Rondônia, - 00:32
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
Política
Governo muda estratégia e agora quer deixar para agosto votação da denúncia
Publicado Quinta-Feira, 13 de Julho de 2017, às 11:10 | Fonte Do G1, em Brasília 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=332600&codDep=19" data-text="Governo muda estratégia e agora quer deixar para agosto votação da denúncia

  
 
 

 

Resultado de imagem para Governo muda estratégia e agora quer deixar para agosto votação da denúncia

Governo desiste de votar denúncia no Plenário da Câmara antes do recesso

 

 

 

 

 

Preocupado com a necessidade de assegurar a presença de, pelo menos, 342 deputados na Câmara para votar a denúncia contra o presidente Michel Temer, o governo federal mudou a estratégia política e decidiu deixar para agosto – depois do recesso Legislativo que inicia na terça-feira (18) – a votação do relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) no plenário principal da Casa, apurou a GloboNews.

Integrante da "tropa de choque" de Temer, o vice-líder do governo, Darcísio Perondi (PMDB-RS), relatou os bastidores do encontro desta quarta-feira (12) entre líderes governistas e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). Os aliados mais próximos de Temer foram à residência oficial do deputado do DEM para tentar convencê-lo a permitir que a sessão que analisará o parecer da CCJ seja aberta com 257 deputados em plenário.

Ainda de acordo com os relatos do peemedebista, Maia negou o pedido com a justificativa de que pareceres elaborados pela área jurídica da Câmara e até do Palácio do Planalto indicam que são necessários 342 deputados presentes em plenário para iniciar a votação.

A colunista do G1 Andréia Sadi apurou que Rodrigo Maia entende que uma votação como esta, de uma denúncia contra o presidente da República, precisa ter quórum alto, de, pelo menos, 342 votos, ou dois terços dos 513 deputados da Câmara.

A estratégia do Planalto de tentar enterrar a denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) antes do recesso também ficou comprometida com a tática das bancadas de oposição de liberar que os seus deputados não registrem presença nesta sexta (14) para dificultar ainda mais que o quórum de 342 parlamentares seja alcançado.

Debate na CCJ

Embora o Palácio do Planalto tenha desistido de colocar a denúncia em votação no plenário da Câmara antes do recesso, a orientação para a CCJ continua a mesma: votar ainda nesta quinta-feira o parecer de Zveiter. Antes, no entanto, é preciso finalizar a fase de debates, que se iniciou nesta quarta (12) com uma maratona de 14 horas de discursos.

Na manhã desta quinta, deputados da base aliada ddecidiram abrir mão de discursar na Comissão de Constituição e Justiça.

Na sessão da comissão desta quinta estão previstas apenas fala de deputados oposicionistas, todos a favor da admissibilidade da denúncia.

Antes mesmo do início da fase de discussão na quarta-feira (12), deputados aliados a Temer já afirmavam que discursariam o mínimo necessário e não usariam todas as inscrições disponíveis na sessão.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


“Nenhum petista me intimida”, diz Doria sobre manifestação
...


Comissão aprova projeto que libera R$ 102,4 milhões para emissão de passaportes
...


Mesmo após traições na CCJ, Temer assegura a tucano que PSDB fica no governo
...


Senado vota hoje pedido de urgência para reforma trabalhista
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE