi apresentada por Rodrigo Janot e precisa de permissão da Câmara para ir ao STF

Beto Barata/PR - 20.6.17 - Denúncia contra Michel Temer foi apresentada por Rodrigo Janot e precisa de permissão da Câmara para ir ao STF

 

 

 

 

 

O governo decidiu mudar de estratégia e agora admite votar a denúncia contra Michel Temer  no plenário da Câmara somente após o recesso legislativo, em agosto. O cronograma inicial previa que o tema fosse votado no plenário já na segunda-feira (17).

Se antes a base aliada do Planalto assegurava boa presença de parlamentares no plenário mesmo em dias menos movimentados no Congresso, agora os governistas repassaram a tarefa aos deputados que defendem a admissibilidade da denúncia contra Michel Temer , conforme declaração dada nesta quinta-feira (13) pelo ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

“Pode ser agora, pode ser em agosto”, disse Padilha a jornalistas após solenidade no Palácio do Planalto, referindo-se à votação do tema no plenário da Câmara. “Quem tem que colocar quórum é quem quer receber a denúncia”, acrescentou o ministro. 

Questionado se a espera até agosto não poderia agravar uma “sangria” do governo, que em tese ficaria exposto a perder mais votos para derrubar a denúncia com o passar do tempo, Padilha respondeu: “Qual sangria?”.

“Estamos trabalhando e vamos continuar trabalhando. Teremos uma vitória magistral hoje na Comissão de Constituição e Justiça [da Câmara]”, afirmou o ministro.

Plenário é plenário. CCJ é CCJ

Os parlamentares da CCJ da Câmara discutem nesta quinta-feira o parecer apresentado pelo relator, deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), que votou por autorizar o Supremo Tribunal Federal (STF) a apreciar a denúncia contra o presidente.

Se a votação da denúncia no plenário pode ser adiada, na comissão da Câmara a questão pode ser encerrada ainda nesta quinta-feira. Deputados da base do governo retiraram seus nomes da lista de discussão para acelerar o processo, que pode ser votado na CCJ ainda nesta tarde.

"Vamos votar no meio da tarde, e cumprir nosso papel aqui na CCJ", disse o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), um dos coordenadores da defesa de Temer na comissão.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia , disse nesta semana que convocaria uma sessão para a próxima segunda (17) ou terça-feira (18) para analisar a denúncia. Ele sinalizou, no entanto, que vai aguardar um quórum bem alto para abrir a sessão. São necessários pelo menos 342 votos, do total de 513 deputados, para que a denúncia seja admitida. 

"É uma posição pessoal do presidente Rodrigo Maia, e nós temos que nos resignar à posição do presidente", disse Padilha sobre o calendário de votação da denúncia contra Michel Temer.

*Com informações e reportagem da Agência Brasil e na Agência Câmara

 

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Guerra entre Renan e Janot: ‘rosnou, depois miou’
...


Barrada na PF, comissão da Câmara vai denunciar juíza ao CNJ
...


Decisão do STF encerra ‘juízo de exceção em Curitiba’, diz Zanin
...


#SanatórioGeral: Padroeira dos presidiários
...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM